Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Curso de Matemática

1. Dados do Curso
Curso: Matemática Currículo Vigente: 4111
CARGA HORÁRIA 2850
CRÉDITOS 160
DURAÇÃO 8 semestres
TURNO
VAGAS Vagas 1° semestre
Vagas 2° semestre
DISCIPLINAS ELETIVAS: total de carga horária no curso 180
ATIVIDADES COMPLEMENTARES: total de horas no curso 200
ESTÁGIO: Carga horária total do Estágio 400
ATOS LEGAIS DO CURSO
Ato de aprovação do currículo em vigor (PUCRS) Resolução nº 5 Data
Ato do último reconhecimento do curso (MEC) Portaria nº 1.095 D.O.U 30/12/2015
Diretrizes Curriculares Nacionais vigentes Resolução CNE/CES nº 3 D.O.U 18/02/2003
2. Perfil do Egresso

O perfil do egresso do Curso de Licenciatura em Matemática deve ser de um profissional que demonstre compreender e utilizar os conhecimentos matemáticos na modelagem de situações reais, no desenvolvimento de pesquisas, na interpretação de dados e resolução de problemas, interligando os vários campos dessa ciência com outras áreas do conhecimento, destacando sua competência para trabalhar conceitos abstratos.

O graduado pelos Cursos de Matemática da PUCRS deve ter características essenciais, como a de ser um profissional dinâmico e criativo, que tenha capacidade de expressar-se, por escrito e oralmente, com clareza, precisão e objetividade, e que seja capaz de trabalhar em equipes multidisciplinares e exercer liderança. Para atender as necessidades da sociedade em que está inserido, deve ser competente para desenvolver suas ações, com elevado senso ético e visualizar de forma abrangente o papel social da matemática, valorizando o grupo onde vai atuar e também sua profissão. Além disso, o egresso deve refletir e teorizar sobre sua prática buscando um aperfeiçoamento constante, comprometendo-se com a sua formação permanente.

Para desempenhar seu papel no processo de ensino e aprendizagem, o Licenciado em Matemática deve apresentar competências e habilidades que lhe permitam exercer o magistério do Ensino Fundamental e Médio. Em especial, pode-se citar a transposição didática dos saberes matemáticos para o nível em que vai atuar, o estabelecimento de objetivos para o ensino e a avaliação da aprendizagem dos seus alunos segundo esses objetivos, bem como a capacidade de compreender, criticar e utilizar novas ideias matemáticas, pedagógicas e tecnológicas. Também deve ser capaz de mobilizar um tipo de ensino em que o aluno seja o agente de sua própria aprendizagem e o professor, o mediador deste processo, o que caracteriza a educação pela pesquisa.

O egresso do Curso de Licenciatura em Matemática deve ver a matemática de forma histórica e crítica, tanto no estado atual como nas várias fases de sua evolução, identificando concepções de matemática e de seu ensino. Deve fazer a leitura da realidade, respeitando as peculiaridades da escola e dos alunos, ao planejar procedimentos de ensino e de avaliação, bem como identificar os problemas na comunidade em que está inserido e propor alternativas para solucioná-los.

3. Forma de Acesso ao Curso

FORMA DE ACESSO AO CURSO

O acesso aos cursos de graduação da Universidade dá-se mediante processo seletivo, com fundamento no Regimento Geral da PUCRS, cabendo à Câmara de Graduação e Pós-Graduação fixar as normas do referido processo.

Os candidatos aos cursos da PUCRS podem valer-se das seguintes modalidades de acesso: Concurso Vestibular, Vestibular Complementar, transferência, ingresso mediante diploma de curso superior ou PROUNI. Existe, também, a possibilidade de ingresso como estudante-convênio, dentro do limite de vagas estabelecido no respectivo convênio. A mudança de curso por reopção do aluno pode ser concedida, na existência de vaga, pelo Diretor da Faculdade a que está vinculado o curso pretendido.

O detalhamento das normas para o Concurso Vestibular é publicado por meio de edital, do qual se destacam os seguintes tópicos:

As inscrições ao Concurso Vestibular são oferecidas a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente, ou a portadores de diploma de conclusão de curso superior oficial ou reconhecido.

O critério que orienta a seleção dos candidatos é a verificação de capacidades e habilidades intelectuais, nos níveis de conhecimento, compreensão, aplicação e análise. A prova de Língua Portuguesa consta de questões objetivas e de uma questão de redação. As demais provas são objetivas, com questões de múltipla escolha sobre conteúdos específicos. Todas as provas visam verificar as capacidades e habilidades intelectuais do candidato, sendo que, a cada candidato, numa dada disciplina, corresponde um escore bruto e um escore padronizado.

