Alunos da PUCRS realizam estágio em universidades da UAS7, na Alemanha

Estudantes da Escola Politécnica participam de programa da aliança da German Universities of Applied Sciences

11/10/2018 - 17h58
Arthur Zim,mobilidade acadêmica

Arthur Zim com colegas / Foto: arquivo pessoal

Desde o mês de setembro, quatro alunos da Escola Politécnica da PUCRS estão participando do Programa IP (Internship Program) de Estágio em Laboratórios da aliança UAS7 – German Universities of Applied Sciences (Universidades alemãs de ciências aplicadas). Ana Paula Tecchio, Arthur Zim, Eduardo Ribas e Eduardo Lorandi foram os selecionados no edital de bolsa de estudos e devem permanecer na Europa até janeiro de 2019.

Sistema de alimentação de foguetes

Eduardo Ribas, aluno do curso de Engenharia Mecânica, está no Institut für Aerospace Technologie da Hochschule Bremen. Durante seu estágio, ele trabalha no desenvolvimento de uma válvula de pressão mínima para sistema de alimentação de foguetes. Suas atribuições envolvem a descrição de requisitos e especificações, análises de risco, cálculo mecânico e desenho técnico, construção, teste e avaliação de resultados e documentação de projeto.

A adaptação para o estudante tem sido positiva, especialmente em relação ao clima do país, que recentemente tem apresentado temperaturas mais altas que o normal. Ribas está morando com um casal, onde tem conseguido exercitar o inglês. “Além disso, a universidade está custeando um curso de alemão, que surgiu como um presente, pois não estava previsto”, comenta o estudante.

Superação da barreira do idioma

Ana Paula Tecchio, mobilidade acadêmica

Ana Paula Tecchio / Foto: arquivo pessoal

Já Ana Paula, estudante de Arquitetura e Urbanismo, realiza estágio no Laboratório de Design (CIAD), da Technische Hochschule Köln. Juntamente com seu orientador, a estudante conta que as atividades variam bastante. “Vão desde o auxílio na concepção de propostas de projetos para os alunos até, por exemplo, elaborar e montar exposições em lojas e feiras da cidade”, comenta. As dificuldades estão mais relacionadas ao idioma, mas destaca que o aprendizado tem sido intenso. “É minha primeira experiência trabalhando de fato com Arquitetura, então o aprendizado está sendo enorme em todos os sentidos”, completa Ana Paula.

Sistemas de energia e algoritmos

Arthur Zim, da Engenharia Elétrica, está atuando na empresa KEA, na cidade alemã de Osnabrück. Suas atividades envolvem pesquisas na área de sistemas de energia. Para o universitário, a experiência tem garantindo novas lições diariamente. Além disso, a cidade também o impressionou pela segurança, educação dos moradores e limpeza.

Eduardo Lorandi, acadêmico de Engenharia da Computação, está na Hochschule Osnabrück. Ele participa de um projeto em um dos laboratórios de engenharia eletrônica e informática da universidade. A pesquisa tem o objetivo de acelerar algoritmos através do uso de field-programmable gate array (FPGA): processadores “especiais” que conseguem ser muito mais efetivos dependendo do problema que se quer resolver.

Crescimento profissional

Eduardo Ribas

Eduardo Ribas com unidade fabril da Wolkswagen, ao fundo / Foto: arquivo pessoal

Para os quatro estudantes, a experiência profissional internacional tem ampliado a concepção de mundo e de carreira. De acordo com Ribas, a Alemanha é referência na sua área de formação – Engenharia Mecânica – e, portanto, acredita que a vivência agregará tecnicamente ao seu currículo, assim como a experiência como um todo desenvolve sua capacidade de adaptação.

Para Ana Paula, a troca de culturas tem sido o mais positivo. O contato diário com pessoas de diferentes partes do mundo e a chance de estar inserida no mercado de trabalho de outro país tem sido muito enriquecedora. “Além disso, acredito que voltarei uma pessoa muito mais responsável, esforçada e, principalmente, pontual”, completa.

Oportunidades de relacionamento

Arthur Zim,mobilidade acadêmica

Artur Zim (de cinza) e colegas universitários / Foto: arquivo pessoal

O período na Alemanha tem contribuído para Arthur Zim melhorar seu nível de alemão, especialmente após o curso intensivo de idioma realizado logo na chegada. “Além de me preparar mais para o dia a dia, foi uma oportunidade de fazer novos amigos”, completa.

Já para Eduardo Lorandi é difícil classificar apenas uma coisa positiva em sua vivência no país europeu. Para o estudante, os benefícios se dividem entre o social, onde descobre-se e relaciona-se com novas culturas e o profissional, envolvendo todo o conhecimento adquirido, tanto técnico, quanto estrutural, político e econômico.

Mobilidade PUCRS

Para conhecer outras oportunidades de mobilidade acadêmica, acesse o site ou entre em contato com a equipe da Assessoria de Cooperação Internacional pelo e-mail mobilidade.out@pucrs.br ou, presencialmente, na sala 110, do prédio 1 do Campus (Av. Ipiranga, 6681 – Porto Alegre).

 

Compartilhe

Outras notícias Veja todas as notícias

  • Últimas publicadas
  • Mais lidas