Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Curso de Arquitetura e Urbanismo

1. Dados do Curso
Curso: Arquitetura e Urbanismo Currículo Vigente: 4804
CARGA HORÁRIA 3825
CRÉDITOS 241
DURAÇÃO 10 semestres
TURNO tarde / noite
VAGAS Vagas 1° semestre 60
Vagas 2° semestre 60
DISCIPLINAS ELETIVAS: total de créditos no curso 180
ATIVIDADES COMPLEMENTARES: total de horas no curso 120
ESTÁGIO: Carga horária total do Estágio 120
ATOS LEGAIS DO CURSO
Ato de aprovação do currículo em vigor (PUCRS) Resolução nº 18 Data 30/11/2011
Ato do último reconhecimento do curso (MEC) Portaria nº 286 D.O.U 27/12/2012
Diretrizes Curriculares Nacionais vigentes Resolução CNE/CES nº 2 D.O.U 17/06/2010
2. Perfil do Egresso

A concepção pedagógica do Curso de Arquitetura e Urbanismo centra-se na formação de profissionais capazes de satisfazer, por meio de projetos de edificação, urbanismo e paisagismo, as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidades, no que concerne à organização e construção dos lugares em que vivem.

Busca-se a formação de um profissional preparado para intervir na sociedade contemporânea, de modo que, conscientemente, dela participe como sujeito de ações culturalmente significativas, e que promovam uma boa qualidade de vida e o bem-estar social. Ações que igualmente levem em consideração a conservação e a valorização do patrimônio arquitetônico de valor histórico, cultural e ambiental, e que sejam pautadas pela correta utilização dos recursos disponíveis, visando a produção sustentável do meio ambiente.

Neste sentido, os profissionais graduados pelo Curso de Arquitetura e Urbanismo da PUCRS deverão possuir:

  • formação humanista, generalista e pluralista, comprometida com a construção do conhecimento na sociedade;
  • conhecimento dos aspectos antropológicos, sociológicos e econômicos relevantes à produção do ambiente construído;
  • conhecimento da história das artes e da estética;
  • conhecimento das teorias e das histórias da arquitetura, do urbanismo e do paisagismo, considerando seus contextos sociais, culturais, políticos e econômicos;
  • conhecimento de técnicas e metodologias de pesquisa em planejamento urbano e regional, urbanismo e desenho urbano necessários à realização de estudos, análises e intervenções no espaço urbano, metropolitano e regional;
  • formação técnica e tecnológica consistente, atualizada e sólida para o emprego adequado e econômico dos materiais de construção e das técnicas, dos sistemas estruturais e sistemas construtivos, para a definição de instalações e equipamentos prediais e para a organização de obras e canteiros;
  • competência para análise, crítica, concepção e implementação de propostas arquitetônicas, urbanísticas e paisagísticas com a consideração dos fatores de custo, vida útil, manutenção, bem como os condicionantes legais, levando em conta aspectos culturais, econômicos, estéticos, de acessibilidade e das condições do conforto térmico, lumínico e acústico;
  • compreensão das questões de sustentabilidade ambiental e do impacto de sua produção arquitetônica, urbanística e paisagística no meio ambiente;
  • domínio dos métodos de projeto e concepção para a preservação, conservação, restauração, reconstrução, reabilitação e reutilização de edificações, conjuntos e cidades;
  • habilidades e conhecimentos da geometria, dos sistemas projetivos, das técnicas de expressão e representação de projetos compreendendo o desenho a mão livre, o desenho instrumental tradicional, o desenho assistido por programas de computação gráfica para a representação de projetos e a confecção de maquetes;
  • conhecimentos das ferramentas de topografia, de aerofotogrametria, de foto-interpretação e sensoriamento remoto, de informática aplicados à arquitetura, ao urbanismo, ao paisagismo e ao planejamento urbano e regional para tratamento de informações e representação de projetos;
  • conhecimento das questões estruturais entendendo-as como parte relevante do processo de projetação arquitetônica;
  • compromisso com as transformações sociais e com a capacidade de realizar intervenções contextualizadas, agindo com o rigor científico, abrangência e profundidade nas análises da realidade buscando a qualificação do habitat humano;
  • capacidade de coordenação, gerenciamento e trabalho em equipes multidisciplinares;
  • postura ética.
3. Forma de Acesso ao Curso

