Participe da pesquisa que compara hábitos de japoneses e brasileiros na pandemia

Estudo da PUCRS visa entender o comportamento das pessoas para ajudar na revisão de medidas preventivas

09/12/2020 - 09h40
Participe da pesquisa que compara hábitos de japoneses e brasileiros na pandemia

Foto: Zydeaosika/Unsplash

Após meses lidando com uma inimiga silenciosa e invisível, as populações de diferentes partes do mundo aprenderam, mesmo que com adaptações, a conviver com a pandemia da Covid-19 no dia a dia. Para entender e comparar os hábitos entre pessoas japonesas, descendentes e não descendentes de japoneses neste período, a PUCRS está realizando uma pesquisa. Se você tem idade superior a 21 anos e reside no Brasil ou no Japão, pode participar da pesquisa em português ou japonês. 

O projeto realizado pelo Grupo de Pesquisa em Epidemiologia, Neurologia e Imunologia (Genim), é coordenado por Douglas Kazutoshi Sato, diretor do Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUCRS (IGG), e tem como instituições parceiras: 

  • Faculdade de Medicina da UFRGS e Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 
  • Centro de Pesquisa Ensino e Cultura do Hospital Santa Cruz, de São Paulo. 
  • Departamento de Medicina Interna (Neurologia) da Universidade de Keio, em Tóquio, no Japão. 

A pesquisa será útil não apenas neste momento, mas também para futuras emergências de saúde pública que possam acontecer. “Acreditamos que os resultados serão informativos e contribuirão para a revisão de medidas preventivas diante da pandemia, bem como para a saúde da população e hábitos comportamentais preventivos”, destaca o grupo que elaborou o estudo. 

Um Japão no Brasil 

A história da imigração japonesa no Brasil começou há 112 anos, em 18 de junho de 1908. Estima-se que pelo menos 1,5 milhão de nikkeis – como são conhecidas as pessoas com origem japonesa vivam no País, de acordo com o Consulado Geral do Japão em São Paulo. 

Dessas pessoas, 400 mil vivem em São Paulo. Já no Rio Grande do Sul, a cidade de Ivoti é marcada pelas tradições nipônicas, onde fica o Memorial da Colônia Japonesa. 

Pandemia em números 

Até 7 de outubro deste ano o Japão registrou cerca de 1.500 mortes e pouco mais de 82 mil casos, segundo dados oficiais. A taxa de mortalidade foi de um a cada 100 mil habitantes, enquanto nos EUA chegou a 64 e, no Brasil, passou de 70. 

Participe da pesquisa