Na indústria, o aldeído mais importante é o formaldeído (metanal) e a cetona é a acetona (propanona).

Nos Estados Unidos, o formaldeído é preparado por oxidação do metanol. A produção anual é de  18 t.

A acetona é um valioso sub-produto do processo de hidroperoxidação do cumeno. A produção anual é de 4,5t nos Estados Unidos.

O butanal é obtido pelo processo de hidroformilação no qual propeno é exposto ao gás de síntese em presença dos catalisadores de cobalto e ródio.


Os principais métodos de preparação de aldeídos e cetonas no laboratório são resumidos a seguir:

Reação

Ilustração

1) Oxidação do álcool
2) Ozonólise do alceno
3) Hidratação do alquino
4) Acilação de Friedel-Crafts

 

Os compostos carbonílicos são preparados por oxidação de álcoois, usando como reagente cromo (VI). O álcoois primários oxidam para fomar aldeídos e os álcoois secundários, para fomar cetonas.

Entretanto, a oxidação de álcoois primários por Cr(VI) pode, em presença de água, levar a obtenção de ácido carboxílico, isto é, uma superoxidação.

Para evitar esta superoxidação utilizam-se reagentes mais específicos com o clorocromato de piridínio (PCC).

O teste do bafômetro se dá pelo processo de oxidação do etanol.

 


Ozonólise é a cisão oxidativa da ligação dulpla carbono-carbono. O alceno é exposto ao ozônio e em seguida é tratado com zinco e ácido acético para fomar aldeído e cetona.

 


A hidratação da ligação tripla resulta em um enol que é transformado em composto carbonílico por tautomerização.

 


Acilação de Friedel-Craft é uma substituição aromática eletrofílica. Trata-se de um  bom método para obtenção de cetonas aromáticas.