FORMA DE ACESSO AO CURSO

O acesso aos cursos de graduação da Universidade dá-se mediante processo seletivo, com fundamento no Regimento Geral da PUCRS, cabendo à Câmara de Graduação e Pós-Graduação fixar as normas do referido processo.

Os candidatos aos cursos da PUCRS podem valer-se das seguintes modalidades de acesso: Concurso Vestibular, Vestibular Complementar, transferência, ingresso mediante diploma de curso superior ou PROUNI. Existe, também, a possibilidade de ingresso como estudante-convênio, dentro do limite de vagas estabelecido no respectivo convênio. A mudança de curso por reopção do aluno pode ser concedida, na existência de vaga, pelo Diretor da Faculdade a que está vinculado o curso pretendido.

O detalhamento das normas para o Concurso Vestibular é publicado por meio de edital, do qual se destacam os seguintes tópicos:

As inscrições ao Concurso Vestibular são oferecidas a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente, ou a portadores de diploma de conclusão de curso superior oficial ou reconhecido.

O critério que orienta a seleção dos candidatos é a verificação de capacidades e habilidades intelectuais, nos níveis de conhecimento, compreensão, aplicação e análise. A prova de Língua Portuguesa consta de questões objetivas e de uma questão de redação. As demais provas são objetivas, com questões de múltipla escolha sobre conteúdos específicos. Todas as provas visam verificar as capacidades e habilidades intelectuais do candidato, sendo que, a cada candidato, numa dada disciplina, corresponde um escore bruto e um escore padronizado.

Devido à determinação expressa na Portaria MEC nº 391, de 7 de fevereiro de 2002, candidatos que obtiverem grau zero na redação estarão automaticamente eliminados do Concurso Vestibular. Assim sendo, o mínimo que o candidato deve obter para concorrer a uma vaga na Universidade é a nota 1.

Para cada candidato é calculada a média aritmética ponderada dos seus escores padronizados, considerando-se, para isso, os pesos indicados em tabela constante no Manual do Candidato, que variam de acordo com o curso escolhido. A classificação, visando ao preenchimento das vagas de um curso, é baseada na ordem decrescente das médias obtidas pelos candidatos. Se ocorrer algum empate e não houver possibilidade de aproveitar todos os envolvidos, o desempate será efetuado mediante o emprego da média harmônica dos escores padronizados.

Encerrado o prazo estabelecido para as matrículas de 1ª chamada do Concurso Vestibular e constatado o não comparecimento de candidatos classificados, serão chamados outros candidatos relacionados em lista de espera condicionada às vagas existentes, levando-se em conta os mesmos critérios de classificação já expressos.

No caso de existência de vagas remanescentes após concluído todo o processo de matrículas relativo ao Concurso Vestibular, será realizado Vestibular Complementar, independente, constituído de prova única de redação.

O preenchimento das vagas referente ao Programa Universidade para Todos (PROUNI), instituído pela Lei nº 11.096/2005, é feito com base na classificação do ENEM, fornecida pelo Ministério da Educação.

4. Sistema de avaliação do processo de ensino e aprendizagem

De acordo com o Regimento Geral da PUCRS, o sistema de avaliação define-se conforme extrato do artigo descrito abaixo:

Art. 68.  O aproveitamento escolar do aluno em uma disciplina, no semestre, é expresso por um grau de 0 (zero) a 10,0 (dez), com uma casa decimal, denominado G1. § 1o  A forma de obtenção do grau G1 é definida no projeto pedagógico do curso e no plano de ensino de cada disciplina. § 2o  O grau G1 é expressão da aprendizagem obtida por meio de instrumentos e procedimentos como um conjunto de verificações, exercícios, trabalhos teórico-práticos, projetos e/ou atividades, relatórios, de acordo com as peculiaridades da disciplina. § 3o  O docente responsável pela disciplina deve apresentar aos alunos, no primeiro dia de atividades letivas de cada semestre, os critérios e as modalidades de instrumentos de avaliação e a forma de cálculo para obtenção do grau G1, juntamente com o cronograma da disciplina. § 4o  Os critérios de avaliação e a forma de cálculo de obtenção do grau G1 não podem ser alterados durante o semestre.

