Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

PUCRS investiga a eficácia de terapias frente à infecção por coronavírus

Estudo com terapias que modulam a resposta dos interferons tipo I encontra-se na fase inicial, com resultados preliminares in vitro

03/08/2020 - 10h40
ciencia,pucrs excelência em pesquisa,pesquisa,dia da ciência e do pesquisador

Deficiência da proteína interferon no organismo pode ser uma possível causa dos quadros graves da Covid-19 | Foto: Pexels

Pesquisas recentes identificaram a deficiência da proteína interferon (IFN) no organismo como uma possível causa dos quadros graves da Covid-19.  Uma delas, foi um estudo publicado na revista Science há alguns dias, em que os pesquisadores perceberam, a partir da análise de 50 pacientes, que, nessas pessoas, a atividade da proteína estava deprimida, o que levava o corpo a produzir uma inflamação exacerbada. Nos pacientes com quadros médios e leve da doença, os níveis do componente estavam normais.

Leia também: PUCRS receberá recursos para quatro projetos de pesquisa sobre Covid-19

Umas das principais pesquisas desenvolvidas pela PUCRS tem como objetivo testar terapias que melhorem a resposta de interferon do tipo I durante a infecção pelo vírus SARS-CoV-2 que causa a COVID-19. A coordenadora do projeto, a professora da Escola de Ciências da Saúde e da VidaAna Paula Duarte de Souza, explica que a resposta do interferon do tipo I faz parte do nosso sistema imune inato e é responsável por controlar as infecções virais.  

A pesquisadora conta que recentemente o grupo da Escola de Ciências da Saúde e da Vida e do Centro Infant da Escola de Medicina da Universidade demonstrou, em estudo publicado na revista Nature, que o acetato, um ácido graxo de cadeia curta produzido pela microbiota intestinal, pode proteger frente infecções virais respiratórias. O acetato aumenta a resposta de interferon do tipo I e diminui a inflamação pulmonar. Com base nisso, a pesquisa irá testar se o acetato apresenta os mesmos efeitos durante a infecção pelo SARS-CoV-2“, afirma.  

Além disso, a pesquisadora acrescenta que existem vários estudos pré-clínicos e clínicos demonstrando que extratos bacterianos como OM-85 também protegem contra infecções respiratórias modulando a resposta de interferon do tipo 1. Além do acetato, também iremos testar o OM-85 contra o SARS-CoV-2.

Leia também: Pesquisadores da PUCRS desenvolvem novo teste para coronavírus

A pesquisa conta com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do SulFapergs, e tem colaboração com a Unicamp. No momento encontra-se na fase inicial, com resultados preliminares in vitro. 

Proteínas IFNs e o sistema imunológico 

Interferons (IFNs) são proteínas produzidas naturalmente pelo organismo e secretadas pelas células do sistema imunológico com o objetivo de combater elementos estranhos, como vírus, fungos ou bactérias. Elas atuam produzindo uma resposta local, intensa e imediata na região onde o patógeno se aloja, e por isso são importantes para mitigar a progressão de uma doença. Existem três tipos de IFNs naturais, cada um secretado por seu próprio conjunto de células. Tanto o tipo I (IFN-alfa e IFN-beta) quanto o tipo III (IFN-lambda) são proteínas antivirais que atuam recrutando células de defesa para agir no local da infecção e combater o vírus.

Leia também: Inteligência artificial ajuda a estimar quantos leitos são necessários na pandemia