Iniciação Científica: da Engenharia às Humanidades 

Conheça algumas pesquisas que foram destaque no 22º Salão de Iniciação Científica no campo de Humanidades, Comunicação, Direito e Engenharia Química

19/11/2021 - 14h45

iniciação científica é uma oportunidade de se conectar com a pesquisa ainda durante a graduação. O programa permite contato com professores de diferentes áreas, métodos de pesquisa e conexão com grandes questões da atualidade. Os Trabalhos Destaque das Grandes Áreas do 22º Salão de Iniciação Científica mostram toda a diversidade de temas e excelências das pesquisas desenvolvidas pelos estudantes em parceria com seus orientadores. 

Conheça as pesquisas premiadas 

Controle judicial e seus limites 

Na área de Ciências Sociais Aplicadas, o aluno da Escola de Direito Guilherme Schoeninger Vieira recebeu destaque com o trabalho Limites à jurisdição frente a ‘questões políticas’: o STF e os casos de suspensão de nomeações de Ministros de Estado, orientado pelo professor Eugênio Facchini Neto. Foi realizada uma análise sobre o tema do controle judicial de atos essencialmente políticos e seus limites, utilizando ferramentas do Direito Comparado, baseando-se na experiência jurídica de outros países.  

A pesquisa continua em desenvolvimento, mas como conclusão parcial destaca-se o posicionamento jurisprudencial oscilante do Supremo Tribunal Federal em relação às discussões que envolvem o tema da separação entre os Poderes Políticos. Como estudante da graduação da PUCRS, Guilherme Schoeninguer Vieira ressaltou a relevância da Iniciação Científica em sua trajetória acadêmica: “A oportunidade se trata de um espaço autêntico de pesquisa que ocorre sob a orientação de excelentes professores da Universidade. Nesse sentido, convido todos os colegas a buscarem informações sobre essas ricas oportunidades de estudo”, reforça.  

Dos materiais físicos aos arquivos digitais 

Do campo da Linguística, Letras e Artes, a pesquisa Organização do Acervo de Reynaldo Moura: dos materiais físicos aos arquivos digitais, realizada pela aluna Nathália Rego Sadoski e orientada pela professora Cláudia Peixoto de Moura, foi um dos destaques. No trabalho, Sadoski construiu uma página na web para armazenar digitalmente a produção literária e jornalística do escritor Reynaldo Moura.  

O projeto da estudante está relacionado à sistematização dos materiais em ambiente virtual, o que possibilitará o desenvolvimento de estudos sobre o acervo existente no Delfos, por parte de diversos pesquisadores de diferentes instituições de ensino. A página na web está em desenvolvimento para proporcionar mais visibilidade dos materiais do acervo, contendo documentos textuais, iconográficos, audiovisuais e eletrônicos. 

Metafísica enquanto ciência transcendente 

No campo das Ciências Humanas, o estudante de Filosofia da Escola de Humanidades Uellinton Valentim Corsi se destacou com sua pesquisa A metafísica entendida como “scientia transcendens”: da analogia halensis e bonaventuriana à univocidade scotista, orientada pelo professor Roberto Hofmeister Pich. No trabalho é definida a evolução da metafísica enquanto ciência transcendente em João Duns Scotus. Parte-se da análise da recepção da Metafísica aristotélica na Idade Média, especialmente, na Primeira Escola Franciscana de Paris. Os autores Alexandre de Hales, ou a Summa Halensis, e Boaventura de Bagnoregio compõem a primeira parte dessa análise.  

Essa primeira análise visa a demonstração da evidente e inédita colaboração de Scotus à metafísica como ciência que tem por objeto de análise a noção transcendente do ente enquanto ente e as suas determinações coextensivas, disjuntivas e as perfeições puras. Sendo essas últimas a marca distintiva do pensamento do filósofo escocês. Uellinton Corsi salienta sua experiência única com a Iniciação Científica: “É uma oportunidade de aprofundar os nossos conhecimentos em áreas em que mais nos identificamos, é indispensável a coragem e dedicação de novos pesquisadores, afinal, a evolução do pensamento ocorre a partir de olhares ’novos’ dedicados ao conhecimento e avanço da humanidade nos seus aspectos mais universais possíveis” enfatiza. 

Coeficientes de Fourier 

A aluna do curso de Engenharia Química, Vittória Cogo Borsato, da Escola Politécnica, foi premiada por sua pesquisa Análise de Fourier: de bases ortogonais a FFT (Fast Fourier Transform), orientada pelo professor Luiz Eduardo Ourique. O trabalho busca identificar componentes periódicos em séries temporais, para verificar sua frequência, fase e amplitude, usando dados reais publicados por atores renomados no assunto. Ainda em desenvolvimento, já foi possível implementar computacionalmente as fórmulas de cálculo de coeficientes de Fourier de funções periódicas e, além disso, representar graficamente as somas parciais de algumas séries para observar a sua convergência.  

Com essa pesquisa, Vittória tem a oportunidade de verificar propriedades das funções trigonométricas, calcular coeficientes de Fourier, fazer testes computacionais e implementar fórmulas encontradas na literatura que permitem identificar a existência de componentes periódicas em séries temporais. Por conta disso, a estudante da Escola Politécnica realiza um convite para outros estudantes: “Participar como bolsistas em projetos de Iniciação Científica é uma possibilidade de descobertas e de evolução, não só em termos de conhecimento, mas também de crescimento pessoal. Eu mesma gostei muito de estar fazendo parte desse projeto e pretendo atuar em outros futuros”, compartilha. 

Para saber mais sobre iniciação científica, acesse o site ou entre em contato com a Coordenadoria de Iniciação Científica pelo e-mail [email protected]

Compartilhe

Outras notícias Veja todas as notícias

  • Últimas publicadas
  • Mais lidas