Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Encontro do CRES aborda o compromisso social da Universidade

Segundo evento preparatório à Conferência de Educação Superior apresentou pesquisa interdisciplinar

01/12/2017 - 17h43
Ciclo preparatório, CRES, palestra, Ir Marcelo Bonhemberger

Marcelo Bonhemberger
Foto: Bruno Todeschini

Pensar a universidade como espaço de formação de agentes transformadores, aplicando o conhecimento acadêmico na resolução de problemas sociais. Esse foi o foco das palestras do Marcelo Bonhemberger, diretor do Centro de Pastoral e Solidariedade, e do professor Hermílio Santos, da Escola de Humanidades, durante o segundo evento do Ciclo Preparatório PUCRS 2017-2018 para a 3ª Conferência Regional da Educação Superior da América Latina e Caribe (Cres), marcada para Córdoba (Argentina), em junho de 2018. A atividade, mediada pelo Pró-Reitor de Extensão e Assuntos Comunitários Ir. Manuir Mentges, ocorreu no dia 29 de novembro, no saguão da Biblioteca Central. Participaram decanos, diretores, gestores e docentes de diversas Unidades Universitárias.

Durante sua fala, o Marcelo expôs a importância de a PUCRS ter clareza sobre a própria identidade, pautada tanto no legado do fundador São Marcelino Champagnat, quanto na necessidade permanente de atualização. Destacou documentos maristas voltados à Educação Superior, nos quais a palavra evangelização pode ser interpretada como educação “para a transformação social, científica, cultural. A educação é nossa atividade fim”, afirmou. No entendimento do Irmão, esse compromisso vai além do conhecimento, envolvendo a dimensão ética para a construção de cidadãos comprometidos e capazes de trazer transformações para a sociedade. “O aspecto do servir também deve ser destacado. Todo conhecimento aqui produzido e discutido deve estar a serviço da comunidade”, enfatizou.

Em uma chamada à reflexão, perguntou à plateia: “Como formar um ser humano moralmente bom? Quais as bondades que a Universidade irá fazer para o nosso entorno, no RS, no Brasil e além de nossas fronteiras geográficas?”, indagou. Para ele, esses são desafios que a comunidade acadêmica precisa responder. No seu entendimento, “nossa missão é resolver problemas, com uma vida de aprendizagem baseada na resolução de questões sociais. Temos esse dever”, ressaltou.

 

A universidade em ação

Ciclo preparatório, CRES, palestra, Hermílio Santos

Professor Hermílio Santos apresenta pesquisa do Ceas
Foto: Bruno Todeschini

Na segunda apresentação, o professor Hermílio Santos, coordenador do Centro de Análises Econômicas e Sociais da PUCRS (Caes), apresentou características complexas das sociedades contemporâneas para introduzir o tema central de seu painel: as pesquisas sobre a violência sofrida por crianças em três grandes capitais brasileiras. Santos abordou a continuidade de heranças culturais da sociedade medieval, como os modelos de centralização da Justiça, das finanças e das forças armadas, bem como a sobrecarga das famílias. Sobre a construção de políticas públicas na atualidade, observou que deixaram de ser uma atribuição exclusiva do Estado. “São formuladas com atores dos mais distintos, como governos, partidos políticos, sindicatos, associações de empresários, ou seja, nem políticas públicas são mais exclusividade do Estado, por que o conhecimento está espraiado na sociedade, e isso é bom”, avaliou.

Na compreensão do pesquisador, o protagonismo acadêmico é fundamental para propor soluções em conjunto, desde que todos tenham consciência de seu papel nesse cenário. “A universidade não é o lugar de gente sabida, mas o lugar das pessoas que querem saber coisas”, afirmou. “O que temos de singular é nossa capacidade de trabalhar o conhecimento de maneira metódica e sistemática, de formar pessoas, fazer intervenções e propor respostas. Isso sem colocar nossas profissões de fé no lugar dos resultados de pesquisa”. Na sequência, expôs os resultados de duas pesquisas multidisciplinares e interinstitucionais do Ceas: Infância e Violência: cotidiano de crianças pequenas em favelas do Rio de Janeiro e Recife e Cotidiano de crianças em cortiços e favelas de São Paulo. Ambos estudos foram patrocinados pela Fundação Bernard van Leer (Holanda), envolvendo a PUC-SP, a PUC-Rio e Universidade Federal de Pernambuco, entre outros parceiros. Entre 2013 e 2015, professores e estudantes liderados pelo professor visitaram 15 favelas nas três cidades, utilizando metodologias inovadoras e treinando pessoas para aplicá-las junto a 3 mil crianças, adolescentes e adultos.

Ciclo preparatório, CRES, palestra

Foto: Bruno Todeschini

A partir dos dados coletados, foi possível mapear alguns fatores indutores da violência, como a frustração por ciclos de formação escolar incompletos, a falta ou a má qualidade da iluminação pública e a ausência de banheiros entre os cômodos das casas – visto que são considerados o único espaço de intimidade de uma residência nas comunidades desfavorecidas economicamente. Esse problema, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está presente em 3 milhões de habitações em todo o Brasil. Todos esses fatores, se bem interpretados, podem repercutir em novas políticas públicas, de acordo com Hermílio Santos.

Ao final, o pesquisador destacou a importância de tornar públicos os resultados de pesquisas, a fim de mostrar a universidade como parceira para a construção de novas realidades. Também foi exibido um trailer do documentário sobre os trabalhos desenvolvidos, que será disponibilizado em 2018.

 

Sobre o Ciclo Preparatório

O Ciclo Preparatório PUCRS conta com sete encontros, que se configuram em um espaço de reflexão na comunidade acadêmica. Cada evento busca discutir algum dos temas centrais abordados pela Cres. Ao final da programação, será elaborada uma carta manifesto sobre a Educação Superior, com as contribuições e reflexões dos representantes da Universidade. A Cres será realizada em junho, na Cidade de Córdoba (Argentina), promovido pelo Instituto Internacional da Unesco para a Educação Superior na América Latina e no Caribe (Iesalc-Unesco).

O primeiro encontro, em 16 de novembro, abordou o contexto do sistema educativo, sua relação com a qualidade e os desafios postos para fortalecer a capacidade institucional de ser responsável por aumentar os níveis de qualidade em suas funções e tarefas. A agenda completa está disponível no site do Cres.