Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Curso de Engenharia Química

1. Dados do Curso
Curso: Engenharia Química Currículo Vigente: 4456
CARGA HORÁRIA 3970
CRÉDITOS 246
DURAÇÃO 10 semestres
TURNO noite
VAGAS Vagas 1° semestre 60
Vagas 2° semestre 60
DISCIPLINAS ELETIVAS: total de créditos no curso 120
ATIVIDADES COMPLEMENTARES: total de horas no curso 120
ESTÁGIO: Carga horária total do Estágio 190
ATOS LEGAIS DO CURSO
Ato de aprovação do currículo em vigor (PUCRS) Resolução nº 45 Data 11/12/2013
Ato do último reconhecimento do curso (MEC) Portaria nº 1.095 D.O.U 30/12/2015
Diretrizes Curriculares Nacionais vigentes Resolução CNE/CES nº 11 D.O.U 11/03/2002
2. Perfil do Egresso

Como base para elaboração do currículo, o grupo responsável pela reestruturação curricular entendeu que o primeiro passo da atividade seria a proposta do perfil do engenheiro químico desejado pela PUCRS. Para isto procedeu-se uma consulta a vários segmentos envolvidos com engenharia química: docentes, discentes, ex-alunos e profissionais atuantes na área. O grupo também pesquisou currículos de outras IES  (Instituições de Ensino Superior) nacionais e internacionais.

A consulta aos professores foi realizada tendo em vista que o profissional de engenharia química deve possuir formação técnica atuando nas seguintes fases do ciclo de vida de um processo químico: pesquisa básica e aplicada, desenvolvimento experimental, projeto básico e detalhado, implantação, produção e acompanhamento do processo, marketing e desenvolvimento do produto. Considerou-se que em cada fase, além da parte técnica, são necessárias habilidades gerenciais e comportamentais. A opinião de alunos, ex-alunos e profissionais da área foi levantada através de um instrumento de pesquisa, materializado na forma de um questionário e posterior remessa ao grupo por parte do entrevistado.

A partir das opiniões e idéias levantadas com a pesquisa, o grupo, com uma concepção interativa, interdisciplinar e contextualizada, definiu o perfil do engenheiro químico, a ser formado pela PUCRS :

O profissional de Engenharia Química deve possuir formação técnico-científica associada ao desenvolvimento humano. Como formação técnico-científica entende-se o conhecimento e a aplicação dos fundamentos de engenharia química aos diversos segmentos de atuação profissional, quais sejam, acompanhamento de processos químicos, implantação de novas unidades industriais, em atividades de pesquisa aplicada e desenvolvimento de produtos e de mercado. Quanto à parte humana, entende-se o desenvolvimento de competências e habilidades gerenciais e comportamentais que se traduzirão no saber comunicar-se; saber conviver; tomar decisões, interpretar e agir dentro dos princípios da ética, tendo em vista o contexto social e o meio ambiente.

A formação almejada pelo DEQ busca:

  • estimular a atitude crítica, criativa e investigativa no campo científico;
  • desenvolver o exercício de atividades coletivas onde então a responsabilidade é compartilhada;
  • estimular a busca do saber e da verdade em situações desafiadoras;
  • desenvolver a percepção da necessidade de atualização contínua, devido às constantes transformações do mundo;
  • focalizar a prática profissional fundamentada na ética e nos valores morais de maneira a formar o verdadeiro homem capaz de contribuir para uma melhoria contínua de qualidade de vida no nosso mundo;
  • conscientizar o profissional para a compatibilização da tecnologia com a preservação dos recursos ambientais estimulando o progresso sustentável.

Sumarizando, o que se pretende é que o engenheiro químico formado pela PUCRS possua formação profissional geral que o capacite a compreender as novas tecnologias, permitindo a sua atuação crítica e criativa na identificação, criação e resolução de problemas, considerando seus aspectos técnicos, econômicos, sociais e ambientais. Consequentemente, formar-se-á um cidadão e engenheiro capaz de interpretar o mundo que o cerca e o ambiente em que vive, visando, prioritariamente, aperfeiçoá-los e assim construir o futuro com uma dimensão maior.

3. Forma de Acesso ao Curso

FORMA DE ACESSO AO CURSO

O acesso aos cursos de graduação da Universidade dá-se mediante processo seletivo, com fundamento no Regimento Geral da PUCRS, cabendo à Câmara de Graduação e Pós-Graduação fixar as normas do referido processo.

