Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Curso de História Bacharelado

1. Dados do Curso
Curso: História Bacharelado Currículo Vigente: 9102
CARGA HORÁRIA 2520
CRÉDITOS 154
DURAÇÃO 8 semestres
TURNO manha / tarde
VAGAS Vagas 1° semestre 60 (Licenciatura/ Bacharelado)
Vagas 2° semestre 60 (Licenciatura/ Bacharelado)
DISCIPLINAS ELETIVAS: total de créditos no curso 360
ATIVIDADES COMPLEMENTARES: total de horas no curso 120
ESTÁGIO: Carga horária total do Estágio 210
ATOS LEGAIS DO CURSO
Ato de aprovação do currículo em vigor (PUCRS) Resolução nº 59 Data 12/09/2019
Ato do último reconhecimento do curso (MEC) Portaria nº 919 D.O.U 28/12/2018
Diretrizes Curriculares Nacionais vigentes Resolução CNE/CES nº 13 D.O.U 13/03/2002
2. Perfil do Egresso

   O perfil de estudantes formados pela Escola de Humanidades deve contemplar contribuições para o desenvolvimento pessoal e profissional, pautado em referenciais humanísticos que fomentam a formação ética, cidadã, crítica e integral dos estudantes da PUCRS, com base em:

  • reflexão ética sobre a condição humana;
  • humanitas como compreensão de ser humano integral;
  • conceito de diálogo/e empatia como possibilidade de mediação;
  • concepção de pessoa e profissional que atuará com a diversidade de segmentos sociais;
  • racionalidade entre prática e teoria, enquanto ser humano que se pensa a partir do outro;
  • fundamentos do cuidado do ser humano e do meio ambiente;

   Nesse sentido, a Escola de Humanidades busca formar profissionais críticos, que tenham incorporado os valores Maristas, da profissão a que estão vinculados e o compromisso com a sociedade. A formação dos profissionais é direcionada para a construção da centralidade dos valores e dos princípios que defendem a condição humana, pressupondo os mais variados conhecimentos, habilidades, atitudes, postura, ética, na defesa da liberdade, da inclusão, dos direitos, do respeito à vida em todos os sentidos.

   Os pressupostos de base para construção deste perfil estão pautados em referenciais dos fundamentos da Escola de Humanidades:

  • concepção do que é a identidade do ser humano;
  • reflexão ética sobre a condição humana;
  • opção em ter o humanitas como objeto de estudo;
  • conceito do diálogo como possibilidade de mediação;
  • racionalidade entre a teoria e a prática.

   Esses pressupostos, por sua vez, fomentam a caminhada do estudante em busca da sua formação, onde os percursos formativos constituem-se como o grande horizonte a  ser  buscado: “um percurso formativo pode ser genericamente  denominado de ‘curso’. Mas, ao contrário da visão tradicional de curso – como entidade unívoca de vinculação do estudante organizada de forma vertical e especializada -, pressupõe uma lógica de organização baseada na combinação de estruturas formativas, garantindo ao estudante maior autonomia e flexibilidade para construção do seu projeto formativo” (Projeto Estratégico PUCRS 2016/2022).

   A Escola de Humanidades constitui-se como referência epistemológica, possibilitando que cada curso construa o perfil profissional a partir do seu projeto ético político, de sua identidade e de sua proposta de formação, alinhada aos  pressupostos  e centralidade  na  formação  humanística, ética, crítica e integral.

