Mosaico do Cristo Mestre

missa-5425

São milhares de pequenos fragmentos multi-coloridos de cerâmica (tesselas) que formam o mosaico do presbitério da Igreja Universitária Cristo Mestre, projetado e realizado pelo arquiteto e liturgista Cláudio Pastro.

Mosaico da Igreja

Ao centro, o Cristo Mestre no seu trono de glória; é o Pantokrátor (panto = tudo; krátor = senhor, dominador, título dado a Jesus pelos bizantinos, o Cristo todo-poderoso, rei do universo), com o livro da vida na mão esquerda com as palavras: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida (Jô 14, 6); a mão direita estendida com os três dedos indicando mistério da Trindade: o Pai e o Filho e o Espírito Santo. A coroa sobre a cabeça: os raios revelam a sua divindade e a parte sem os raios, a sua humanidade: Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Ao lado, direito e esquerdo, o IC e o XC (Iesus Christus): cristograma da palavra grega ictìs (peixe), significando Jesus Cristo, Filho de Deus Salvador. Sob os pés, todo o universo como escabelo (sustento e domínio). Ao lado do trono sobre o qual está assentado, sete candelabros ou chamas que lembram a plenitude, a totalidade dos 7 dias da criação, os 7 dons do Espírito Santo, os 7 Sacramentos da Igreja. Abaixo do trono, o Cordeiro Pascal ferido pela lança, no alto da cruz, que fez jorrar sangue e água, símbolos da Eucaristia e do Batismo, sinais sacramentais do Cristo Ressuscitado. O Cordeiro está na mesma direção e altura da mesa eucarística em forma de hóstia, onde continua, em sua memória, a ser celebrado o sacrifício redentor em cada santa missa.

Ao lado esquerdo de quem olha, São Marcelino Champagnat e o seu lema: Ad Iesum per Mariam (A Jesus por Maria), com o braço esquerdo apontando para o céu, a vida sobrenatural, e o braço direito envolvendo duas crianças, seus prediletos e do Instituto dos Irmãos Maristas, por ele fundado.

Ao lado direito de quem olha, a Boa Mãe, revestida do sol, coroada com doze estrelas (cf. Ap 12; as doze tribos de Israel, os doze apóstolos, figura da totalidade de todas as raças, povos, línguas e nações), a lua debaixo dos pés e o Menino Deus diante do seu colo para nos dizer: “Eu o gerei no ventre, mas Ele é do mundo, da humanidade”.

Uma grande árvore completa o cenário, lembrando-nos toda a criação, e o jardim do Éden (cf. Gn 2, 8) o paraíso criado e renovado. (Descrição feita pelo Pe. Pedro Kunrath).

Mosaico do presbitério da Igreja Universitária Cristo Mestre

Ao centro, o Cristo Mestre no seu trono de glória; é o Pantokrátor.

São Marcelino Champagnat.

Boa Mãe, revestida do sol, coroada com doze estrelas.

Cordeiro Pascal ferido pela lança, no alto da cruz, que fez jorrar sangue e água, símbolos da Eucaristia e do Batismo.

Uma grande árvore completa o cenário, lembrando-nos toda a criação, e o jardim do Éden.

Ad Iesum per Mariam (A Jesus por Maria).

Livro da vida com as palavras: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida (Jô 14, 6).