5. Estágio Curricular

O estágio é uma oportunidade para aquisição, pelo graduando, de experiência profissional em situações reais de trabalho, além de contribuir para ampliar conhecimentos e competências.

O estágio obrigatório, como componente curricular determinante do processo de formação acadêmica, é entendido como uma necessidade colocada pelas novas configurações do mundo do trabalho, que estão a exigir, além do conhecimento específico da área de formação, o desenvolvimento de competências importantes para a atuação profissional no contexto contemporâneo – complexo, plural e multifacetado.

O estágio configura-se, pois, como autêntica atividade pedagógica, submetida à orientação e ao acompanhamento de profissionais habilitados a avaliar a pertinência dessa experiência para a formação do indivíduo, tendo em vista o Projeto Pedagógico. Sua validade, para o estudante, está relacionada à possibilidade de promover a reflexão crítica entre teoria e prática, cabendo à Universidade, através de regulamentação e supervisão qualificadas, garantir seu compromisso social com a construção do profissional cidadão.

A disciplina de Estágio Supervisionado tem caráter teórico-prático, desenvolvida ao longo do VIII semestre. A inserção e atuação do aluno nos processos de trabalho, em campo de estágio, implicam planejamento, implantação e avaliação das ações que serão desenvolvidas. Tais ações deverão estar em consonância com as necessidades do contexto do campo de estágio e com os objetivos de ensino e de aprendizagem da FAUPUCRS.

Os estágios da referida disciplina serão desenvolvidos sob a orientação e supervisão de professores arquitetos da FAUPUCRS.

 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

I – DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Art. 1o  O presente Regulamento tem por finalidade normatizar a ação relacionada ao Estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, da FAU-PUCRS. Art. 2o  O Estágio Supervisionado se caracteriza por atividades teórico-práticas de exercício profissional, de caráter obrigatório, previstas nas Diretrizes Curriculares do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, realizadas em situações concretas de trabalho, sob a responsabilidade da instituição de ensino. Constitui requisito indispensável para colação de grau. Art. 3o  O objetivo do Estágio Supervisionado é proporcionar aos alunos do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo, a complementação da formação acadêmica através de vivências nos campos da prática profissional do arquiteto. Art. 4o  O Estágio Supervisionado é desenvolvido através da disciplina Estágio Supervisionado no VIII Nível do Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUPUCRS, totalizando 120 horas.

II – DA COORDENAÇÃO DA DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Art. 5o  São atribuições dos professores da disciplina de Estágio Supervisionado: I – elaborar os planos de ensino da disciplina; II – propor, com profissionais da área ou empresas, os locais para realização do Estágio Supervisionado; III – avaliar permanentemente, em conjunto com os demais docentes, as estratégias utilizadas, propondo mudanças sempre que necessário.

III – DA SUPERVISÃO ACADÊMICA

Art. 6o  O Estágio Supervisionado é desenvolvido sob a supervisão de um professor arquiteto, ora denominada supervisão acadêmica. Art. 7o  O Supervisor Acadêmico tem, entre outros, os seguintes deveres específicos: a) participar das reuniões de planejamento e avaliação da disciplina, discutindo e propondo estratégias e modificações necessárias; b) orientar os alunos conforme cronograma da disciplina; c) aprovar os projetos de Estágio Supervisionado e o Relatório de Estágio; d) supervisionar e avaliar o aluno em campo de estágio supervisionado; e) cumprir e fazer cumprir este Regulamento.

IV – DOS LOCAIS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Art. 8o  Os locais para a realização do Estágio Supervisionado devem estar conveniados com a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e atender aos seguintes requisitos: I – proporcionar vivência efetiva de situações concretas de trabalho, dentro do campo profissional; II – possibilitar aprofundamento dos conhecimentos teórico-práticos; III – contar com infra-estrutura compatível com o objetivo do estágio, em termos de pessoal, material e ambiente.

V – DA SUPERVISÃO LOCAL

Art. 9o  A atividade de acompanhamento de aluno em Estágio Curricular não configura vínculo empregatício com a instituição de ensino e com a instituição concedente; Art. 10.  São atribuições da instituição concedente do estágio: I – fornecer informações e participar de delimitação das estratégias do Estágio Supervisionado; II – aprovar preliminarmente o projeto de Estágio Supervisionado; III – supervisionar o aluno durante o estágio; IV – participar das reuniões programadas no local, preferencialmente no horário de atividades do aluno.

VI – DOS ALUNOS MATRICULADOS NAS DISCIPLINAS ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Art. 11.  O aluno matriculado na disciplina Estágio Supervisionado terá, entre outros, os seguintes deveres específicos: I – frequentar as reuniões com o Supervisor Acadêmico de acordo com o cronograma da disciplina para discussão e aprimoramento de seu projeto; II – manter contatos sistemáticos com o profissional arquiteto no local de estágio, conforme cronograma do Estágio Supervisionado; III – apresentar ao Supervisor Acadêmico relatórios parciais, mensais, do desenvolvimento do Estágio Supervisionado; IV – providenciar cópia do projeto e do relatório final do estágio para o Supervisor Acadêmico e para o Supervisor Local.

VII – DA DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Art. 12.  A disciplina Estágio Supervisionado fundamenta e oferece condições para a elaboração do projeto de Estágio. Art. 13.  O Projeto de Estágio deve ser entregue pelo aluno, ao professor da disciplina, em três (3) exemplares assinados pelo Supervisor Acadêmico e pelo Supervisor Local em data prevista no cronograma da disciplina Estágio Supervisionado. Art. 14.  Cabe ao Supervisor Acadêmico do Estágio Supervisionado a avaliação dos projetos apresentados pelos alunos. Art. 15.  Os relatórios parciais mensais sobre o desenvolvimento do Estágio Supervisionado devem conter informações acerca das atividades desenvolvidas pelo aluno, no prazo estabelecido no cronograma. Parágrafo único.  Ao Supervisor Acadêmico caberá orientar e receber os relatórios parciais mensais, os quais deverão ser apresentados ao professor da disciplina. Art. 16.  O relatório de Estágio Supervisionado deve ser entregue pelo aluno, ao professor da disciplina, em um (1) exemplar assinado pelo Supervisor Acadêmico em data prevista no cronograma da disciplina. Art. 17.  O relatório aprovado deve ser devolvido ao aluno, no prazo previsto no cronograma. Parágrafo único.  Os relatórios aprovados serão carimbados e neles será anotado o conceito atribuído, a partir dos pareceres do Supervisor Acadêmico e do Supervisor Local, sendo disponibilizada uma cópia para o aluno.

VIII – DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 18.  As situações que não estejam previstas neste Regulamento serão analisadas e decididas pelo Conselho Departamental.

6. Curriculo Completo
Nome da Disciplina
Carga Horária
Nível
Desenho Geométrico
30
1

Disciplina em implantação

Expressão e Representação I
45
1

Disciplina em implantação

Fundamentos da Arquitetura Sustenável
30
1

Disciplina em implantação

Geometria Descritiva I
45
1

Disciplina em implantação

Introdução à Arquitetura e Urbanismo
45
1

Disciplina em implantação

Introdução à Arquitetura do Século Xx
30
1

Disciplina em implantação

Matemática para Arquitetura
45
1

Disciplina em implantação

Termomecânica para Arquitetura
45
1

Disciplina em implantação

Arquitetura da Antiguidade à Idade Média
45
2

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura I
90
2

Disciplina em implantação

Ateliê de Paisagismo I
45
2

Disciplina em implantação

Disciplina Eletiva
180
2

Disciplina eletiva: o horário da disciplina e o docente que a lecionará, dependera da escolha feita pelo aluno no momento de sua matrícula.

