Coleção de Mamíferos

Apresentação

A coleção científica de mamíferos mantém em seu acervo importante parcela da biodiversidade brasileira. São peles taxidermizadas (“empalhadas”) de diferentes espécies de mamíferos na forma de “múmias”, esqueletos e/ou tecidos que, além de subsidiar pesquisas em taxonomia, sistemática e genética, testemunham a riqueza de mamíferos e a história de um local. Isto porque a cada indivíduo da coleção está associado uma localidade, uma data de coleta e um coletor. Como parte do patrimônio da biodiversidade brasileira os espécimes da coleção de mamíferos têm que ser permanentemente cuidados para nunca deteriorar e este é um dos papéis do curador.

 

Equipe

Carla Suertegaray Fontana

[email protected]

Alcance geográfico

A coleção de mamíferos possui uma ampla representação geográfica, sendo predominantemente de mamíferos do sul do Brasil, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, havendo também alguns representantes do Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Pará, Minas Gerais, Pernambuco e Bahia. Existem exemplares de espécies ameaçadas, endêmicas e raras. Existem também materiais de espécimes de mamíferos marinhos, porém em menor proporção do que espécimes terrestres.

Principais grupos

O grupo melhor representado é da ordem Carnivora, havendo 386 espécimes. Em destaque estão as famílias Canidae, Felidae, Mephitidae, Mustelidae e Procyonidae. Além de muitos felídeos, existe uma boa representatividade de Alouatta guariba/clamitans muito comuns no Rio Grande do Sul, assim como Dasypus novemcinctus. Outros bem representados são das ordens Chiroptera, Edentata, Marsupialia, Carnivora e Primata.

A coleção e o estado do RS

A coleção guarda informação sobre a biodiversidade de mamíferos do Estado do Rio Grande do Sul, bem como do Brasil, sendo uma fonte de pesquisa para alunos de pós-graduação, professores e pesquisadores da área de Mastozoologia. O acervo, entre outros aspectos, é uma fonte fundamental de consulta para o conhecimento da distribuição das espécies ameaçadas, ou com problemas de conservação para o estabelecimento de Planos de Ação e outras políticas públicas para a conservação de espécies a nível nacional e regional. A coleção, e a consequente pesquisa gerada a partir de seu acervo, é uma referência no Estado para pesquisas na área de Mastozoologia, divulgando a Universidade e o Rio Grande do Sul para o resto do mundo. A importância da coleção vem crescendo anualmente, o que pode ser verificado através do número de pesquisadores interessados e no aumento das citações do material aqui depositado em publicações científicas envolvendo ou com base no acervo. Entre os projetos de relevância nacional que utilizaram o material do acervo pode-se citar o projeto DNA Barcode.