Carta aberta aos estudantes da PUCRS e suas famílias

Reitor da Universidade compartilha reflexões e orientações frente ao coronavírus

Por: Ir. Evilázio Teixeira

08/04/2020 - 17h32

Carta aberta aos estudantes da PUCRS e suas famíliasEste não é um comunicado convencional. Venho refletindo sobre as dúvidas, as angústias, as inquietudes que vocês têm manifestado das mais diversas formas nas últimas semanas. Tenho lido com atenção tudo que chega até mim, por todos os canais. Por isso me dirijo a vocês, de maneira franca e transparente, detalhando os principais aspectos que este momento requer.

Sei o quanto esses longos dias têm sido difíceis. Somos seres essencialmente sociáveis, e conheço os efeitos que a necessidade de distanciamento pode acarretar. Mesmo na era das “solidões conectadas”, como chamam alguns sociólogos, sabemos que é difícil conviver com a ausência de contato, de proximidade, do afeto de um abraço. Há também o desafio de adaptar a rotina de uma vida pulsante para dias inteiros dentro do mesmo lugar, e, diante da impossibilidade de manter os processos habituais de ensino-aprendizagem, ter de (re)aprender a aprender, agora de maneira totalmente mediada. Sabemos que não é fácil. Para nós, também foi desafiador adaptar, em tempo recorde, o funcionamento integral da Universidade.

É um tempo que desafia a humanidade como um todo, de incontáveis maneiras. De nossa parte, depois de mais de 70 anos atuando quase que totalmente presencialmente, tivemos que reorganizar rapidamente todas as atividades desse ecossistema complexo que caracteriza a nossa Universidade. Nesse contexto, destaco o empenho irrestrito dos nossos docentes. Eles têm se dividido entre a euforia de explorar novas possibilidades e a angústia da incerteza de saber se tudo o que estão fazendo é suficiente. Assim como vocês, há quem tenha mais habilidade para lidar com recursos tecnológicos, e há quem sinta dificuldades, mas posso assegurar que todos, absolutamente todos, estão se esforçando ao máximo para dar continuidade a suas aulas.

Se você notar que melhorias são necessárias, não deixe de nos contar por meio dos canais de atendimento.

Estamos continuamente acompanhando nossos professores e repassando as impressões dos estudantes que chegam até nós, e, com base nesses retornos, assessoramos os docentes para que consigam fazer o melhor que for possível, dentro das limitações que esse contexto emergencial nos impõe. Não esqueçam que esta não é uma escolha nossa, é uma situação excepcional, de alto risco, que exige que sigamos todas as normativas e recomendações para garantir a saúde e a proteção de todos nós.

Sei que alguns de vocês estão com dificuldades de manter o mesmo rendimento e temem não aprender tanto quanto gostariam. Por isso, buscamos formas de manter disponíveis os recursos de apoio à aprendizagem, como o apoio psicossocial e as monitorias para quem precisa de reforço nas áreas de Letras, Física, Química, Matemática, Estatística e Desenho. Não deixem de contar com nosso apoio quando encontrarem qualquer dificuldade. Busquem o(a) Coordenador(a) do seu Curso, ou o(a) professor(a) com quem tenham mais afinidade, estejam abertos ao diálogo e não hesitem em procurar ajuda.

Em relação à modalidade das aulas, seguiremos as recomendações dos Ministérios da Saúde e da Educação e o decreto estadual, que prevê a impossibilidade de aulas presenciais até 30 de abril. Por isso, daremos continuidade às aulas online até esta data, nas disciplinas em que isso é viável.

Destaco que nossas equipes especializadas estão há semanas debruçadas no estudo das adaptações do calendário acadêmico, junto às Escolas, olhando individualmente cada disciplina, prevendo todos os cenários e impactos possíveis. O resultado do estudo aponta que não é viável uma decisão única para os mais de 50 cursos de graduação da Universidade, assim como para os Programas de Pós e cursos de Especialização e MBA.

É fundamental um olhar personalizado e cuidadoso para cada programa de ensino. Assim, algumas disciplinas, naturalmente não poderão prosseguir nessa modalidade, e devem ser suspensas. Você receberá o detalhamento do impacto na grade de disciplinas do seu curso ao longo dos próximos dias, por meio da Coordenação do seu curso. Em relação às avaliações, na última segunda-feira, 6/4, foi chancelada pela Reitoria a resolução que possibilita a alteração dos processos avaliativos previstos no plano de ensino. Ao longo dos próximos dias, cada professor irá detalhar como será a avaliação da sua disciplina, à luz dessa orientação institucional.

Um dos pontos que mais tem inquietado parte dos nossos alunos é a manutenção das mensalidades.

Existe um imaginário na sociedade, de modo geral, que a virtualização das aulas poderia significar uma redução expressiva de custos. Porém, nossas despesas permaneceram praticamente inalteradas e, além disso, tivemos custos extras em decorrência das necessidades que surgiram no contexto da pandemia. Todos os nossos profissionais seguem trabalhando integralmente para viabilizar a continuidade não só das aulas, mas de todos os processos que envolvem o funcionamento da nossa Universidade.

Outro fator importante é que dois terços das despesas da Universidade dizem respeito aos custos de folha de pagamento dos nossos docentes e técnicos. São mais de 3 mil famílias, e mesmo diante dos impactos econômico-financeiros que afetam as organizações neste momento, temos a prerrogativa de preservá-las. Da mesma forma, cientes de que esse impacto se estende também às famílias, iremos ofertar um atendimento personalizado para estudantes que tiverem dificuldade em manter o pagamento das mensalidades. Sabemos que a realidade de cada família é muito particular, e medidas generalizadas provavelmente não atenderiam os que mais precisam. Com isso, analisaremos individualmente cada situação, para buscarmos, juntos, a melhor solução, a fim de evitar que estes estudantes abram mão de seus estudos.

Ressalto, ainda, os diversos esforços que estamos empreendendo para auxiliar nosso Estado e País no contingenciamento e combate ao Covid-19.

Dezenas de pesquisadores, profissionais e estudantes da PUCRS estão mobilizados na busca de soluções nas mais diversas frentes. Nossos laboratórios estão em pleno funcionamento, produzindo EPIs para profissionais de saúde. Outros estão sendo usados para a busca de diagnósticos mais rápidos e de menor custo ou possíveis fármacos que auxiliem no tratamento da doença, entre inúmeras outras iniciativas. E fazemos tudo isso cientes do nosso papel enquanto Universidade e da importância da ciência para este – e tantos outros – momento da nossa história.

Sei que me alonguei. Como vocês costumam dizer, desculpem-me pelo “textão”. Mas não gostaria de finalizar sem antes compartilhar algumas reflexões sobre tudo que estamos vivendo. Transcrevo parte do artigo que escrevi para a Zero Hora:

“Nestes tempos abissais em que vivemos, e que de algum modo marcará nossas vidas para sempre, que as nossas experiências sejam transformadas na mudança que queremos para mundo. Se todas as nossas seguranças emudeceram, que possamos aprender que no interior de cada pessoa encontra-se também a força mais poderosa do universo”.

Se me perguntassem onde habita essa força mais poderosa do universo, eu diria: dentro dos nossos estudantes, que buscam, por meio da educação, do pensamento, da ciência, ser pessoas melhores e gerar impacto positivo na comunidade que os rodeia. Sei que no interior de cada estudante da PUCRS vive essa força, capaz de salvar outras vidas pelas suas atitudes de hoje e de gerar mudanças sem precedentes.

Espero encontrar em vocês o exercício constante da solidariedade, da empatia e da compreensão em tempos tão difíceis. Que, ao final de tudo isso, tenhamos aprendido a conciliar razão e sensibilidade, eficácia e afetos, individualidade e compromisso social, economia e compaixão, espiritualidade e sentidos, eternidade e instante.

Assino esta “carta” recuperando um hábito do nosso fundador São Marcelino Champagnat, em nome de todos os docentes e técnicos da PUCRS, que abraçam virtualmente cada um de vocês.

Clique aqui e confira a nossa FAQ sobre o funcionamento da Universidade durante esse período.