Os candidatos aos cursos da PUCRS podem valer-se das seguintes modalidades de acesso: Concurso Vestibular, Vestibular Complementar, transferência, ingresso mediante diploma de curso superior ou PROUNI. Existe, também, a possibilidade de ingresso como estudante-convênio, dentro do limite de vagas estabelecido no respectivo convênio. A mudança de curso por reopção do aluno pode ser concedida, na existência de vaga, pelo Diretor da Faculdade a que está vinculado o curso pretendido.

O detalhamento das normas para o Concurso Vestibular é publicado por meio de edital, do qual se destacam os seguintes tópicos:

As inscrições ao Concurso Vestibular são oferecidas a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente, ou a portadores de diploma de conclusão de curso superior oficial ou reconhecido.

O critério que orienta a seleção dos candidatos é a verificação de capacidades e habilidades intelectuais, nos níveis de conhecimento, compreensão, aplicação e análise. A prova de Língua Portuguesa consta de questões objetivas e de uma questão de redação. As demais provas são objetivas, com questões de múltipla escolha sobre conteúdos específicos. Todas as provas visam verificar as capacidades e habilidades intelectuais do candidato, sendo que, a cada candidato, numa dada disciplina, corresponde um escore bruto e um escore padronizado.

Devido à determinação expressa na Portaria MEC nº 391, de 7 de fevereiro de 2002, candidatos que obtiverem grau zero na redação estarão automaticamente eliminados do Concurso Vestibular. Assim sendo, o mínimo que o candidato deve obter para concorrer a uma vaga na Universidade é a nota 1.

Para cada candidato é calculada a média aritmética ponderada dos seus escores padronizados, considerando-se, para isso, os pesos indicados em tabela constante no Manual do Candidato, que variam de acordo com o curso escolhido. A classificação, visando ao preenchimento das vagas de um curso, é baseada na ordem decrescente das médias obtidas pelos candidatos. Se ocorrer algum empate e não houver possibilidade de aproveitar todos os envolvidos, o desempate será efetuado mediante o emprego da média harmônica dos escores padronizados.

Encerrado o prazo estabelecido para as matrículas de 1ª chamada do Concurso Vestibular e constatado o não comparecimento de candidatos classificados, serão chamados outros candidatos relacionados em lista de espera condicionada às vagas existentes, levando-se em conta os mesmos critérios de classificação já expressos.

No caso de existência de vagas remanescentes após concluído todo o processo de matrículas relativo ao Concurso Vestibular, será realizado Vestibular Complementar, independente, constituído de prova única de redação.

O preenchimento das vagas referente ao Programa Universidade para Todos (PROUNI), instituído pela Lei nº 11.096/2005, é feito com base na classificação do ENEM, fornecida pelo Ministério da Educação.

4. Sistema de avaliação do processo de ensino e aprendizagem

De acordo com o Regimento Geral da PUCRS, o sistema de avaliação define-se conforme extrato do artigo descrito abaixo:

Art. 68.  O aproveitamento escolar do aluno em uma disciplina, no semestre, é expresso por um grau de 0 (zero) a 10,0 (dez), com uma casa decimal, denominado G1.
§ 1o  A forma de obtenção do grau G1 é definida no projeto pedagógico do curso e no plano de ensino de cada disciplina.
§ 2o  O grau G1 é expressão da aprendizagem obtida por meio de instrumentos e procedimentos como um conjunto de verificações, exercícios, trabalhos teórico-práticos, projetos e/ou atividades, relatórios, de acordo com as peculiaridades da disciplina.
§ 3o  O docente responsável pela disciplina deve apresentar aos alunos, no primeiro dia de atividades letivas de cada semestre, os critérios e as modalidades de instrumentos de avaliação e a forma de cálculo para obtenção do grau G1, juntamente com o cronograma da disciplina.
§ 4o  Os critérios de avaliação e a forma de cálculo de obtenção do grau G1 não podem ser alterados durante o semestre.

5. Estágio Curricular

Estágio Supervisionado – EQ e Trabalho de Integração – EQ:

 Para o desenvolvimento destas atividades, repensadas para esta proposta de reestruturação curricular, compõe-se um grupo de orientação sob uma coordenação geral, sendo que a indicação de professores orientadores deverá seguir o dinamismo necessário face às especificidades temáticas dos assuntos a serem desenvolvidos pelos alunos. As atividades das disciplinas de Estágio Supervisionado – EQ deverão ser desenvolvidas com base em estágios realizados fora do ambiente acadêmico e tipicamente relacionados com a atividade profissional. A tipologia a ser adotada deverá abrigar doze alunos sob orientação de um docente para cada hora semanal de atendimento (modulação 1/12), assim como será alocada mais 01h semanal para um professor desempenhar o gerenciamento do processo. Sob esta tipologia estão também abrigadas as disciplinas de Trabalho de Integração – EQ. Há que considerar o caráter supervisionado da atividade prevista nas Diretrizes Curriculares dos cursos de Engenharia (MEC – 03/2002) e o pressuposto do aporte financeiro, para cobertura de despesas decorrentes.

