Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Curso de Engenharia de Produção

1. Dados do Curso
Curso: Engenharia de Produção Currículo Vigente: 4458
CARGA HORÁRIA 3760
CRÉDITOS 232
DURAÇÃO 10 semestres
TURNO noite
VAGAS Vagas 1° semestre 60
Vagas 2° semestre 60
DISCIPLINAS ELETIVAS: total de carga horária no curso 120
ATIVIDADES COMPLEMENTARES: total de horas no curso 120
ESTÁGIO: Carga horária total do Estágio 190
ATOS LEGAIS DO CURSO
Ato de aprovação do currículo em vigor (PUCRS) Resolução nº 18 Data 30/11/2006
Ato do último reconhecimento do curso (MEC) Portaria nº 1.095 D.O.U 30/12/2015
Diretrizes Curriculares Nacionais vigentes Resolução CNE/CES nº 11 D.O.U 11/03/2002
2. Perfil do Egresso

O perfil de profissional pretendido deve primar pela sólida formação nos princípios técnico-científicos inerentes à Engenharia. Mais especificamente, espera-se que o egresso venha a ser capaz de identificar, formular e solucionar problemas ligados às atividades de projeto, operação e gestão dos recursos produtivos de sistemas de produção de bens e serviços, considerando seus aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

O engenheiro da produção é o gestor da parte técnica de uma organização. Por ter formação generalista quanto aos processos de fabricação, não se pretende que venha a dominar profundamente o funcionamento de máquinas e equipamentos, mas estar capacitado a estabelecer os métodos de organização e controle dos mesmos, bem como dos recursos humanos associados à sua operação. Assim, o foco de sua formação residirá no conhecimento de ferramentas de análise da eficiência de utilização dos recursos de produção, bem como de ferramentas que permitam a organização mais otimizada e racional desses. Tais ferramentas poderão abranger desde instrumentos de natureza matemática (com especial ênfase à área de Estatística), até ferramentas de análise e formalização da estrutura de pensamento e de conhecimento técnico-organizacional.

Atentos, ainda, ao perfil esperado do egresso constante à Resolução nº 11/02 CNE/CES e à característica de formação cristã-humanística provida historicamente pela PUCRS, será incentivada a participação do aluno em todas as atividades extracurriculares que ensejem o fortalecimento do engajamento do aluno como cidadão conscientemente atuante na sociedade.

Quanto às competências específicas, o Engenheiro da Produção deve ser capaz de:

  • dimensionar e integrar recursos físicos, humanos, financeiros, ambientais e organizacionais, a fim de
    permitir que estes produzam, com a máxima eficiência, considerando a possibilidade de melhorias
    contínuas;
  • utilizar conhecimentos de matemática e estatística para modelar sistemas de produção e auxiliar na
    tomada de decisões;
  • conceber, implementar e aperfeiçoar sistemas, produtos e processos, dentro dos limites de atuação da
    área de Engenharia de Produção, levando em consideração o contexto técnico, ético e social da sua
    aplicação;
  • prever e analisar demandas, selecionar tecnologias e know-how, projetando produtos e processos de
    produção ou melhorando suas características e funcionalidades;
  • incorporar conceitos e técnicas da qualidade em todo o sistema produtivo, tanto nos seus aspectos
    tecnológicos, quanto organizacionais, aprimorando produtos e processos, e produzindo normas e
    procedimentos de controle e auditoria;
  • acompanhar os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço da demanda das
    empresas e da sociedade;
  • compreender a interação dos sistemas de produção com o meio ambiente, tanto no que se refere à utilização de recursos escassos, quanto à disposição final de resíduos e rejeitos, atentando para a exigência de sustentabilidade;
  • utilizar e estruturar indicadores de desempenho, bem como avaliar a viabilidade econômica e financeira de projetos;
  • gerenciar e otimizar o fluxo de informação nas empresas utilizando tecnologias adequadas.

