Pesquisadoras da PUCRS são destaque na plataforma Open Box da Ciência

Carla Bonan, Gabrielle Sarlet, Iná dos Santos, Patrícia Grossi e Maria Martha Campos aparecem em plataforma inédita

09/03/2020 - 08h00

Open Box da CiênciaO projeto Open Box da Ciência, lançado em fevereiro, trouxe um levantamento inédito sobre mulheres na ciência, mapeando as 250 pesquisadoras mais influentes das áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Exatas e da Terra, Engenharias, Ciências Biológicas e Ciências da Saúde. Cinco pesquisadoras da PUCRS integram a lista: a pró-reitora de pesquisa e pós-graduação Carla Bonan  (Escola de Ciências da Saúde e da Vida) e as professoras Iná da Silva dos Santos (Escola de Medicina), Maria Martha Campos (Escola de Ciências da Saúde e da Vida) e Patrícia Krieger Grossi (Escola de Humanidades). Também figura na lista a professora Gabrielle Bezerra Sales Sarlet, que realizou pós-doutorado na PUCRS entre 2016 e 2018 e neste semestre passa a integrar o quadro de professores da Instituição.

O Open Box da Ciência foi uma iniciativa da Gênero e Número (organização de mídia no Brasil orientada por dados para qualificar o debate sobre equidade de gênero) e tem como objetivo dar visibilidade à atuação de mulheres no meio científico nacional. As pesquisas e os perfis das pesquisadoras estão reunidos em uma plataforma digital, de conteúdo aberto e interativo, com visualizações de dados e reportagens que narram suas trajetórias a partir de um recorte de gênero, indicando referências femininas para chegar a esse lugar de destaque e revelando desafios vencidos.

Elas estão alcançando cada vez mais espaços na área de Ciência e Tecnologia

Para chegar ao grupo, foi aplicada uma metodologia de extração e análise de dados da plataforma Lattes. Usando critérios da Capes para conceder bolsas de apoio à pesquisa, um algoritmo foi desenvolvido para listar todas as pesquisadoras com doutorado.

Para a Diretora de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq) Fernanda Morrone, o levantamento é muito importante, pois dá visibilidade a pesquisa de excelência desenvolvida por cientistas brasileiras, trazendo novos dados sobre a presença feminina e a importância do desenvolvimento de estratégias que aumentem representatividade da mulher no ambiente acadêmico.