Devido à determinação expressa na Portaria MEC nº 391, de 7 de fevereiro de 2002, candidatos que obtiverem grau zero na redação estarão automaticamente eliminados do Concurso Vestibular. Assim sendo, o mínimo que o candidato deve obter para concorrer a uma vaga na Universidade é a nota 1.

Para cada candidato é calculada a média aritmética ponderada dos seus escores padronizados, considerando-se, para isso, os pesos indicados em tabela constante no Manual do Candidato, que variam de acordo com o curso escolhido. A classificação, visando ao preenchimento das vagas de um curso, é baseada na ordem decrescente das médias obtidas pelos candidatos. Se ocorrer algum empate e não houver possibilidade de aproveitar todos os envolvidos, o desempate será efetuado mediante o emprego da média harmônica dos escores padronizados.

Encerrado o prazo estabelecido para as matrículas de 1ª chamada do Concurso Vestibular e constatado o não comparecimento de candidatos classificados, serão chamados outros candidatos relacionados em lista de espera condicionada às vagas existentes, levando-se em conta os mesmos critérios de classificação já expressos.

No caso de existência de vagas remanescentes após concluído todo o processo de matrículas relativo ao Concurso Vestibular, será realizado Vestibular Complementar, independente, constituído de prova única de redação.

O preenchimento das vagas referente ao Programa Universidade para Todos (PROUNI), instituído pela Lei nº 11.096/2005, é feito com base na classificação do ENEM, fornecida pelo Ministério da Educação.

4. Sistema de avaliação do processo de ensino e aprendizagem

 

De acordo com o Regimento Geral da PUCRS, o sistema de avaliação define-se conforme extrato do artigo descrito abaixo:

Art. 68.  O aproveitamento escolar do aluno em uma disciplina, no semestre, é expresso por um grau de 0 (zero) a 10,0 (dez), com uma casa decimal, denominado G1.
§ 1o  A forma de obtenção do grau G1 é definida no projeto pedagógico do curso e no plano de ensino de cada disciplina.
§ 2o  O grau G1 é expressão da aprendizagem obtida por meio de instrumentos e procedimentos como um conjunto de verificações, exercícios, trabalhos teórico-práticos, projetos e/ou atividades, relatórios, de acordo com as peculiaridades da disciplina.
§ 3o  O docente responsável pela disciplina deve apresentar aos alunos, no primeiro dia de atividades letivas de cada semestre, os critérios e as modalidades de instrumentos de avaliação e a forma de cálculo para obtenção do grau G1, juntamente com o cronograma da disciplina.
§ 4o  Os critérios de avaliação e a forma de cálculo de obtenção do grau G1 não podem ser alterados durante o semestre.

5. Estágio Curricular

Estágios Obrigatórios

O estágio curricular do Curso de Licenciatura em Matemática compreende atividades desenvolvidas em salas de aula das séries finais do ensino fundamental e em salas de aula do ensino médio em escolas de educação básica do município de Porto Alegre ou em organizações que promovam, em ambientes não formais, a educação de jovens e adultos. Tais atividades têm o objetivo de proporcionar, ao licenciando, a vinculação entre teoria e prática, o conhecimento da realidade em que vai atuar, a construção de saberes docentes, desenvolvendo-se como um educador consciente de sua responsabilidade socioambiental e na busca de uma sociedade justa e democrática.

De acordo com a Resolução CNE/CP Nº 02, de 19 de fevereiro de 2002, o estágio curricular da Licenciatura em Matemática é obrigatório e tem uma carga horária mínima de 400 horas, que, no curso de Licenciatura em Matemática, está distribuída em três disciplinas com seu início no sexto nível do curso. Cada disciplina realizada sob a supervisão e orientação de um professor que compõe a equipe de supervisão de estágio, tem em sua carga horária, horas a serem realizadas nos campos de estágio e horas a serem realizadas na PUCRS, onde as discussões e a troca de experiências possibilitam que se efetivem os objetivos propostos.

O currículo do Bacharelado em Matemática Empresarial não prevê Estágio Obrigatório, em conformidade com as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Matemática.

Dentre as disciplinas de estágio, optou-se por oferecer o Estágio no Ensino Médio, previsto para o oitavo semestre, na modalidade semipresencial, com 25% dos créditos a distância, tendo em vista que cabe a essa disciplina a produção individual de artigos que têm um caráter conclusivo do curso e, em especial, dos estágios. Seguindo as orientações que constam deste projeto, no que diz respeito a essa modalidade, o trabalho a distância, integrado ao presencial, será desenvolvido com recursos do ambiente virtual de ensino e aprendizagem institucional, onde serão disponibilizados textos que, discutidos em fóruns, fornecerão subsídios para a produção individual dos referidos artigos, bem como de um diário coletivo que documenta as discussões realizadas nos seminários presenciais.

