Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Laboratório da PUCRS cria solução inédita para as eleições no portal de notícias G1

Projeto do Ubilab, com sede no Tecnopuc, reuniu pesquisadores e estudantes bolsistas

21/09/2018 - 18h43
g1 eleições,ubilab,aplicativo

Arte: G1

Desde o dia 17 de setembro, está mais fácil saber as notícias recentes sobre os candidatos à Presidência da República. Basta ativar gratuitamente o serviço de voz do celular e usar a frase “Falar com G1 Eleições” em aparelhos que disponham do aplicativo Google Assistente. A solução foi desenvolvida inteiramente na PUCRS, pelo Laboratório de Pesquisa em Mobilidade e Convergência Midiática (Ubilab), com sede no Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc). O projeto envolveu professores da Escola da Comunicação Artes e Design – Famecos e estudantes bolsistas da Comunicação e da Escola Politécnica, numa parceria com a Globo.com.

A pesquisa nasceu em 2017, sendo liderada pelos docentes Eduardo Pellanda, André Pase e Roberto Tietzmann. Ao longo do segundo semestre, foram feitos levantamentos sobre como assistentes pessoais online ativados por voz (como Siri, da Apple, Google Home e Alexia, da Amazon) poderiam ser utilizados para serviços específicos voltados ao jornalismo. Depois do levantamento, surgiu a ideia de vincular às eleições de 2018. Com base nesses dados, a equipe do Ubilab foi à redação do G1, em São Paulo, apresentar a sugestão.

A pesquisa aplicada no cotidiano

“É um produto muito relevante pelo ineditismo. A Globo conseguiu sair na frente, sendo o primeiro portal de notícias do Brasil a oferecer esse serviço. Isso é um bom exemplo de como a pesquisa aplicada pode impactar na inovação das empresas. Mostra a importância do investimento em pesquisa e desenvolvimento, pois podemos criar tecnologias disruptivas como diferencial competitivo”, ressalta Pellanda.

O professor Pase recorda que no passado, o laboratório já havia mostrado à área de jornalismo da Globo a viabilidade de utilizar a ativação por voz para trabalhar com conteúdo noticioso. “A aplicação do G1 Eleições deriva desse projeto, já debatido anteriormente”, afirma. A pesquisa foi patrocinada pela Globo.com, da qual o Ubilab é parceiro desde 2016. A interação envolve os escritórios da empresa de Comunicação em Porto Alegre, sediado no Tecnopuc, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Bolsistas da Graduação ao Doutorado

ubilab

O projeto G1 Eleições contou com a participação de diversos estudantes. Daniele Ramos Souza e Rafael Damasceno colaboraram como mestrandos do Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação da Escola Politécnica. Ana Cecília Nunes, além de professora na Famecos, é doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social. Melissa Streck também faz doutorado em Comunicação. Já a estudante de Graduação em jornalismo, Isabela Mércio, contou com bolsa de Iniciação Científico até 2017, quando houve o desenvolvimento do trabalho. Os universitários têm tido a oportunidade de se envolver com outros projetos, desde o primeiro ano da parceria. No primeiro ano, o tema foi cultura mobile; no segundo, os assistentes pessoais de voz e, atualmente, o foco está nos algoritmos para vídeos, também reunindo Famecos e Politécnica, estudam e smart cities (cidades inteligentes).

A inovação como uma construção

André Pase reflete que muitas vezes as empresas cobram que a inovação venha de um produto pronto, mas o sucesso está na interação permanente da Universidade com o mercado. “Nesse caso, o mais interessante é que o G1 Eleições resulta de uma pesquisa que forneceu conhecimento à empresa. Nós dialogamos com eles, entendemos as necessidades e fornecemos insumos para que transformassem a inovação em produto. É um processo de inovação e desenvolvimento, e não apenas uma solução pronta”, destaca o professor.

Pellanda complementa a ideia fortalecendo o papel da Universidade em “puxar o mercado para frente”, influenciando na proposição de soluções e mostrando a capacidade de aplicar suas pesquisas. “Os assistentes pessoais de voz são um campo novo da comunicação, em grande expansão. Estamos incubando aqui no laboratório várias outras atividades, e vai surgir muita coisa bacana nessa área. Depois da era da mobilidade e dos wearables (tecnologias para vestir), a voz está encaixada na internet das coisas, com objetos comunicando online”.

Como usar a solução

Os aparelhos com sistema operacional Android comercializados nos últimos dois anos têm o Google Assistente, de acordo com Eduardo Pellanda. Para os anteriores, é necessário baixar o aplicativo para utilizar o serviço do G1 Eleições. Nos smartphones da Apple, com iOS, também deve ser feito o download do Google Assistente. O professor antecipa que até o final de 2018 deve haver à venda no mercado brasileiro as caixas de som do Google Home, em língua portuguesa, conhecidas como Google Speakers, sendo mais um dispositivo para acessar serviços ativados por voz.