Quanto às habilidades, o Engenheiro de Produção deve possuir as seguintes capacidades:

  • comunicação oral e escrita;
  • leitura, interpretação e expressão por meios gráficos;
  • visão crítica de ordens de grandeza;
  • domínio de técnicas computacionais;
  • conhecimento básico da legislação profissional e empresarial vigente;
  • trabalhar em equipes multidisciplinares;
  • identificar, modelar e resolver problemas;
  • compreensão dos problemas administrativos, sócio-econômicos e do meio ambiente;
  • pensar globalmente, agir localmente.

Quanto às questões atitudinais, o Engenheiro de Produção deve ter:

  • compromisso com a ética profissional;
  • iniciativa empreendedora;
  • disposição para auto-aprendizado e educação continuada;
  • responsabilidade social e ambiental.
3. Forma de Acesso ao Curso

FORMA DE ACESSO AO CURSO

O acesso aos cursos de graduação da Universidade dá-se mediante processo seletivo, com fundamento no Regimento Geral da PUCRS, cabendo à Câmara de Graduação e Pós-Graduação fixar as normas do referido processo.

Os candidatos aos cursos da PUCRS podem valer-se das seguintes modalidades de acesso: Concurso Vestibular, Vestibular Complementar, transferência, ingresso mediante diploma de curso superior ou PROUNI. Existe, também, a possibilidade de ingresso como estudante-convênio, dentro do limite de vagas estabelecido no respectivo convênio. A mudança de curso por reopção do aluno pode ser concedida, na existência de vaga, pelo Diretor da Faculdade a que está vinculado o curso pretendido.

O detalhamento das normas para o Concurso Vestibular é publicado por meio de edital, do qual se destacam os seguintes tópicos:

As inscrições ao Concurso Vestibular são oferecidas a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente, ou a portadores de diploma de conclusão de curso superior oficial ou reconhecido.

O critério que orienta a seleção dos candidatos é a verificação de capacidades e habilidades intelectuais, nos níveis de conhecimento, compreensão, aplicação e análise. A prova de Língua Portuguesa consta de questões objetivas e de uma questão de redação. As demais provas são objetivas, com questões de múltipla escolha sobre conteúdos específicos. Todas as provas visam verificar as capacidades e habilidades intelectuais do candidato, sendo que, a cada candidato, numa dada disciplina, corresponde um escore bruto e um escore padronizado.

Devido à determinação expressa na Portaria MEC nº 391, de 7 de fevereiro de 2002, candidatos que obtiverem grau zero na redação estarão automaticamente eliminados do Concurso Vestibular. Assim sendo, o mínimo que o candidato deve obter para concorrer a uma vaga na Universidade é a nota 1.

Para cada candidato é calculada a média aritmética ponderada dos seus escores padronizados, considerando-se, para isso, os pesos indicados em tabela constante no Manual do Candidato, que variam de acordo com o curso escolhido. A classificação, visando ao preenchimento das vagas de um curso, é baseada na ordem decrescente das médias obtidas pelos candidatos. Se ocorrer algum empate e não houver possibilidade de aproveitar todos os envolvidos, o desempate será efetuado mediante o emprego da média harmônica dos escores padronizados.

Encerrado o prazo estabelecido para as matrículas de 1ª chamada do Concurso Vestibular e constatado o não comparecimento de candidatos classificados, serão chamados outros candidatos relacionados em lista de espera condicionada às vagas existentes, levando-se em conta os mesmos critérios de classificação já expressos.

No caso de existência de vagas remanescentes após concluído todo o processo de matrículas relativo ao Concurso Vestibular, será realizado Vestibular Complementar, independente, constituído de prova única de redação.

O preenchimento das vagas referente ao Programa Universidade para Todos (PROUNI), instituído pela Lei nº 11.096/2005, é feito com base na classificação do ENEM, fornecida pelo Ministério da Educação.