Expressão e Representação II
45
2

Disciplina em implantação

Geometria Descritiva II
45
2

Disciplina em implantação

Maquete
45
2

Disciplina em implantação

Tecnologia dos Materiais
30
2

Disciplina em implantação

Topografia para Arquitetura
45
2

Disciplina em implantação

Arq. do Renascimento ao Neoclassicismo
45
3

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura II
90
3

Disciplina em implantação

Ateliê de Paisagismo II
90
3

Disciplina em implantação

Conforto Térmico e Acústico
45
3

Disciplina em implantação

Estética e História da Arte
30
3

Disciplina em implantação

Expressão e Representação III
45
3

Disciplina em implantação

Sistemas Estruturais I
45
3

Disciplina em implantação

Tecnologia dos Sistemas Construtivos I
45
3

Disciplina em implantação

Arquitetura da Sociedade Industrial
45
4

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura III
90
4

Disciplina em implantação

Ateliê de Urbanismo I
90
4

Disciplina em implantação

Expressão e Representação IV
45
4

Disciplina em implantação

Fundamentos da Urbanização
30
4

Disciplina em implantação

Instalações Prediais I
45
4

Disciplina em implantação

Sistemas Estruturais II
45
4

Disciplina em implantação

Arquitetura Moderna e Contemporânea
45
5

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura IV
90
5

Disciplina em implantação

Ateliê de Urbanismo II
90
5

Disciplina em implantação

Expressão e Representação V
45
5

Disciplina em implantação

Instalações Prediais II
45
5

Disciplina em implantação

Saída de Campo I
15
5

Disciplina em implantação

Tecnologia dos Sistemas Construtivos II
45
5

Disciplina em implantação

Teoria e Hisória do Design
30
5

Disciplina em implantação

Visualidade e Significação
30
5

Disciplina em implantação

Arquitetura na América Latina
45
6

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura V
90
6

Disciplina em implantação

Ateliê de Design
90
6

Disciplina em implantação

Ateliê de Paisagismo III
90
6

Disciplina em implantação

Expressão e Representação VI
45
6

Disciplina em implantação

Instalações Prediais III
30
6

Disciplina em implantação

Sistemas Estruturais III
45
6

Disciplina em implantação

Arquitetura no Brasil
45
7

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura VI
90
7

Disciplina em implantação

Ateliê de Urbanismo III
90
7

Disciplina em implantação

Patrimônio e Restauro
45
7

Disciplina em implantação

Saida de Campo II
15
7

Disciplina em implantação

Arquitetura no Rio Grande do Sul
45
8

Disciplina em implantação

Ateliê de Arquitetura de Interiores
45
8

Disciplina em implantação

Ateliê de Habitação de Interesse Social
90
8

Disciplina em implantação

Ateliê de Planejamento Urbano e Regional
90
8

Disciplina em implantação

Estágio Supervisionado
120
8

Disciplina em implantação

Humanismo e Cultura Religiosa
60
8

Disciplina em implantação

Pensamento Arquitetônico Contemporâneo
30
8

Disciplina em implantação

Arquitetura e Gestão
30
9

Disciplina em implantação

Atelie de Projetos Especiais
90
9

Disciplina em implantação

Organização do Trabalho e Legislação
30
9

Disciplina em implantação

TCC I
60
9

Disciplina em implantação

Ética e Cidadania
60
9

Disciplina em implantação

Atividades Complementares (120 Horas)
120
10

Disciplina em implantação

TCC II
90
10

Disciplina em implantação

Dados atualizados até 27/09/2020