Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Prorrogada até 31 de março exposição itinerante do Museu da PUCRS no Iguatemi

Espaços receberam mais de 21 mil visitantes durante quase dois meses

Por: Redação Ascom

03/03/2017 - 15h06
PUCRS no Iguatemi

Foto: Bruno Todeschini – Ascom/PUCRS

Foi prorrogada até 31 de março a exposição itinerante do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS no shopping Iguatemi. Além do espaço do MCT, que fica no 3º andar, próximo à Praça de Alimentação, permanece também no shopping um outro espaço da Universidade, no 1º andar, com diversas atrações. Desde 16 de janeiro, quando começou a exposição, até o dia 28 de fevereiro, mais de 21 mil pessoas visitaram os locais, em uma média de 500 pessoas por dia interagindo com equipamentos como o Giroscópio Humano, semelhante ao utilizado pela Nasa para treinamento de astronautas, que possibilita ao usuário a sensação de driblar a gravidade, e o Planetário Inflável, com uma série de projeções que duram cerca de 20 minutos cada e simulam os movimentos dos astros no céu, sendo possível descobrir a posição das estrelas, das constelações, dos planetas, da Lua e do Sol no céu na cidade de Porto Alegre.

Também está à disposição do público uma réplica de crânio de Dicinodonte, um herbívoro que viveu no Rio Grande do Sul há aproximadamente 234 milhões de anos, tinha cerca de 4 metros de comprimento e 400 quilos. O crânio exposto tem 60 centímetros. Outro experimento é a Madeira Fóssil, que mostra o processo chamado de fossilização ou petrificação de plantas, que pode levar milhões de anos para acontecer. São caules silicificados da planta Araucarioxylon, comuns nas regiões de Mata e São Pedro do Sul, no interior do Estado, que abriga vestígios de pinheiros fossilizados, datados do final do período Triássico, em torno de 220 milhões de anos atrás. As medidas são 0.84m de comprimento, por 2,23m de profundidade, com 1,00 m de altura. A Eletrização por Atrito é outro experimento, que mostra ao visitante fenômenos físicos como a polarização e a transferência de cargas elétricas, o que explica porque podemos “dar choques” quando caminhamos sobre carpetes ou abrimos a porta do carro. O equipamento tem o diâmetro de 1,40m e a altura de 0,80m.

No espaço do 1º andar há a Harpa Laser, instrumento musical eletrônico que, em vez de cordas, utiliza raios laser que, quando bloqueados, criam sons de forma análoga à harpa tradicional. Também é possível interagir e caminhar pelo Campus e pelo Museu em 360° com um óculos de realidade virtual.