Compõem a equipe de supervisão de estágio os professores responsáveis pelas disciplinas que integram o estágio do curso de Licenciatura em Matemática, os quais terão as atribuições de: orientar os alunos-estagiários em relação à elaboração do plano de estágio e em relação às dificuldades que surgirem ao longo do trabalho; estabelecer contato com as escolas com a finalidade de acompanhar o trabalho desenvolvido pelo aluno-estagiário; orientar os alunos-estagiários em relação ao conteúdo do estágio e aos relatórios; conduzir o processo de avaliação final do aluno estagiário; e orientar a elaboração de artigos que refletirão os estudos da realidade, as investigações reflexivas a partir da prática, sistematizando as aprendizagens geradas pelas pesquisas realizadas.

Tendo em vista o Plano Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática, a equipe de supervisão de estágio elaborou as Normas gerais para o Estágio Curricular Supervisionado, abaixo apresentadas, que foram aprovadas, conforme registro em ata, pelo Colegiado da Faculdade de Matemática em 28 de agosto de 2009.

Normas gerais do Estágio Curricular Supervisionado no Curso de Licenciatura em Matemática da PUCRS – Estágios Obrigatórios

Art. 1o  O Estágio Curricular Supervisionado está amparado na:
I – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996, que em seu Art. 1o , § 2o, diz “A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social”;
II – Resolução CNE/CP 2, de 19 e fevereiro de 2002, que trata da duração e da carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior, e estabelece em seu Art. 1o, inciso II, a exigência de 400 horas de estágio curricular supervisionado, a partir do início da segunda metade do curso.
Art. 2o  O Curso de Licenciatura em Matemática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul tem, em sua grade, três disciplinas de estágio curricular supervisionado, conforme ementas e carga horária a seguir:
4116P-02 Estágio: Vivências e Práticas Docentes – Nível VI
Estabelecimento de uma visão geral da realidade escolar e reflexão sobre a situação do ensino em geral e de Matemática em especial, a partir de observações, monitorias e entrevistas em escolas e da leitura de documentos oficiais e de textos atualizados sobre o tema.
Carga horária: 30 horas em sala de aula com o professor da disciplina e 50 horas no campo de estágio
4116S-04 Estágio no Ensino Fundamental – Nível VII
Preparo, realização, relato e avaliação das práticas docentes realizadas nos anos finais do ensino fundamental. Discussões e reflexões individuais e coletivas das práticas e elaboração individual de relatórios.
Carga horária: 60 horas em sala de aula com o professor da disciplina e 100 horas no campo de estágio.
4116T-04 Estágio no Ensino Médio – Nível VIII
Preparo, realização, relato e avaliação de práticas docentes no Ensino Médio. Elaboração de artigo de conclusão de Curso, expressando as pesquisas e investigações a partir de práticas docentes realizadas.
Carga horária: 60 horas em sala de aula com o professor da disciplina e 100 horas no campo de estágio.
Art. 3o A realização dos estágios mencionados no artigo anterior está condicionada à efetivação da matrícula em cada uma das disciplinas, no prazo previsto, e ao cumprimento dos requisitos estabelecidos para cada uma delas.
Art. 4o Chama-se campo de estágio o local onde o estagiário realiza suas atividades pedagógicas, com acompanhamento e supervisão do professor da disciplina de estágio ou da equipe de supervisão de estágio.
Parágrafo único. A atividade de estágio não caracteriza vínculo empregatício.
Art. 5o  São considerados campos de estágio as escolas da rede municipal, estadual ou particular do município de Porto Alegre, em que funcionem turmas de educação básica, assim como organizações que promovam educação de jovens e adultos em ambientes formais ou não formais de educação.
§ 1o  O aluno que exerça atividade docente no ensino regular, poderá, conforme a Resolução CNE/CP 2, de 19 e fevereiro de 2002, em seu Art.1o, parágrafo único, realizar parte do estágio em sua escola e em sua sala de aula. Das 250 horas previstas para serem realizadas nos campos de estágio, ele poderá ser dispensado de 150 horas.
§ 2o  Das 150 horas, 50 são referentes às realizadas no campo de estágio da disciplina Estágio: Vivências e Práticas Docentes e 100 horas referentes as do campo de estágio da disciplina a que corresponde à sua série de docência, ou seja ou Estágio no Ensino Fundamental, ou Estágio no Ensino Médio.
§ 3o  Se o aluno exercer atividade docente tanto nas séries finais do ensino fundamental como no ensino médio, deverá optar por utilizar as 100 horas em uma das disciplinas, ou Estágio no Ensino Fundamental, ou Estágio no Ensino Médio.
§ 4o  O aluno que realizar as 150 horas de estágio em sua escola e em sua sala de aula deverá ser freqüente às aulas na Universidade, cumprir as tarefas propostas pelo professor da disciplina e realizar o relatório final.
Art. 6o  Da freqüência no campo de estágio:
I – a freqüência é integral;
II – o estagiário tem direito a afastamento para tratamento de saúde (acidente ou doença), de acordo com a legislação vigente;
III – as faltas por um período superior a 15 dias serão objeto de estudos especiais por parte do Conselho Departamental da Faculdade de Matemática;
