Aluna de Psicologia fala sobre experiência no México

Stephanie Mello está na Universidad Marista de Guadalajara

16/04/2018 - 17h01
Stephanie Mello. Foto: Arquivo

Stephanie Mello. Foto: Arquivo pessoal

Construções históricas, gastronomia típica e muita riqueza cultural são alguns dos muitos atrativos dos países da América Latina. Entretanto, os pontos positivos de países como Chile, México, Argentina, Uruguai e Colômbia vão além das perspectivas turísticas e vêm se tornando destinos atraentes para a mobilidade acadêmica, como no caso da escolha da estudante de Psicologia, Stephanie Mello.

A aluna da Escola de Ciências da Saúde embarcou com destino ao México no início deste semestre para intercâmbio acadêmico. A experiência, segundo ela, tem sido positiva. Para Stephanie, a ideia desde o princípio era escolher um país da América Latina para a mobilidade acadêmica. “Acredito que temos que valorizar mais nossos países-irmãos e reconhecer todas as qualidades, belezas e encantos que eles oferecem. Não precisamos ir à Europa para buscar isso!”, recomenda. A estudante chegou à Universidad Marista de Guadalajara em janeiro.

Aprendizados dentro e fora da sala de aula

Estudar em um idioma diferente do seu é, sem dúvida, um dos maiores desafios para quem realiza mobilidade acadêmica. No entanto, os estudantes destacam o apoio e auxílio de colegas e professores durante o processo e até mesmo o estímulo para a língua inglesa. Além disso, a conexão com pessoas de diferentes partes do mundo contribui para diálogos multiculturais e aproximam os alunos de outras culturas.

De acordo com Stephanie, poucas semanas foram o suficiente para se adaptar à língua espanhola e à estrutura da universidade. “Acredito que o mais positivo na Universidad Marista de Guadalajara é a preocupação genuína de todos os seus funcionários com os alunos. É perceptível o carinho que existe entre todos e o quanto estão abertos a receber pessoas de fora”, relata.

Incentivo de aluno para aluno

A escolha pela América Latina tem gerado indicações para outros colegas que pensam em realizar mobilidade acadêmica nos próximos semestres. Lugares e amigos novos, mudança na rotina de estudos e autoconhecimento são alguns dos destaques da experiência para os alunos.

“Acredito que optar por um país da América Latina é escolher viver a delicadeza e a fragilidade desses lugares, é valorizar espaços simples, mas carregados de energia boa, os quais, muitas vezes, são esquecidos e ofuscados por tanta modernidade e tecnologia”, comenta Stephanie.

Convênios com 25 universidades

A PUCRS possui convênio de mobilidade acadêmica com 25 universidades da América Latina. As universidades possuem ótimos programas de graduação e pós-graduação nas mais diversas áreas do conhecimento. Além disso, os países oferecerem custo de vida atrativo para estudantes brasileiros.

Ainda neste semestre estão previstas as inscrições para o Programa Ibero-americano, do Santander Universidades, que concederá bolsas para alunos estudarem em países da América Latina e Espanha. Para mais informações sobre possibilidades de estudo no exterior, entre em contato pelo e-mail mobilidade.out@pucrs.br ou presencialmente na AAII (Prédio 1, sala 110).

Compartilhe

Outras notícias Veja todas as notícias

  • Últimas publicadas
  • Mais lidas