4. Sistema de avaliação do processo de ensino e aprendizagem

De acordo com o Regimento Geral da PUCRS, o sistema de avaliação define-se conforme extrato do artigo descrito abaixo:

Art. 68.  O aproveitamento escolar do aluno em uma disciplina, no semestre, é expresso por um grau de 0 (zero) a 10,0 (dez), com uma casa decimal, denominado G1.
§ 1o  A forma de obtenção do grau G1 é definida no projeto pedagógico do curso e no plano de ensino de cada disciplina.
§ 2o  O grau G1 é expressão da aprendizagem obtida por meio de instrumentos e procedimentos como um conjunto de verificações, exercícios, trabalhos teórico-práticos, projetos e/ou atividades, relatórios, de acordo com as peculiaridades da disciplina.
§ 3o  O docente responsável pela disciplina deve apresentar aos alunos, no primeiro dia de atividades letivas de cada semestre, os critérios e as modalidades de instrumentos de avaliação e a forma de cálculo para obtenção do grau G1, juntamente com o cronograma da disciplina.
§ 4o  Os critérios de avaliação e a forma de cálculo de obtenção do grau G1 não podem ser alterados durante o semestre.

5. Estágio Curricular

Nos diversos currículos figuram atividades orientadas, as quais constituem um trabalho no qual o docente atua efetivamente como um tutor seja em termos de iniciação científica, de supervisão de estágio, de integração de conhecimentos e outros. Nos currículos em vigor, tais atividades estão em desenvolvimento nas disciplinas de Estágio Supervisionado, Trabalho de Integração e Trabalho de Conclusão. De acordo com a legislação vigente e com as diretrizes curriculares para cursos de Engenharia, será exigido estágio em empresas/instituições com apresentação de relatório técnico final e com carga horária mínima de 160 horas comprovadas documentalmente.

O estágio é supervisionado pelos docentes. Para o desenvolvimento destas atividades, repensadas para esta proposta de reestruturação curricular, compõe-se um grupo de orientação sob uma coordenação geral, sendo que a indicação de professores orientadores deverá seguir o dinamismo necessário face às especificidades temáticas dos assuntos a serem desenvolvidos com base em estágios realizados fora do ambiente acadêmico e tipicamente relacionados com a atividade profissional. A tipologia a ser adotada deverá abrigar doze alunos sob orientação de um docente para cada hora semanal de atendimento (modulação 1/12), assim como será alocada mais 1 hora semanal para um professor desempenhar o gerenciamento do processo.

Há que considerar o caráter supervisionado da atividade prevista nas Diretrizes Curriculares dos cursos de Engenharia (MEC – 03/2002) e o pressuposto do aporte financeiro, para cobertura de despesas decorrentes. Ao final do Estágio deve ser efetuada uma Monografia/Relatório e uma apresentação a uma banca constituída por três professores de áreas afins que examinarão o trabalho do ponto de vista estrutural, teórico, científico e integratório de conhecimentos. Desta forma será emitido um grau final coletivo a respeito do aludido trabalho.
Sempre que possível será oportunizada a participação de um avaliador externo com reconhecido conhecimento na área desenvolvida.

