09/12/2020 - 14h03

Desafios e gamificação de atividades físicas são apostas do Sinq App

Estudantes da Apple Developer Academy criam aplicativo para incentivar a prática de exercícios físicos

Foi para incentivar uma rotina de exercícios físicos, por meio de desafios e da gamificação das atividades, que o Sinq App foi pensado. O aplicativo foi desenvolvido por cinco estudantes da Apple Developer Academy, programa do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) que é fruto de uma colaboração entre Instituto Eldorado e a Escola Politécnica da PUCRS, em parceria com a Apple. 

O Sinq, que é direcionado a usuários do Apple Watch e iPhone, foi produzido durante a pandemia e tem a proposta de motivar os usuários a manter o hábito do exercício. “O Sinq tem como objetivo tornar essa rotina saudável e instigar os usuários a se superarem sem tornar o exercício físico uma obrigação. Diversão é um dos pilares, por isso, optamos por utilizar um carismático dinossauro como símbolo, o Dino. Ele é um companheiro virtual que acompanha e motiva a praticar atividades todos os dias de uma forma divertida e natural”, explica Fábio Teixeira, um dos desenvolvedores do Sinq.

Os desafios, que podem ser passos, calorias, minutos de exercício ou completar os Rings do Apple Watch, como explica Fábio, são concluídos quando o usuário atinge a meta proposta. Ao final de cada desafio, o aplicativo disponibiliza uma recompensa ao usuário. “Você recebe desafios diários e semanais de atividade física e é recompensado por finalizar cada um deles. Ao completar um desafio você ganha moedas que podem ser trocadas por itens para equipar o Dino, o companheiro virtual”, conta Fábio.

O Sinq também apresenta um sistema de ranking. Com ele, é possível visualizar o engajamento dos usuários do aplicativo. Fábio explica que um dos principais obstáculos foi, justamente, pensar no processo de gamificação dos exercícios físicos. “Nosso principal desafio foi encontrar uma solução que ajudasse as pessoas a se manterem saudáveis através da gamificação. O ponto crítico foi pensar em um método que gerasse engajamento por meio das atividades a serem realizadas. Foi desafiador gerar uma competitividade saudável entre os outros jogadores”, ressalta. 

A equipe, que é formada por Fábio Teixeira, Eduardo Renani, Rodrigo Giglio, Matheus Fogiato e Daniela Reis, trabalhou no desenvolvimento do aplicativo remotamente. Mas, apesar disso, o bom fluxo de trabalho é um dos pontos destacados pelo grupo. “Conseguimos manter um canal aberto de comunicação diária. Dessa forma, mantivemos uma transparência constante na definição do escopo, desenvolvimento, teste e aprimoramentos” , contam. 

Desenvolvido nos últimos cinco meses, o Sinq já está disponível na AppStore, mas, mesmo assim, o grupo ainda procura por novas ideias para o aplicativo. “Continuamos buscando ideias e novas tecnologias para incrementar o app e já estamos trabalhando em atualizações utilizando ferramentas como Realidade Aumentada e Widgets. Vemos muito potencial de crescimento no mercado de aplicativos que envolvam o Apple Watch e as oportunidades para os pioneiros neste segmento com certeza são amplas”, destaca Fábio.

 

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias