03/12/2020 - 13h46

Palma Sistemas é a campeã do BRDE Labs

Mário Steffen, CEO da Palma | Foto: Eduardo Dalbem/Tecnopuc

A Palma Sistemas, startup que integra o ecossistema do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), e está no Health Plus Innovation Center, ambiente do Parque em parceria com a Grow+, ficou em 1º lugar no BRDE Labs, programa criado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). No Rio Grande do Sul, o programa foi coordenado pela aceleradora VENTIUR, com o apoio das três universidades que integram a Aliança para Inovação através de seus parques tecnológicos – UFRGS (Zenit), PUCRS (Tecnopuc) e UNISINOS (Tecnosinos). 

A trajetória da Palma

Mário Steffen, CEO da Palma, conta que participar do BRDE Labs foi uma experiência fantástica. “Trabalhamos com soluções para hospitais e, no início do ano, tínhamos vários projetos negociados, mas os hospitais foram forçados a trocar suas prioridades quando iniciou a pandemia. Um cliente nos disse: eu sei que vocês podem nos ajudar, mas precisamos tratar dos doentes. Não venham aqui, pois não queremos que vocês fiquem doentes também”. Com as portas dos clientes fechadas, a equipe decidiu qualificar o grupo e os produtos, para alcançarem mais oportunidades depois do fim da pandemia. No meio do ano inscreveram a startup no BRDE Labs. “Desde o processo seletivo fomos estimulados a nos desafiar, e isso nos fez pensar em nossos conceitos e processos. Antes do BRDE Labs, estávamos focados em soluções de IoT para a saúde, mas hoje, após o programa, abrimos o nosso leque de mercados-alvo”, explica Mário. 

Ele ainda salienta que a equipe já tinha experiência com mentorias de vários tipos, mas os mentores escolhidos pelo BRDE e pela Ventiur eram diferenciados. Além da experiência, trouxeram casos práticos para as reuniões. “O volume de reuniões geradas no programa era bastante grande, e isso nos levou a envolver vários sócios, o que foi ótimo. Temos reuniões entre os sócios aos sábados pela manhã, e nelas discutíamos os assuntos tratados nas mentorias e como poderíamos aproveitá-los na empresa. Usamos várias delas para estruturar alguns  processos, como o funil de vendas e a maneira como conduzimos projetos piloto nos clientes, por exemplo”, complementa Mário. 

O CEO ainda conta que nos primeiros dias do programa, o time do BRDE Labs apresentou a startup para uma empresa muito grande, fora da área da saúde, que hoje, depois de meses de trabalho, é o maior cliente da Palma. “Saímos do BRDE Labs fortalecidos como empresa e como grupo”, finaliza Mário.

O ecossistema de inovação 

A Gestora de Operações e Empreendedorismo do Tecnopuc, Flávia Fiorin, afirma que a Palma mostra a força que um ecossistema de inovação tem ao apoiar negócios de impacto, com destaque para a área da saúde neste caso. “Estamos muito orgulhosos de fazer parte dessa história e ter a Palma como parceira. Acompanhamos o desenvolvimento da empresa e temos a certeza de que ela é um exemplo de como a colaboração faz a diferença no desenvolvimento dos negócios e tecnologias que impactam a sociedade”, enfatiza Flavia.

O Health Plus Innovation Center está inserido no contexto do Biohub, uma iniciativa da Universidade, por meio do Hospital São Lucas (HSL), das Escolas da PUCRS, do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (Inscer), e do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc). Cíntia Becker, coordenadora do Biohub, comenta: “A Palma é um case incrível de conexão do ecossistema, pois eles estão no Health Plus Innovation Center, no Tecnopuc, e puderam vivenciar um programa de aceleração promovido pelo BRDE, pela Ventiur e pela Aliança para Inovação. A união de todas as instituições e empresas para apoiar empresas como a Palma faz a diferença na área da saúde, principalmente em um ano como 2020, que fez com que todos ressignificassem seus produtos e propósitos”. 

O Head do Health Plus Innovation Center, Cristiano Englert, explica que o HPIC sempre teve a intenção de buscar startups que possam transformar a saúde no dia a dia e em momentos importantes como esse que estamos vivendo, em plena pandemia. “A Palma é uma das startups instaladas em nosso ecossistema, utilizando tecnologias como IOT (internet das coisas) para avaliar e medir dados de dispensadores de álcool gel, tão importantes para evitar infecções em ambientes hospitalares, além de plataformas que propiciam melhor gerenciamento de fluxos e processos , otimizando tempo e levando maior eficiência dentro do hospital”. 

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias