Como cuidar da saúde da pele em meio à rotina da pandemia

Professora do curso de pós-graduação em Estética e Cosmética dá sugestões de skincare para tratar as marcas causadas pelos EPIs

07/04/2021 - 10h51
Como cuidar da saúde da pele em meio à rotina da pandemia

Foto: Pexels

Após mais de um ano de pandemia da Covid-19, máscaras, protetores faciais e álcool em gel se tornaram alguns dos acessórios mais comuns na rotina de quem precisa sair de casa. Porém, ao utilizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) por longos períodos, a superfície da pele pode ficar com marcas e até mesmo machucados. 

Profissionais da linha de frente do combate ao coronavírus têm apresentado peles extremamente avermelhadas, muitas vezes com irritações, feridas e até manchas”, conta  Roberta Palazzo, professora do curso de Biomedicina da Escola de Ciências da Saúde e da Vida e coordenadora da pós-graduação em Estética e Cosmética: Gestão, Negócios e Procedimentos da PUCRS. Já para o público geral, os casos mais relatados são o de surgimento de acne, coceira, descamação, ressecamento, oleosidade, poros dilatados e flacidez. 

Por que o uso da máscara promove alterações na pele? 

Uma das causas é o aumento da temperatura dentro da máscara, por causa da respiração. Isso faz com que a transpiração seja maior e, consequentemente, a desidratação da pele também. Uma reação natural de defesa do corpo para isso é produzir oleosidade, cerca de 10% a mais a cada elevação de 1°C. 

Outra modificação é a do pH cutâneo, que costuma ser levemente ácido pela presença ácidos graxos e ácido lático no sebo e no suor, respectivamente. Com a maior produção desses fluidos o resultado é uma maior acidificação,  causando o desequilíbrio da microbiota cutânea, surgimento de infecções e agravamento de condições pré-existentes como rosácea e psoríase. 

O uso prolongado de máscara também foi associado a alterações na elasticidade da pele, por causa do calor e da umidade. O microambiente criado promove uma série de estímulos repetitivos e desconectados das condições atmosféricas reais, gerando as alterações e fatiga cutânea. 

Como minimizar o impacto dessa nova rotina na pele? 

Confira algumas orientações de Roberta que podem ajudar na saúde e na recuperação da sua pele: 

  • Beba água regularmente: a hidratação da pele não depende apenas dos produtos aplicados diretamente sobre ela”, destaca a professora. 
  • Higienize o rosto: faça a limpeza de forma suave, duas vezes ao dia (pela manhã e à noite) e após suar em excesso. Evite lavar com água quente ou produtos que contenham álcool, priorizando produtos não oleosos e livres de fragrâncias. 
  • Tome cuidado ao esfoliar: se não for possível ficar em casa, para recuperar a pele sem a interferência de acessórios de proteção, evite esfoliações químicas ou mecânicas. 
  • Hidrate muito a pele: procure pelo tipo de produto mais adequado para o seu tipo de pele, como gel, loção, creme, etc. Formulações com propriedades calmantes e anti-inflamatórias são muito bem-vindas nesse momento. 
  • Se possível, não use maquiagem: sob a máscara, a maquiagem tem maior probabilidade de obstruir os poros e causar erupções cutâneas. Se for necessário, use apenas produtos rotulados como “não-comedogênico”, que têm uma textura mais leve ou ingredientes menos oleosos. 
  • Trate as lesões: em caso de marcas vermelhas pelo contato e pressão estabelecidos pela máscara, é possível aplicar uma camada fina de óxido de zinco diretamente nas áreas de atrito. Esse ativo é frequentemente encontrado em pomadas para bebês e apresenta propriedades anti-inflamatórias, além de agir como uma barreira protetora. 
  • Faça intervalos: estudos apontam a maior incidência de problemas na pele após 4h e 6h de uso consecutivo das máscaras. Se possível, faça intervalos de 10min a 15min após 2h de uso. 
  • Troque sua máscara de tecido com frequência: pessoas que utilizam a mesma máscara por longos períodos apresentaram quase o dobro do risco de ter lesões na pele. Faça a substituição a cada 2h, 4h ou 6h, de acordo com o tempo de uso e o acúmulo de umidade. 
  • Não esqueça das mãos: já que é inevitável o uso de álcool gel e as frequentes lavagens com água e sabão, redobre o uso de hidratantes para as mãos. 

Aprenda com uma estrutura de ensino completa 

Como cuidar da saúde da pele em meio à rotina da pandemia

Foto: Charlotte May/Pexels

Se o seu sonho é atuar na área da saúde, conheça as diferentes opções de cursos oferecidos pela PUCRS, como a Biomedicina, por exemplo. O curso forma profissionais capacitados/as para as atividades de biomedicina estética, diagnóstico por imagem e terapia, análises clínico-laboratoriais e toxicológicas, reprodução humana, ciências forenses, genética, entre outros campos de atuação. 

E para você continuar se qualificando, conheça a pós-graduação em Estética e Cosmética: Gestão, Negócios e Procedimentos do PUCRS Online e amplie seus horizontes em um dos mercados mais promissores do Brasil e do mundo: a indústria da beleza e do bem-estar.