Para o desenvolvimento das atividades referentes à disciplina de Estágio Supervisionado – EQ, será elaborado um regulamento que deverá ser aprovado pelo Conselho Departamental da Faculdade de Engenharia.

6. Curriculo Completo
Nome da Disciplina
Carga Horária
Nível
Cálculo I
60
1

Disciplina em implantação

Desenho Técnico
60
1

Disciplina em implantação

Física Geral e Experimental I
90
1

Disciplina em implantação

Introducao A Engenharia Quimica
30
1

Disciplina em implantação

Química Geral I
90
1

Disciplina em implantação

Cálculo Diferencial e Integral III
30
2

Disciplina em implantação

Cálculo II
60
2

Disciplina em implantação

Desenho Técnico II
30
2

Disciplina em implantação

Engenharia de Processos
60
2

Disciplina em implantação

Física Geral e Experimental II
90
2

Disciplina em implantação

Físico - Química I
60
2

Disciplina em implantação

Álgebra Matricial
30
2

Disciplina em implantação

Cálculo Diferencial e Integral IV
60
3

Disciplina em implantação

Física Geral e Experimental III
90
3

Disciplina em implantação

Matemática Aplicada
60
3

Disciplina em implantação

Quimica Inorganica Experimental
90
3

Disciplina em implantação

Termodinamica I
90
3

Disciplina em implantação

Comunicacao Tecnica
60
4

Disciplina em implantação

Cálculo Numérico A
60
4

Disciplina em implantação

Fenomenos de Transporte I
90
4

Disciplina em implantação

Fisico - Quimica II - Eq
90
4

Disciplina em implantação

Química Orgânica Experimental I
30
4

Disciplina em implantação

Química Orgânica I
60
4

Disciplina em implantação

Fenomenos de Transporte II
90
5

Disciplina em implantação

Materiais da Industria Quimica
60
5

Disciplina em implantação

Mecanica dos Solidos
30
5

Disciplina em implantação

Metodos Numericos para Eng Quimica
60
5

Disciplina em implantação

Química Orgânica Experimental II
30
5

Disciplina em implantação

Química Orgânica II
60
5

Disciplina em implantação

Termodinamica II
60
5

Disciplina em implantação

Engenharia das Reacoes Quimicas I
60
6

Disciplina em implantação

Equipamentos de Utilidades Industriais I
60
6

Disciplina em implantação

Fenomenos de Transporte III
60
6

Disciplina em implantação

Operacoes Unitarias I
90
6

Disciplina em implantação

Planejamento e Projeto de Experimentos
90
6

Disciplina em implantação

Análise Quimica
90
7

Disciplina em implantação

Disciplinas Eletivas
120
7

Disciplina em implantação

Engenharia das Reacoes Quimicas II
60
7

Disciplina em implantação

Equipament. e Utilidades Industriais II
60
7

Disciplina em implantação

Operacoes Unitarias II
90
7

Disciplina em implantação

Trabalho de Integracao - Eq
30
7

Disciplina em implantação

Analise Instrumental - Eq
60
8

Disciplina em implantação

Analise de Investimentos - Eq
60
8

Disciplina em implantação

Dinamica de Processos
60
8

Disciplina em implantação

Engenharia Bioquimica e de Alimentos
90
8

Disciplina em implantação

Estagio Supervisionado - Eq (190 Hrs)
190
8

Disciplina em implantação

Operacoes Unitarias III
90
8

Disciplina em implantação

Avaliacao Economica de Projetos
60
9

Disciplina em implantação

Controle e Instrumentacao
90
9

Disciplina em implantação

Humanismo e Cultura Religiosa
60
9

Disciplina em implantação

Processos Industriais
60
9

Disciplina em implantação

Reatores Quimicos e Bioquimicos
90
9

Disciplina em implantação

Atividades Complementares (120 Horas)
120
10

Disciplina em implantação

Gestao de Qualidade - Eq
60
10

Disciplina em implantação

Gestao e Licenciamento Ambiental
60
10

Disciplina em implantação

Trab. de Conc. de Curso II - Eq (Proj. Proc.)
60
10

Disciplina em implantação

Trabalho de Conclusao de Curso I - Eq
30
10

Disciplina em implantação

Ética e Cidadania
60
10

Disciplina em implantação

Dados atualizados até 27/09/2020