Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Quatro estratégias psicológicas de atletas que você pode usar no dia a dia

A professora da Fefid Fernanda Faggiani dá algumas dicas

Por: Redação Ascom

06/06/2016 - 11h12
Atletas - Trave Olímpica

Foto: Paulo Pinto / fotospublicas.com

A rotina corrida faz parte da vida de muitas pessoas e, com ela, surgem problemas como ansiedade e estresse. A boa notícia é que alguns métodos utilizados no treinamento de atletas profissionais podem ajudar a lidar com estes sentimentos. Concentração, autoestima elevada, motivação e autoconfiança muitas vezes não são características naturais dos esportistas e precisam ser desenvolvidas, da mesma forma que a parte física: “As estratégias utilizadas para o treinamento de habilidades psicológicas complementa a parte técnica e a física. Em momentos de estresse, eles saberão o que fazer para manterem-se calmos e motivados”, salienta a professora da Faculdade de Educação Física e Ciências do Desporto da PUCRS (Fefid) Fernanda Faggiani. Ela deu algumas dicas de como aplicar as estratégias no dia a dia. Confira:

 

  1. Estabeleça metas: “É preciso saber qual é o objetivo final e que metas trabalhar para alcançá-lo. Podem ser desde coisas simples, do dia a dia, até as mais complexas. Uma técnica que ajuda muito é colocar os objetivos no papel. Muitos estudos comprovam que isto realmente funciona. Por exemplo, se eu quero perder peso, posso escrever isso, identificando onde estou hoje e onde quero chegar. No meio, coloco os obstáculos que devem ser ultrapassados. Posso deixar este papel em um local onde possa visualizá-lo diariamente. A nossa vida é corrida demais, então quanto mais concreto e visível deixarmos essas metas, mais fácil é persistir nelas”.
  2. Use técnicas de relaxamento: “Para diminuir a ansiedade utilizamos muito as técnicas de relaxamento com respiração. É bem simples: é só inspirar e expirar três vezes, calmamente. É importante que o ato de expirar seja mais longo que o inspirar. Quando uma pessoa está ansiosa, os músculos ficam tensos, o coração bate mais forte e temos uma menor oxigenação do corpo, a pupila dilata e a concentração é comprometida”.
  3. Mantenha o pensamento positivo: “É importante sempre tentar transformar o pensamento negativo em positivo. Aquela frase quem vem à cabeça ‘eu não vou conseguir’, logo deve ser transformada em ‘vou conseguir’. A repetição funciona muito nestes casos, então é importante ficar alerta quando este pensamento negativo surgir e revertê-lo na hora. Chamamos isso de autofala, quando a pessoa conversa consigo mesma. Com persistência, o ato de pensar positivo deve se tornar automático e natural”.
  4. Utilize técnicas de visualização: “Para quem não consegue fazer a autofala, colocar em prática a técnica da visualização funciona bastante. A pessoa pode criar ou recriar cenas mentalmente para treinar a performance. Pode ser aplicado a uma atividade do dia a dia, como uma apresentação ou uma entrevista de emprego”, finaliza.