Escola de Medicina e HSL se unem para esclarecer temas relacionados à Covid-19

Com o posicionamento, objetivo é estabelecer diálogos com autoridades e a população sobre temas que têm provocado discussões e controvérsias

25/01/2021 - 18h34

Escola de Medicina e HSL se unem para esclarecer temas relacionados à Covid-19A pandemia de Covid-19 tem levado a números trágicos de mortalidade em diversos países, incluindo o Brasil. Além da dificuldade natural no enfrentamento de um agente com rápida disseminação e elevada mortalidade em populações de risco, outro fator tem dificultado o combate à Covid-19: a desconsideração aos princípios da ciência e da medicina baseada em evidências científicas.  

Nesse contexto, no papel de educadores, pesquisadores e profissionais da Saúde de uma Universidade Comunitária e Marista, a Escola de Medicina e o Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) firmaram um posicionamento com a intenção de subsidiar tecnicamente as ações do poder público municipal acerca dessas temáticas, além de se colocar à disposição para diálogos e contribuições de toda ordem à sociedade. Confira o texto na íntegra:  

Sobre a vacinação e a eficácia das vacinas:  

  1. As vacinas têm sido, ao longo da história, a intervenção de maior sucesso contra as doenças infecciosas virais. 
  2. Algumas doenças foram erradicadas em alguns países (ex. Varíola, Poliomielite) e muitas tiveram seus efeitos minimizados (ex. Hepatite B, Varicela, Sarampo, Caxumba, Rubéola) pelo desenvolvimento e utilização das vacinas. 
  3. É frequente que algumas vacinas não consigam ter uma eficácia de 100% ou eliminar completamente a doença alvo. Porém, o efeito de reduzir a gravidade e a mortalidade pode ser o resultado mais o relevante para minimizar as consequências da Covid-19. 
  4. As vacinas que estão começando a ser utilizadas no Plano Nacional de Imunizações (Oxford AZ e CoronaVac) já passaram em estudos de Fase I-II e III e deveriam ser utilizadas por todos que puderem recebê-las. 
  5. As vacinas são, portanto, seguras e podem provocar um benefício individual (proteção contra as formas graves) e coletivo (redução da circulação do vírus). 

Sobre os medicamentos de tratamento precoce:  

  1. Não há uma intervenção, medicação ou kit precoce, neste momento, que tenha comprovada eficácia ou seja recomendado a todos os pacientes com Covid-19
  2. As medicações ou intervenções recomendadas atualmente no manejo da Covid-19 sempre consideram os fatores de risco e os sinais de gravidade de cada caso. Dessa forma, o paciente deve ser avaliado por um médico que possa analisar e fazer as recomendações adequadas para o caso específico. 
  3. Dessa forma, não é recomendado o uso de medicações preventivas ou “kits de uso precoce” para grandes grupos populacionais. Reiteramos nosso total interesse em continuar contribuindo com o Executivo Municipal nessa e em outras demandas que envolvam temas da Saúde Pública. 

Assinam o documento o decano da Escola de Medicina e representante dos membros do Colegiado da Escola, professor Leonardo Araujo Pinto, e o chefe do setor de Infectologia do HSL, Fabiano Ramos. Acesse neste link o documento na íntegra.