02/03/2021 - 15h27

Mais Abelhas nasce para aumentar as populações de abelhas nativas

A spin-off é uma resposta positiva para o declínio das populações de abelhas, com a produção sustentável e a comercialização de abelhas sem ferrão

Mais abelhas

Foto: Divulgação

A Mais Abelhas, integrante do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), nasceu com o objetivo de incentivar a criação de abelhas nativas em casa. A iniciativa surgiu a partir das motivações de Betina Blochtein, professora e pesquisadora da Escola de Ciências da Saúde e da Vida da PUCRS, e de Charles Fernando dos Santos, pesquisador e pós-doutorando na Universidade. Em 2018, a dupla conquistou o primeiro lugar no Startup Garage, programa de modelagem de negócios do Tecnopuc, garantindo o incentivo para dar início a Mais Abelhas e trabalhar com a comercialização de abelhas nativas.

A spin-off (ou empresa derivada, denominação para uma nova empresa que nasceu a partir de um grupo de pesquisa de uma empresa, universidade ou centro de pesquisa) é uma resposta positiva ao declínio das populações de abelhas, causado  por desmatamentos, uso de defensivos agrícolas, urbanização e outros fatores. Diante da situação, a Mais Abelhas investe na criação de abelhas nativas, comercializando espécies que possuem ferrão atrofiado. As abelhas sem ferrão polinizam as flores e as suas colônias não dependem de cuidados para sobreviver. “Isso contribui para o meio ambiente. Com mais abelhas nos espaços urbanos e rurais as pessoas podem se conectar mais com a natureza. Ter uma colmeia em casa desperta a atenção para as plantas e flores ao seu redor. E também aumentam os cuidados para se evitar o uso de produtos tóxicos, como inseticidas, por exemplo”, explica Betina.

A spin-off brasileira é pioneira na criação de rainhas em laboratório para a produção comercial de colmeias de abelhas sem ferrão para ambientes urbanos, explica Betina. As duas espécies produzidas pela Mais Abelhas, a jataí (Tetragonisca fiebrigi) e a mirim (Plebeia droryana) não oferecem risco. “Elas não ferroam e não beliscam. Elas são muito mansas, nativas e urbanas”.  Betina explica que, ao estarem bem instaladas, não é preciso fazer muito. “Elas visitam as flores, limpam as próprias “casas”, fazem tudo. Não é trabalhoso e sentimos bem-estar por contribuir com um meio ambiente melhor. Ter colmeias de abelhas sem ferrão é uma maneira ativa de enfrentar problemas ambientais globais”, enfatiza. As colmeias podem ser instaladas em jardins ou sacadas, desde que protegidas do sol e da chuva.

Além das colmeias, a Mais Abelhas também oferece “hotéis para abelhas solitárias”. Esses hotéis são destinados às abelhas que não vivem em colônias, para auxiliar na conservação desses insetos. Estas não produzem mel, mas proporcionam a alegria de hospedar importantes polinizadores naturais.

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias