Conheça os vencedores do Act In Space 2020

Evento com 24 horas de duração desafiou participantes a criar projetos com base em tecnologias aeroespaciais

26/11/2020 - 11h20
act in space, act in space 2020,idear,pucrs

Etapa nacional aconteceu nos dias 13 e 14 de novembro

Neste ano o Act In Space aconteceu pela primeira vez de forma totalmente online e simultaneamente em 60 cidades de mais de 40 países ao redor do mundo e contou com mais de 2.300 pessoas representadas em 534 times. O evento contou com mentores técnicos e de negócios para a qualificação dos projetos, além de oficinas para instruir os alunos e alunas em termos de apresentação e estruturação financeira do projeto. No Brasil, o evento aconteceu entre as 18h de 13 de novembro e as 18h de 14 de novembro 

Para o professor da Escola de Negócios e líder do projeto pelo IdearVicente Henrique Zanella, trata-se de uma oportunidade. “A PUCRS foi a única universidade a sediar o evento no Brasil e tornar isso possível é colocar os alunos e participantes em evidência internacional”, comenta. Para Fernanda Carvalho, estudante de Medicina e integrante da equipe vencedora, X-med, foi um exercício intenso. “Aprendemos a ouvir mais, a somar ideia do outro e a dividir as tarefas. Acredito que tudo isso nos levou ao resultado final”, afirma.  

Ao todo o evento contou com 66 inscritos de diversas partes do Brasil, com destaque para a equipe Analog Astronauts que tinha integrantes de diferentes estados do Brasil, entre eles: Pernambuco,  Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Para a integrante Raissa Camelo, participar do evento foi um momento totalmente diferente. “Eu gostei muito dessa troca de informações. Trabalhar online e em grupo é muito desafiador. Acho que esse foi o maior ganho em participar: as pessoas”, aponta. O evento encerrou a sua etapa nacional e a final internacional está planejada para fevereiro de 2021.  

Saiba mais sobre as primeiras colocadas do Act in Space 

  • 1º Lugar – X-medteve como objetivo a utilização da microgravidade no metabolismo celular. Com base em artigos científicos, os participantes acreditam que seja capaz tratar doenças como o câncer em nível celular. De acordo com Henrique Zimmer, estudante do curso Engenharia Química da Escola Politécnica da PUCRS, criar um projeto em menos de 24 horas foi muito desafiador. “Como nossa primeira hackathontrouxe vários desafios, como planejar, organizar e apresentar o projeto, tudo isso em um espaço de tempo muito curto”, aponta. 

Integrantes:  Eduardo Blasina de Castro, Fernanda CarvalhoHenrique ZimmerJoão Carvalho e Vinicius Brasil. 

  • 2º Lugar – Analog Astronauts: projeto teve o intuito de criar uma interface capaz de auxiliar na gestão sustentável de futuros habitats na lua. Esse sistema de gerenciamento abrangia o sistema de cultivo de alimento, saneamento e energia. Para o integrante Davi Souza, o diferencial do grupo foi o engajamento. “Sem dúvida o desafio que nos foi colocado proporcionou muitas oportunidades para amadurecer o nosso projeto em competições futuras”, destacou.  

Integrantes: Dr. Julio Rezende, professor na Universidade Federal do Rio Grande do NorteDavi SouzaRaissa CameloFernanda JamelIsadora Arantes. 

  • 3º Lugar – Singular Dynamics: grupo composto pelos irmãos Vinícius Mateus Strassburguer e Daniel Henrique Strassburger teve como objetivo a geração de energia por meio da eletrólise feito por um reciclador de água. Para os irmãos, ambos consideram que os mentores foram fundamentais. “Ficamos impressionados com a variedade de especialidades e foi isso que proporcionou um crescimento ágil e dinâmico do projeto em um curto espaço de tempo”, comenta Daniel que também fez dupla com o irmão na edição anterior, em 2018. “Mesmo sendo um evento online a experiência de comunicação foi ótima”, complementa Vinícius.   

Integrantes: Vinícius Mateus Strassburguer Daniel Henrique Strassburger.