Práticas Adaptativas Culturais Brasil-Austrália

Altere o idioma para inglês

Brasil e Austrália têm dezenas de milhares de anos de interação humana com seus ambientes únicos e variados. A dinâmica desses grupos indígenas e a pluralidade de vozes de seus descendentes contemporâneos são essenciais para explorar a complexa relação entre ecossistemas naturais, adaptação humana e modificação do meio ambiente, história e cosmologia. Ou, dito de outra maneira: “como vemos e cuidamos de nossos lugares no mundo”. Ao comparar duas narrativas amplas, únicas e diversas da interação indígena com o meio ambiente, no Brasil e na Austrália, podemos ilustrar a complexidade da adaptação humana e aprender lições aplicáveis sobre nosso relacionamento com o meio ambiente e a sociedade contemporânea.

Arqueologia, Antropologia e História são disciplinas essenciais para compreender e explicar como essas dinâmicas ocorreram em partes específicas do mundo. Os seguintes módulos “adaptativos” apresentados aqui como estudos de caso, procuram entender as sociedades indígenas de ambos os países. Pois, comparando alguns detalhes e contando pequenas histórias, podemos ver mais claramente como as diferentes condições ambientais influenciam as escolhas culturais tomadas e como, por sua vez, os relacionamentos culturais influenciam os comportamentos adaptativos no futuro. É, sem dúvida, um processo fascinante que tem uma longa história e uma complexa inter-relação entre os mais diversos agentes que está se desenrolando no nosso planeta nesse exato momento.

Módulos de Comparação
(Clique no módulo comparativo de sua escolha para fazer a seleção):

  • Linguagem
• Abertura
• Diversidade linguística no limite
• A linguagem como um guia para a história

  • Relações Humano-Animal
• Apresentação
• O “warpiri” da ecologia social Yarralin
• O multinaturalismo das relações amazônicas

  • Arquitetura
• Entrada
• Brazil’s mound constructions
• Indigenous architecture in the contemporary world

  • O Uso do Fogo
• Ignição
• Origens mitológicas do fogo
• Os donos mitológicos do fogo
• Fogo como um sinal
• Fogo domesticado
• Fogo como utensílio

  • Alimentação: comer e beber
• Aperitivo
• Boas-vindas
• Hábitos e a preparação de alimentos
• Gênero e a preparação de alimentos
• O ensopado de pimenta
• A mandioca
• Pão de mandioca (beiju)
• Cerveja de mandioca (Cauim)

  • Floresta e Árvores
• Implantação
• A araucária, árvore fundamental da Mata Atlântica
• O eucalipto – árvore internacional de celebridades da Austrália

  • Infância
• Iniciação
• Histórias contadas em areia dos povos Anangu

  • Medicina

• Diagnóstico

  • Música
• Ouverture
• O didgeridoo – instrumento cósmico da Austrália
• O canto nativo com um propósito

  • Relações Humano-Caninas
• Anúncio
• O dingo – o cão icônico e cativante da Austrália
• Canis familiaris no Brasil

  • Pedra como referência e utensílio
• Apresentação
• Materiais diferentes – atividades diferentes
• Uso de pedras pelos homens
• Uso de pedras pelas mulheres
• Kodja – o machado de pedra australiano

  • Guerra e resistência
• Apresentação
• Guerras de fronteira da Austrália
• A guerra Guaranítica

  • Jogos do Eugênio
• Alimentação: comer e beber
• O uso do fogo pelos indígenas
• Pedra como referência

  • Conversas do Eugênio
• Cultura Indígena Brasil e Austrália
• Humanos e Cães
• Música


ESTUDOS DE CASO: adaptações culturais e comparações

 

Linguagem:

Abertura

Diversidade linguística no limite

A linguagem como um guia para a história

Relações Humano-Animal:

Apresentação

O “warpiri” da ecologia social Yarralin

O multinaturalismo das relações amazônicas

Arquitetura:

Entrada

Construções de montículos do Brasil

Arquitetura indígena no mundo contemporâneo

O uso do fogo:

 

Ignição

Origens mitológicas do fogo

Os donos mitológicos do fogo

Fogo como um sinal

Fogo domesticado

Fogo como utensílio

Alimentação: comer e beber

Aperitivo

Boas-vindas

Hábitos alimentares

Gênero e a preparação de alimentos

O ensopado de pimenta

A mandioca

Pão de mandioca (beiju)

Cerveja de mandioca (Cauim)

FLORESTA E ÁRVORES:

Implantação

A araucária, a árvore fundamental da Mata Atlântica

O eucalipto - árvore internacional de celebridades da Austrália

Infância:

Iniciação

Histórias contadas em areia dos povos Anangu

Medicina:

Diagnóstico

Musica:

Abertura

O didgeridoo - instrumento cósmico da Austrália

O canto nativo com um propósito

Relações humano-caninas:

Anúncio

O dingo - o cão icônico e cativante da Austrália

Canis familiaris no Brasil

Pedra como referência e utensilio:

Conceito

Materiais diferentes - atividades diferentes

Uso de pedras pelos homens

Uso de pedras pelas mulheres

Kodja - o machado de pedra australiano

Guerra e resistência:

Apresentação

Guerras de fronteira da Austrália

A Guerra Guaranítica

Jogos do Eugênio:

Alimentação: comer e beber

O uso do fogo pelos indígenas

Pedra como referência

Conversas do Eugênio:

Cultura Indígena Brasil e Austrália

Humanos e Cães

Música

Pesquisa e produção de conteúdo:

Prof. Dr. Klaus Hilbert

Doutor pelo Instituto de Pré e Proto-História da Philipps Universität Marburg. Professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Escola de Humanidades PUCRS, arqueólogo e curador da coleção de Arqueologia MCT-PUCRS

 

John Gabriel O’Donnell

Graduado em “Latin American Studies” pelo Evergreen State College”, Mestrado em História Ibero-Americana pelo Programa de Pós-Graduação em História da PUCRS e  doutorando do PPGH/PUCRS.

 

Assessoria Científica:

Dr Robert Mason

Acting Deputy Head of School (Research) | School of Humanities, Languages and Social Science | Griffith University Acting Deputy Director | Griffith Centre for Social and Cultural Research

President, Association of Iberian and Latin American Studies of Australasia | ailasa.org