5 dicas: ações diárias para reduzir a ansiedade

Professor Wagner de Lara Machado, docente da Escola de Ciências da Saúde e da Vida, dá sugestões de práticas que auxiliam quem se sente ansioso

27/08/2020 - 16h00
reduzir a ansiedade, 5 dicas

Ações diárias como o autocuidado podem auxiliar a reduzir a ansiedade / Foto: iStock

O Brasil está entre os países com mais pessoas ansiosano mundo. De acordo com um relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a ansiedade atinge mais de 18 milhões de brasileiros. A pandemia provocada pela Covid-19 também gera impactos significativos na saúde mental da população. Um estudo publicado em maio deste ano pela Organização das Nações Unidas (ONU) destacou que há necessidade de aumento nos investimentos em serviços de auxílio psicológico, devido a maior ocorrência de sintomas de depressão e ansiedade em diversos países. 

Para auxiliar quem se sente ansioso, o professor Wagner de Lara Machado, docente da Escola de Ciências da Saúde e da Vida, reuniu cinco dicas de ações diárias. Confira: 

1. Autocuidado: pratique meditação, busque dormir bem e identifique momentos em que você precisa uma pausa para cuidar de si mesmo. Há exercícios (como os de respiração, por exemplo) que auxiliam no controle de crises de ansiedade e no desenvolvimento de um foco no presente, no “aqui e agora”. Além disso, essas práticas auxiliam a desenvolver uma “leitura” de seus estados internos (pensamentos e emoções) e seus sinais corporais (coração acelerado, suor, tremores). 

2. Aceitação: nem tudo está sob nosso controle,procure aceitar isso. Compreender esse fato pode eliminar boa parte das fontes de nossa ansiedade e frustração. Entenda que há momentos em que você está ansioso/a, mas você não é sua ansiedade. Não exija de si mesmo a perfeiçãoBusque estabelecer metas em que você consiga dar um passo de cada vez. Valorize seus pequenos avanços. Compartilhe com alguém que você tenha intimidade os seus planos e as suas vitórias em relação ao manejo de sua ansiedade. 

3. Autoconhecimento: aprenda com sua ansiedade. Identifique as situações ou estímulos que deixam você ansioso/a ou muito estressado/a. Uma boa dica é anotar pensamentos e os sentimentos que se seguem. Aos poucos você passa a entender melhor seu funcionamento e pode ir modificando seus pensamentos. Você começará a examiná-los e questionar o quão são justificáveis. Nesta etapa, considerar uma ajuda profissional é fundamental. 

Leia também: 5 dicas: como praticar o autoconhecimento 

4. Bons hábitos: reduza alimentos com cafeína, açúcar, estimulantes e industrializados. Eles podem ser um “gatilho químico” para a ansiedade, ativando em excesso seu sistema nervoso. Faça exercícios físicos regularmente. Entre tantos outros benefícios, a prática de exercícios auxilia na regulação das emoções. 

5. Cultive o que há de melhor em você: conheça suas habilidades e procure ampliá-las e desenvolvê-las. Reconheça a melhor versão de si mesmo e trabalhe para cultivá-la. Estudos indicam que se envolver em atividades voluntárias, exercitar a gratidão e o otimismo (esperar os melhores resultados mediante engajamento nas tarefas), envolver-se em atividades que geram absorção (concentração, dedicação) e afetos positivos (alegria, realização, tranquilidade) promovem a saúde diminuem significativamente os efeitos de problemas como a ansiedade. 

Sobre o docente 

Wagner de Lara Machado é professor da graduação e do PPG em Psicologia da Escola de Ciências da Saúde e da Vida da PUCRS e um dos coordenadores gerais da Força-Tarefa PsiCOVIDa. 

Saiba mais: PsiCOVIDa: conhecimento científico a favor do bem-estar 

Compartilhe

Outras notícias Veja todas as notícias

  • Últimas publicadas
  • Mais lidas