IV – as faltas deverão ser recuperadas, em qualquer caso, em atividades docentes de acordo com a natureza das disciplinas;
V – no caso de estagiária gestante, aconselha-se a realização de estágio no semestre seguinte, face a extensão do período de licença.
Art. 7o  Dos requisitos para aprovação nas disciplinas de estágio:
I – a aprovação exige G1 igual ou superior a 5,0 (cinco), não havendo realização de exame G2, devido à natureza da disciplina;
II – o relatório de estágio é obrigatório e deve ser entregue no prazo estabelecido no plano da disciplina. O não cumprimento do prazo implica reprovação do estagiário.
Parágrafo único. A elaboração do artigo de caráter conclusivo é requisito para a aprovação na disciplina Estágio no Ensino Médio.
Art. 8o  Na avaliação do estágio serão analisados os seguintes itens:
I – parecer da equipe do campo de estágio onde este foi realizado;
II – verificação teórico/prática do planejamento e do desempenho do estagiário frente às atividades de regência.
III – participação nas reuniões de estudo, de orientação pedagógica e de acompanhamento do trabalho e em atividades adicionais (palestras, seminários, oficinas, exposições, relatos de experiência, etc.);
IV – relatório de estágio;
V – auto-avaliação do aluno.
§ 1o  Na avaliação da disciplina Estágio no Ensino Médio, além dos itens citados, serão considerados o artigo individual e a participação nas atividades a distância.
§ 2o  O resultado da avaliação será analisado, individualmente, com os estagiários.
Art. 9o  São agentes na realização do estágio:
I – o aluno estagiário;
II – o professor responsável pela disciplina;
III – a equipe de supervisão de estágio, quando for o caso;
IV – a equipe do campo de estágio que acompanha as atividades do estagiário.
Art. 10.  São atribuições do estagiário:
I – apresentar-se ao professor da disciplina de estágio para receber as normas concernentes ao mesmo;
II – indicar vagas para realização do estágio;
III – apresentar-se à direção da escola, definida como campo de estágio, encaminhando a documentação específica para a realização do mesmo;
IV – informar-se dos regulamentos administrativo-técnico-pedagógicos do campo de estágio;
V – estabelecer o cronograma de atividades, de comum acordo com o professor do estágio;
VI – desenvolver as atividades relativas ao estágio, mantendo postura ético-profissional no desempenho de suas funções;
VII – participar das reuniões de planejamento das atividades curriculares e extra-curriculares, programadas pelo campo de estágio em seu horário de estágio, ou fora deste, sempre que for possível, procurando tornar sua presença efetiva na escola;
VIII – participar dos encontros programados com os professores ou supervisores do estágio para acompanhamento dos trabalhos, esclarecimentos de dúvidas ou orientação da dinâmica de estágio em geral;
IX – participar da entrevista final com o professor ou supervisor do estágio para análise do seu desempenho pedagógico.
Parágrafo único. No Estágio no Ensino Médio, também é atribuição do estagiário, participar das atividades a distância propostas na disciplina e elaborar o artigo individual.
Art. 11.  São atribuições do professor responsável pelo estágio ou da equipe de supervisão:
I – analisar e buscar soluções para problemas administrativo-técnico-pedagógicos que possam surgir durante as atividades de estágio curricular supervisionado;
II – planejar as reuniões preparatórias ao período de estágio dando conhecimento aos futuros estagiários das normas referentes ao mesmo;
III – prever, coordenar e comunicar aos alunos e professores envolvidos, todas as atividades previstas, no início de cada semestre letivo;
IV – acompanhar o estagiário ao local do estágio e realizar visitas periódicas;
V – realizar, na Faculdade, orientações sistemáticas com o grupo de estagiários sob sua responsabilidade;
VI – orientar e avaliar, periodicamente, o desempenho do estagiário;
VII – avaliar o relatório de estágio;
VIII – realizar, com o estagiário, a análise final de seu desempenho.
Parágrafo único. No Estágio no Ensino Médio, também é atribuição do professor, elaborar, acompanhar e avaliar as atividades a distância propostas na disciplina e orientar a elaboração do artigo individual.
Art. 12.  No momento da apresentação do estagiário no campo de estágio, a equipe de supervisão de estágio, juntamente com a equipe local, ajustará a forma de acompanhar as atividades do estagiário, o relato das mesmas e o preenchimento das fichas de avaliação.
Art. 13.  Os casos omissos referentes à matéria disciplinada neste documento serão resolvidos pelo Colegiado da Faculdade de Matemática.
Estágios Não Obrigatórios
Levando em conta que a matemática está inserida na maioria das situações na vida diária e que nos objetivos do curso consta que os egressos devem ter, além de sólidos conhecimentos de sua área e domínio de metodologias adequadas ao seu ensino, para o caso da Licenciatura, compreensão da realidade em que vão atuar, em seus aspectos culturais, políticos, religiosos, profissionais e sociais, entende-se que os estágios não obrigatórios podem ocorrer em qualquer instituição que se proponha a promover o crescimento pessoal nessas áreas. Assim, os estudantes terão conhecimento da realidade e, portanto, maior facilidade na contextualização quando estiverem em sala de aula ou no desenvolvimento de capacidades necessárias para trabalhar no seu campo profissional.

6. Curriculo Completo
Nome da Disciplina
Carga Horária
Nível
Fundamentos de Matemática Elementar
90
1

Disciplina em implantação

Geometria Plana
60
1

Disciplina em implantação

Iniciação A Pesquisa em Matemática
60
1

Disciplina em implantação

Matemática Discreta (Si)
30
1

Disciplina em implantação

Matemática Financeira
60
1

Disciplina em implantação

Atividades Complementares (200 Horas)
200
2

Disciplina em implantação

Cálculo I
60
2

Disciplina em implantação

Desenho Geométrico
30
2

Disciplina em implantação

Disciplinas Eletivas
180
2

Disciplina em implantação

Geometria II
60
2

Disciplina em implantação

Lógica Matemática
60
2

Disciplina em implantação

Prat. Pedagógicas em Lab. de Matemática
60
2

Disciplina em implantação

Psic. da Educação: Desenvolvimento
30
2

Disciplina em implantação

Cálculo II
60
3

Disciplina em implantação

Geometria Analítica
30
3

Disciplina em implantação

Oficina de Análise Combinatória
30
3

Disciplina em implantação

Práticas Pedagógicas em Matemática
60
3

Disciplina em implantação

Psic. da Educação: Aprendizagem
60
3

Disciplina em implantação

Álgebra A
60
3

Disciplina em implantação

Cálculo Diferencial e Integral III
30
4

Disciplina em implantação

Organização e Políticas da Educ. Básica
60
4

Disciplina em implantação

Probabilidade e Estatística
60
4

Disciplina em implantação

Rec. Tecnológicos no Ensíno de Matemática
30
4

Disciplina em implantação

Tópicos de Física Clássica
60
4

Disciplina em implantação

Álgebra B
60
4

Disciplina em implantação

Cálculo Diferencial e Integral IV
60
5

Disciplina em implantação

Didática
60
5

Disciplina em implantação

Humanismo e Cultura Religiosa
60
5

Disciplina em implantação

Metodologia de Ensino de Estatística
30
5

Disciplina em implantação

Tópicos de Física Moderna
30
5

Disciplina em implantação

Álgebra Linear
60
5

Disciplina em implantação

Estágio: Vivenc. e Prát. Docentes (80hs)
80
6

Disciplina em implantação

Introdução A Análise Matemática
60
6

Disciplina em implantação

Matemática Aplicada
60
6

Disciplina em implantação

Met. do Ens. de Matemática (Ensino Fundam.)
60
6

Disciplina em implantação

Variáveis Complexas
30
6

Disciplina em implantação

Análise Matemática
60
7

Disciplina em implantação

Cálculo Numérico A
60
7

Disciplina em implantação

Estágio do Ensino Fundamental (160 Hrs)
160
7

Disciplina em implantação

Metod. do Ens. de Matem. (Ensino Médio)
60
7

Disciplina em implantação

Estágio no Ensino Médio (160 Hrs)
160
8

Disciplina em implantação

Evolução do Pensamento Matemático
60
8

Disciplina em implantação

Língua Brasileira de Sinais
60
8

Disciplina em implantação

Ética e Cidadania
60
8

Disciplina em implantação

Dados atualizados até 26/11/2020