6. Curriculo Completo
Nome da Disciplina
Carga Horária
Nível
Cálculo I
60
1

Disciplina em implantação

Desenho Técnico
60
1

Disciplina em implantação

Estatistica Descritiva
30
1

Disciplina em implantação

Fundamentos de Economia para Engenharia
30
1

Disciplina em implantação

Gestão Empresarial para Engenharia
30
1

Disciplina em implantação

Introducao A Engenharia da Producao
30
1

Disciplina em implantação

Química Geral
60
1

Disciplina em implantação

Ciência dos Materiais
60
2

Disciplina em implantação

Computação e Solução de Problemas I
60
2

Disciplina em implantação

Cálculo II
60
2

Disciplina em implantação

Economia para Engenharia
30
2

Disciplina em implantação

Mecânica Fundamental
60
2

Disciplina em implantação

Organizacao Empresarial para Engenharia
30
2

Disciplina em implantação

Planejamento Empresarial para Engenharia
60
2

Disciplina em implantação

Cálculo Diferencial e Integral III
30
3

Disciplina em implantação

Desenho Técnico II
30
3

Disciplina em implantação

Eletromagnetismo
60
3

Disciplina em implantação

Engenharia Econômica
30
3

Disciplina em implantação

Gestao de Materiais
60
3

Disciplina em implantação

Mecânica dos Sólidos
60
3

Disciplina em implantação

Processos de Fabricacao Intermitente I
60
3

Disciplina em implantação

Álgebra Linear e Geometria Analítica
60
3

Disciplina em implantação

Cálculo Numérico A
60
4

Disciplina em implantação

Engenharia Economica II
30
4

Disciplina em implantação

Gestao de Energia Eletrica
30
4

Disciplina em implantação

Mecânica dos Fluidos
60
4

Disciplina em implantação

Probabilidade
60
4

Disciplina em implantação

Processos de Fabricacao Intermitente II
30
4

Disciplina em implantação

Sistemas da Qualidade I
30
4

Disciplina em implantação

Termologia e Fluidos
60
4

Disciplina em implantação

Desenho Tecnico III - P
60
5

Disciplina em implantação

Engenharia e Segurança do Trabalho
30
5

Disciplina em implantação

Estatistica Inferencial
60
5

Disciplina em implantação

Ondas e Física Moderna
60
5

Disciplina em implantação

Pesquisa Operacional I
60
5

Disciplina em implantação

Planejamento do Produto
60
5

Disciplina em implantação

Processos de Fabricacao Continua
60
5

Disciplina em implantação

Diagnost. e Solucao de Probl. na Producao
30
6

Disciplina em implantação

Engenharia Ambiental I
30
6

Disciplina em implantação

Ergonomia
60
6

Disciplina em implantação

Estatística Avançada
60
6

Disciplina em implantação

Gestão do Conhecimento Empresarial
30
6

Disciplina em implantação

Planejamento e Controle da Producao
60
6

Disciplina em implantação

Ética e Exercicio Profissional da Engenharia
30
6

Disciplina em implantação

Custos da Producao I
60
7

Disciplina em implantação

Disciplinas Eletivas
120
7

Disciplina em implantação

Pesquisa Operacional II
60
7

Disciplina em implantação

Pratica em Engenharia de Producao I
30
7

Disciplina em implantação

Projeto de Experimentos
60
7

Disciplina em implantação

Qualidade Dimensional
30
7

Disciplina em implantação

Sistemas Integrados de Fabricacao
30
7

Disciplina em implantação

Controle Estatistico da Qualidade
60
8

Disciplina em implantação

Engenharia do Produto
60
8

Disciplina em implantação

Estagio Supervisionado - Ep (190 Hrs)
190
8

Disciplina em implantação

Humanismo e Cultura Religiosa
60
8

Disciplina em implantação

Logística dos Processos Produtivos
60
8

Disciplina em implantação

Producao Enxuta
60
8

Disciplina em implantação

Sistemas da Qualidade II
30
8

Disciplina em implantação

Atividades Complementares (120 Horas)
120
9

Disciplina em implantação

Custos da Producao II
60
9

Disciplina em implantação

Gestao de Servicos Agregados
30
9

Disciplina em implantação

Modelagem e Simul. de Sistemas de Prod.
60
9

Disciplina em implantação

Pratica em Engenharia de Producao II
30
9

Disciplina em implantação

Sistemas de Informacao e Apoio A Decisao
60
9

Disciplina em implantação

Ética e Cidadania
60
9

Disciplina em implantação

Avaliacao do Desempenho da Producao
60
10

Disciplina em implantação

Empreendedorismo para Engenheiros
30
10

Disciplina em implantação

Engenharia da Manutencao
60
10

Disciplina em implantação

Etica Empresarial para Engenharia
30
10

Disciplina em implantação

Gestao Ambiental II
30
10

Disciplina em implantação

Gestao do Desenvolvimento de Produtos
60
10

Disciplina em implantação

Gestão de Projetos
30
10

Disciplina em implantação

Trabalho de Conclusao de Curso - Ep
30
10

Disciplina em implantação

Dados atualizados até 26/11/2020