Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Live de Cabeceira promove entrevistas online com escritores

Transmissões acontecem pelo canal da PUCRS no YouTube, onde permanecerão disponíveis para acesso

04/05/2020 - 14h39
live de cabeceira,pucrs cultura

José Luís Peixoto será o primeiro convidado, nesta quarta-feira / Foto: Patricia Pinto

Instituto de Cultura tem como uma de suas marcas a promoção de encontros entre leitores e escritores da cena literária contemporânea e, mesmo no período de afastamento social, não poderia deixar de lado essa prática. Sendo assim, dá início, neste mês de maio, à série Live de Cabeceira, que promove entrevistas online e ao vivo com autores do Brasil e do mundo.  

O projeto, que estreia nesta quarta-feira, dia 6 de maio, acontece semanalmente, sempre às quartas-feiras, às 18h, no canal da PUCRS no YouTube. Após a transmissão, os vídeos seguem disponíveis para acesso. Com mediação do escritor Reginaldo Pujol Filho, os convidados discutem o atual momento e refletem sobre a força da literatura, fazendo recomendações de livros e realizando a leitura de trechos de contos, romances e poemas.  

Sobre o mediador 

Reginaldo Pujol Filho é autor dos livros Não, não é bem isso (2019), Só faltou o título (2015), Quero ser Reginaldo Pujol Filho (2010) e Azar do personagem (2007). É doutor e mestre em Escrita Criativa pela PUCRS e tem pós-graduação em Artes da Escrita pela Universidade Nova de Lisboa. Escreve ensaios, críticas e resenhas para veículos como Folha de SP, O Globo, Zero Hora, Suplemento Pernambuco, entre outros. Ministra cursos e workshops de literatura e escrita criativa. 

Serviço 

Data: 6, 13, 20 e 27 de maio

Local: Canal do Youtube da PUCRS 

Horário: 18h 

Confira a programação de Maio 

6/5 – José Luís Peixoto 

Nasceu em Galveias, em 1974. É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, foi traduzida em um vasto número de idiomas e é estudada em universidades de diversos países. Com Nenhum olha” (2000), recebeu o Prêmio Literário José Saramago (2001); com Cemitério de Pianos (2006), o Prêmio CálamoOtra Mirada (2007); com Livro (2012), o Prêmio Libro d’Europa (2013); com Galveias (2014), o Prêmio Oceanos (2016).

13/5 – Maria Valéria Rezende 

Nasceu em Santos (SP), em 1942, e vive na Paraíba desde 1976. É escritora de ficção e poesia e tradutora, tendo publicado seu primeiro livro, Vasto Mundo, no ano de 2001. O seu romance O voo da guará vermelha (2005) foi publicado em Portugal, França e Espanha. Desde 1960, dedica-se à Educação Popular em diferentes regiões do Brasil e no exterior; além disso, participa do Movimento Mulherio das Letras, que teve sua primeira edição em 2017, em João Pessoa (PB). Ganhou o Prêmio Jabuti nas categorias Infantil (2009), Juvenil (2013), Romance e Livro do Ano de Ficção (2015). Recebeu, também, o Prêmio Casa de las Américas (2017) e o Prêmio São Paulo de Literatura (2017). 

20/5 – Ondjaki 

Nasceu em Luanda, em 1977. É poeta e prosador, contando com traduções de sua obra em diversas línguas, como francês, inglês, alemão, italiano, espanhol e chinês. Além disso, sua trajetória artística passa pela atuação teatral e pela pintura. Em 2006, foi um dos realizadores do documentário Oxalá cresçam pitangas – histórias de Luanda. É membro da União dos Escritores Angolanos e da Associação Protectora do Anonimato dos Gambuzinos. Com o livro Os da Minha Rua (2007), recebeu o Grande Prêmio de Conto Camilo Castelo Branco (2007); na Etiópia, recebeu o prêmio Grinzane de melhor escritor africano de 2008; com AvóDezanove e o Segredo do Soviético (2008), ganhou a Categoria Juvenil do Prêmio Jabuti (2010); com Os Transparentes (2012), recebeu o Prémio Literário José Saramago (2013).

27/5 – Marília Garcia 

Nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1979. É escritora e tradutora, tendo publicado, entre outros, os livros, Um teste de resistores (2014) e Câmera Lenta (2017), que ganhou o Prêmio Oceanos de Língua Portuguesa (2018). Mantém uma coluna mensal no blog da Companhia das letras.