16/06/2020 - 09h51

O significado do LED que pisca nos medidores eletrônicos de energia elétrica

Esse assunto já virou brincadeira, quem trabalha com ensaios em medidores sabe do que estou falando. Em qualquer lugar que você esteja, verá um LED piscando de algum medidor de energia elétrica! Pode ser no barzinho ou restaurante, ele sempre estará lá te chamando!

Mas afinal, para que serve?

Acredito que muitos dirão que é para verificar se o instrumento está funcionando, correto? Sim, de certa forma é uma boa resposta! Mas é muito mais do que isso.

A portaria INMETRO 587 de 2012 traz algumas terminologias (item 2) e requisitos mecânicos gerais (item 5) para auxiliar o entendimento. Dentre as principais para este assunto são:

2.2.4 – Constante Kh (constante de calibração): Corresponde à relação entre a energia elétrica medida e a quantidade de pulsos emitidos pelo medidor, através do seu dispositivo para verificação/calibração. Esse valor deve ser expresso watt-hora por pulso (Wh/pulso) ou em volt-ampère-reativo-hora por pulso (varh/pulso).

 2.2.7 – Pulsos de calibração/verificação: Pulsos emitidos pelo dispositivo de verificação/calibração do medidor.

 5.5.1 – O medidor deve ter, no mínimo, um dispositivo de saída do tipo diodo emissor de luz infravermelho ou vermelho e/ou um simulador de mancha de disco, acessível para calibração, capaz de ser monitorado com equipamento de verificação/calibração.

Obs.: Dispositivo de saída do tipo diodo emissor de luz infravermelho ou vermelho nada mais é que o LED que este texto menciona.

Resumindo

O LED que pisca nos medidores de energia elétrica, é a energia consumida naquele instante, ou explicando de outra maneira, a cada certa quantidade de energia consumida, o LED pisca. Através deste dispositivo é possível realizar a verificação/calibração dos equipamentos. Nos medidores de energia elétrica antigos, chamados eletromecânicos, ainda muito utilizados nos dias de hoje, o LED de certa forma substituiu a função do disco que ficava girando, lembra? Segue uma foto comparativa entre essas duas gerações.

medidor

Conforme já mencionado, o LED deve piscar a cada “x” quantidade de energia elétrica (Wh). Na placa de identificação do medidor de energia elétrica é informado esse valor, expresso em Wh/pulso. Muitos fabricantes optam por deixar a constante de calibração em 1 Wh/pulso.  Assim, a cada 1 Wh de energia consumida o LED irá piscar. Essa emissão de pulsos não é constante, varia a frequência de acordo com o consumo, isso quer dizer por exemplo, que quando você está tomando banho com chuveiro elétrico o medidor pisca mais rápido do que quando está com o chuveiro desligado.

Exemplo

 Seu consumo de energia do mês foi de 288 kWh conforme apresentado na conta de luz.

tabela

  1. Se a cada 1 Wh o medidor pisca, então conforme o consumo deste indivíduo, o medidor piscou 288.000 vezes no mês.

  1. Caso a constante de calibração fosse 1,25 Wh/pulso, o resultado seria 230.400.

equação2

Mas tudo isso para saber quantos pulsos meu medidor pisca por mês?

A resposta, claro, é não!

Como mencionado anteriormente, conforme portaria 587 de 2012 este LED serve para a calibração/verificação dos medidores de energia elétrica. Mas este conhecimento, explicado nos cálculos anteriores, é importante pois assim se entende um pouco de como os medidores de energia são ensaiados/calibrados.

Os laboratórios que realizam este tipo de serviço, utilizam bancadas de ensaios automatizadas para realizar a calibração destes instrumentos. Elas simulam um consumo de energia elétrica, onde é necessário entrar com algumas grandezas de ensaio, como: tensão, corrente e ângulo.  Assim, esses sistemas através de um sensor, captam quantos pulsos o medidor de energia elétrica emitiu em um determinado tempo de ensaio, resultando em uma variação de erro percentual. Isso, porque o sistema de calibração não vê os pulsos como simplesmente números, mas sim uma energia elétrica, pois não podemos esquecer que cada pulso é dado uma energia expressa em watt-hora por pulso (Wh/pulso) ou em volt-ampère-reativo-hora por pulso (varh/pulso).

Escrito por:
Eng. José Teodoro dos Santos Júnior
Analista de laboratório – LABELO/PUCRS
[email protected]

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias