11/05/2020 - 17h40

Pandemia requer cuidados sem interromper o tratamento contra o câncer

Apesar da preocupação com o covid-19, diferentes enfermidades permanecem necessitando de assistência

Diante de um cenário de constante mudanças no combate ao coronavírus no país, outras enfermidades seguem precisando de assistência integral. Dessa forma, o Serviço de Oncologia do Hospital São Lucas da PUCRS mantém a agenda de tratamentos com seus pacientes seguindo normas de sociedades internacionais e da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

Os recursos terapêuticos são efetuados de forma multidisciplinar e integrada, abrangendo profissionais de diferentes especialidades que aplicam o conhecimento gerado também na Escola de Medicina da PUCRS, reconhecida por sua relevância na pesquisa. Atualmente, essa rotina é conduzida de forma adaptada à prevenção ao covid-19, prevendo fluxos diferentes de circulação das equipes em contato com casos suspeitos ou confirmados. Outra medida importante adotada no HSL é na avaliação de sintomas suspeitos antes da execução do tratamento, que é extremamente relevante e tem sido feita de forma rotineira.

Como orientação geral, tratamentos oncológicos devem ser continuados, destaca o chefe da Oncologia, Dr. André Fay. Nesse novo momento, a condição particular prevê redobrar os cuidados diários, que são: manter isolamento social, lavar as mãos corretamente e preservar uma distância adequada nas interações, de cerca de dois metros, com aponta o Ministério da Saúde. Fay destaca ainda que em caso de dúvidas, é importante consultar o profissional que acompanha o caso de forma individualizada.

O chefe da Oncologia do HSL responde algumas perguntas importantes:

– O paciente do Serviço de Oncologia deve interromper o seu tratamento?
Não, o paciente deve discutir com seu médico sobre a continuidade do tratamento. Como orientação geral, tratamentos oncológicos devem ser continuados. Principalmente aqueles tratamentos com intuito curativo.
– E quanto às consultas de acompanhamento?
Da mesma forma, é importante manter a agenda de acompanhamento médico. Em pacientes selecionados, a telemedicina é uma ferramenta bastante útil para evitar a exposição.

– Como o HSL se adaptou para acolher essas pessoas?
Além de diminuir a circulação de pessoas no ambiente hospitalar, reduzindo para a permanência de apenas um acompanhante, o Hospital restringiu alguns fluxos. Por exemplo: equipes em contato com casos suspeitos ou confirmados de covid-19 não compartilham ambientes com outras equipes e utilizam EPIs de forma adequado. O treinamento da equipe tem sido realizado continuamente.

– Há medidas preventivas mais rígidas para os pacientes em tratamento?
É importante seguir as orientações médicas específicas e reforçar as medidas de cuidado geral, que são: evitar ambientes fechados e aglomerações, manter o isolamento social, evitar tocar nos olhos, nariz e boca, lavar as mãos corretamente e constantemente, além de preservar uma distância adequada nas interações, de cerca de dois metros, com aponta o Ministério da Saúde. Alguns tratamentos estão associados a um maior risco de imunosupressão. Nestes casos, medida preventivas devem ser intensificadas.

– As pessoas próximas ou familiares precisam ter quais cuidados?
Familiares próximos ao paciente também devem seguir as mesmas medidas de cuidado para evitar a o risco de infecção do paciente.

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias