Poesias
Temas: MÃE

A Leoa

Não há quem a emoção não dobre e vença,
Lendo o episódio da leoa brava,
Que, sedenta e famélica, bramava,
Vagando pelas ruas de Florença.

Foge a população espavorida,
E na cidade deplorável e erma
Topa a leoa só, quase semv ida
Uma infeliz mulher débil e enferma.

Em frente à fera, um estupor de assombo,
Não já por si tremia, ela, a mesquinha,
Porém, porque era mãe e o peso tinha,
Sempre caro pras mães, de um filho ao ombro.

Cegava-a o pranto, enrouquecia-a o choro,
Desvairava-a o pavor!... e entanto, o lindo,
O tenro infante, pequenino e louro,
Plácido estava nos seus braços rindo.

E olhar desfeito em pérolas celestes
Crava a mãe no animal, que pára e hesita,
Àquele olhar de súplica infinita,
Que é só próprio das mães em transes destes.

Mas a leoa, como se entendesse
O amor de mãe, incólume deixou-a...
É que esse amor até nas feras vê-se!
E é que era mãe talvez essa leoa!


de Raimundo Correia
por carta


::: Voltar :::

Envie sua Contribuição
clique aqui
Poesias   
Artigos
Crônicas
Mensagens
Página do Leitor

Veja também:
Datas Comemorativas
     • Amizade
     • Consciência Negra
     • Dia de Ação de Graças
     • Dia Nacional da      Juventude
     • Direitos Humanos
     • Índio
     • Mãe
     • Meio Ambiente
     • Mulher
     • Namorados
     • Natal
     • Pai
     • Páscoa
     • Pátria
     • Paz
     • Professor
     • Semana do Trânsito
     • Volta s aulas

Dicas de Sites
Dinâmicas
Grêmio Estudantil
Grupo de Jovens
Projetos Pedagógicos

Um jornal de ideias:
Conheça o Mundo Jovem