09/06/2020 - 18h13

Professor é contemplado em edital para jovens pesquisadores

rodrigo_coelho_barros

O projeto de Barros é ambicioso no sentido que tenta atacar as principais questões em aberto da área de redes neurais. Crédito: Ascom

O professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Rodrigo Barros foi um dos 23 jovens pesquisadores selecionados pela 3ª chamada pública de apoio à ciência do Instituto Serrapilheira. Os contemplados receberão até R$ 100 mil cada, para investir em seus projetos nas áreas de ciências naturais, ciência da computação e matemática. 

O projeto de Barros, intitulado IA para o bem-estar social: construção de redes neurais justas, explicáveis, resistentes a fatores de confusão e com supervisão limitada foca em uma área específica de Inteligência Artificial (IA): a área de redes neurais (comumente chamada de deep learning, ou aprendizado profundo). 

Redes neurais são sistemas de computação com nós interconectados que funcionam como os neurônios do cérebro humano. Usando algoritmos, elas podem reconhecer padrões escondidos e correlações em dados brutos, agrupá-los e classificá-los, e – com o tempo – aprender e melhorar continuamente.

O objetivo principal do projeto contemplado será verificar a possibilidade de se construir abordagens de redes neurais para problemas ligados ao bem-estar social. Saúde, educação e aquecimento global são temáticas que deverão ser abordadas durante a execução do projeto.

Tecnologia a serviço da sociedade 

O projeto de Barros é ambicioso no sentido que tenta atacar as principais questões em aberto da área de redes neurais. Busca-se saber questões como desenvolver redes neurais robustas, como garantir que o modelo a partir de dados existentes apresente algum grau de fairness (justiça), como aprender como as redes neurais estão de fato aprendendo e como aprender sobre as bases de dados que possuam pouca quantidade de supervisão (anotação) por parte de seres humanos.

De acordo com o pesquisador, o foco central do projeto é o potencial impacto social que pode gerar. “Ao atacar os maiores desafios da área de redes neurais, buscaremos centralizar as soluções desenvolvidas para áreas como análise de imagens médicas de tórax para auxiliar na pandemia da Covid-19, bem como entender e aprender os principais fatores por trás de um dos maiores desafios da história da humanidade, que é o aquecimento global”, adiciona.

Com o valor recebido no edital, Rodrigo Barros conta que investirá em bolsas de doutorado e mestrado, com o objetivo de incentivar jovens talentos de seu grupo de pesquisa a trabalharem com alguns dos maiores desafios enfrentados na área. Além disso, um grupo de pesquisa de IA para o bem-estar social deve ser criado, com o objetivo de tornar a PUCRS uma referência na área.  

Compartilhe

Leia Mais Veja todas