   Já no que se refere ao profissional formado no Curso de Bacharelado em História deve apresentar competências e habilidades que lhe permitam atuar como historiador – enquanto produtor de conhecimento histórico, em todas as suas dimensões, atendendo as demandas de produção, prática e difusão deste conhecimento e as necessidades de discussão da sociedade em geral sobre o seu trajeto histórico, suas memórias, sua relação com o passado-presente e seu patrimônio histórico-cultural. Neste sentido, será área de atuação de um graduado em Bacharelado em História: a pesquisa acadêmica e a divulgação apropriada do conhecimento produzido na área, a preservação do patrimônio histórico-cultural, a assessorias e atividades públicas e privadas nos setores culturais, artísticos e turísticos; em museus e centros de documentação púbicos e privados; no serviços de comunicação social, bem como a criação de bancos de dados, organização de arquivos e outras atividades de preservação e gestão da informação. Sobre as funções a serem exercidas, deve-se salientar que atuará em ações voltadas para a divulgação dos atrativos culturais e do conhecimento sobre o Patrimônio Cultural em meio urbano e rural. Deve atuar de forma ética e responsável na defesa do Patrimônio Cultural, identificando e inventariando bens culturais. Deverá ser capacitado para produzir conhecimento crítico, autoral e reflexivo sobre os saberes e fazeres de diferentes etnias. Poderá compor equipes na elaboração de projetos de pesquisa, dossiês e laudos quanto ao Patrimônio Cultural, visando sua identificação, reconhecimento e preservação. Igualmente, poderá desenvolver ações educativas junto a professores, comunidade escolar (crianças, jovens e adultos) e comunidade em geral. Poderá tratar das análises de Paisagens Culturais pretéritas e recentes. Poderá atuar em instituições (público e privadas) como técnico pesquisador em assuntos culturais, na curadoria de exposições e guarda e curadoria de  acervos (pessoais, empresariais, públicos).

   Além disso, deve-se considerar que a produção do saber histórico possibilita a ampliação e o enriquecimento da memória da sociedade. Os historiadores não se limitam a utilizar a memória da sociedade como fonte de suas atividades, mas contribuem de maneira extraordinária a construir e reconstruir continuamente esta memória. Na medida em que produzem continuamente saberes, acrescentam novas páginas de conhecimento à memória de nossa sociedade. Esta é uma atividade da maior responsabilidade social que podemos e devemos mensurar e avaliar sempre como uma das funções mais importantes dentre as diversas que os historiadores desempenham. Nas últimas décadas, a produção intelectual dos historiadores mudou em profundidade e em amplitude, assim como as modalidades de escrita da História, pelo surgimento de novos territórios a serem explorados através pesquisa, devido aos novos objetivos, visando a temáticas originais e pela riqueza das novas abordagens. O historiador, na verdade, não descobre, mas constrói fatos históricos, devendo apresentar ao público especializado e ao não especialista o esquema interpretativo no qual ele insere o passado vivido, deixando claros os seus procedimentos narrativos e os recursos metodológicos e teóricos empregados. Decorre aí a importância de uma formação profissional, voltada não apenas para os aspectos técnicos, mas éticos e humanistas.

   Por fim, pensa-se um profissional graduado em História como alguém inserido e em sintonia com a sociedade onde irá atuar e desempenhar suas funções, seja como pesquisador ou como autor do seu próprio futuro, preparando uma nova universidade e a nova geração. Muitas das atividades que uma universidade comunitária desenvolve, como é o caso da PUCRS, estão relacionadas a populações em situação de risco, às quais se dá apoio graças à atuação de professores e alunos. Estas iniciativas podem ocorrer em diversas áreas, colocando à disposição da comunidade não apenas os elementos infraestruturais da instituição, mas também o saber dos professores, alunos e técnicos. É também responsabilidade social dos historiadores compreender que temos compromissos com a sociedade extramuros, mas suas relações com ela são de outra dimensão. A sociedade busca na História uma forma de inteligibilidade que não está apenas interessada no passado, mas intenta igualmente compreender as vicissitudes e os dramas pelos quais passamos nas últimas décadas: “na intersecção da memória – para aqueles que viveram aquele tempo – e na história – para as gerações que aprenderam esses dramas nos livros, mas que observam em toda parte suas marcas abrasadoras”. Esta é uma função do historiador relacionada à cidadania, a serviço da qual colocamos, eticamente, as nossas capacidades de análise crítica das realidades históricas do passado remoto e do nosso presente. O historiador é chamado a se posicionar face “ao mundo que o cerca, mas para ele o caminho é estreito quando precisa defender um lugar e definir sua missão relativamente aos mitos, aos preconceitos e às deformações da consciência coletiva e da memória comum. Sem perder de vista que ele próprio contribui para a elaboração dessa consciência e dessa memória, uma vez que nisso consiste uma de suas funções vitais na sociedade”.

3. Forma de Acesso ao Curso

   Os candidatos aos cursos da PUCRS podem valer-se das seguintes modalidades de acesso: Concurso Vestibular, Vestibular Complementar, Transferência, Ingresso mediante diploma de curso superior ou PROUNI. Existe, também, a possibilidade de ingresso como estudante-convênio, dentro do limite de vagas estabelecido no respectivo convênio. A mudança de curso por reopção poderá ser solicitada pelo aluno mediante oferta prevista em edital, e poderá ser concedida, na existência de vaga, pelo Coordenador do curso a que está vinculado o curso pretendido.

VEJA AQUI MAIS INFORMAÇÕES SOBRE AS FORMAS DE ACESSO AO CURSO

4. Sistema de avaliação do processo de ensino e aprendizagem

   O sistema de avaliação é estabelecido conforme o Regimento Geral da PUCRS.

ESTATUTO E REGIMENTO GERAL

5. Estágio Curricular
6. Curriculo Completo
Nome da Disciplina
Carga Horária
Nível
Demografia e Sustentabilidade
60
1

Disciplina em implantação

História, Tempo e Memória
60
1

Disciplina em implantação

Leitura e Produção Textual
60
1

Disciplina em implantação

Leituras de Brasil
60
1

Disciplina em implantação

Questão Social e Transformações Societárias
60
1

Disciplina em implantação

História Medieval
60
2

Disciplina em implantação

História da América Pré-Colonial
60
2

Disciplina em implantação

História da Antiguidade
60
2

Disciplina em implantação

Introdução À Pesquisa em Humanidades
60
2

Disciplina em implantação

Arqueologia Histórica e Arqueologia Urbana
60
3

Disciplina em implantação

História Ibero-Americana
60
3

Disciplina em implantação

História Moderna
60
3

Disciplina em implantação

História do Brasil Colonial
60
3

Disciplina em implantação

Estágio de Pesquisa em Fontes Visuais (60h)
60
4

Disciplina em implantação

Filosofia e Ética Geral
60
4

Disciplina em implantação

Hist. Contemporânea (Era das Revoluções)
60
4

Disciplina em implantação

História do Brasil Monárquico
60
4

Disciplina em implantação

Patrimônio, Cultura e Paisagens Culturais
60
4

Disciplina em implantação

Estágio de Pesquisa em Fontes Orais (60h)
60
5

Disciplina em implantação

História Contemporânea (Século xx)
60
5

Disciplina em implantação

História da América Contemporânea
60
5

Disciplina em implantação

Humanismo e Cultura Religiosa
60
5

Disciplina em implantação

Políticas de Preservação do Patrimônio Cultural
30
5

Disciplina em implantação

Estágio de Pesquisa em Fontes Escritas (90h)
90
6

Disciplina em implantação

História do Brasil Republicano (1890 - 1970)
60
6

Disciplina em implantação

História e Historiografia
60
6

Disciplina em implantação

Oficina de Análise Social
30
6

Disciplina em implantação

Seminário Integrador I: Temas do Brasil Contemporâneo
90
6

Disciplina em implantação

Arqueologia Pública: Ações Educativas para o Patrimônio
60
7

Disciplina em implantação

História do Brasil na Transição Democrática (1980 - 2010)
30
7

Disciplina em implantação

Monografia (Projeto)
30
7

Disciplina em implantação

Seminário Integrador Ii: Temas de Mundo Contemporâneo
90
7

Disciplina em implantação

Acervo e Documentação
60
8

Disciplina em implantação

Atividades Complementares
120
8

Disciplina em implantação

Disciplina Eletiva
360
8

Disciplina eletiva: o horário da disciplina e o docente que a lecionará, dependera da escolha feita pelo aluno no momento de sua matrícula.

Monografia (Redação)
30
8

Disciplina em implantação

Patrimônio e Roteiros Culturais
60
8

Disciplina em implantação

Dados atualizados até 22/09/2020