Laboratório de Índice de Proteção

O Laboratório de Avaliação de Índice de Proteção (LAIP) oferece à comunidade industrial em geral a prestação de serviços de ensaios prescritos basicamente pelas normas IEC e ABNT NBR IEC 60529, destinadas à avaliação e determinação dos graus de proteção oferecidos por invólucros de equipamentos elétricos, designados por intermédio de sistema de codificação específico (código IP).

Para fins de execução dos ensaios de grau de proteção prescritos pelas normas acreditadas, o LAIP conta com os dispositivos de ensaio normalizados indicados pelas mesmas, assim como a instrumentação necessária para o estabelecimento das demais condições de ensaio necessárias. A avaliação de primeiro numeral 5 e 6 (códigos IP5X e IP6X, respectivamente) é realizada mediante a utilização de uma câmara de poeira dotada de duas bombas para circulação do talco de ensaio, que possui dimensões internas úteis de (600 x 650 x 1400) mm.

O LAIP normalmente executa ensaios de tipo para fins de certificação de produtos, por demanda de Organismos de Certificação de Produtos (OCPs) acreditados pela Cgcre, como também ensaios para avaliação de desempenho de produtos à luz das normas acreditadas para a área, demandados, via de regra, pelos fabricantes dos mesmos.

Além das avaliações prescritas pelas normas acreditadas pelo laboratório, também é possível a realização de serviços que envolvam a execução de ensaios de grau de proteção conforme normas ou procedimentos de ensaio específicos, não contemplados no escopo de acreditação do laboratório. Neste caso, é necessária uma avaliação preliminar da norma ou procedimento de ensaio de interesse. Caso o laboratório identifique a viabilidade técnica de aplicação dos ensaios indicados em tais documentos, estes poderão vir a ser executados como serviço não acreditado, após acordo prévio entre o laboratório e a parte interessada.

O LAIP originalmente habilitou-se a realizar os primeiros ensaios de grau de proteção com a acreditação da Cgcre no ano de 1999. Inicialmente, os ensaios para primeiro numeral restringiam-se às avaliações com probes (códigos IP1X a IP4X), enquanto os ensaios acreditados para segundo numeral não contemplavam as avaliações previstas para os códigos IPX5 a IPX8. A partir de 2002 o laboratório obteve acreditação para a realização de ensaios para os primeiros numerais 5 e 6 (códigos IP5X e IP6X), após aquisição de uma câmara de poeira PTL modelo P14.20, como também para a realização de todos os demais ensaios até não contemplados para avaliação da proteção ao ingresso de água.

No ano de 2005, em função da necessidade de ampliação de sua área física, o LAIP foi realocado do Prédio 30 para o Prédio 13 do campus central da PUCRS, tendo sido destinado ao mesmo uma área total construída exclusiva de aproximadamente 50 m2. A inauguração da atual área física ocupada pelo LAIP ocorreu em 09/11/2005, em conjunto com o complexo de laboratórios de ensaios de eficiência energética para eletrodomésticos do LABELO.

O atual escopo acreditado do LABELO junto a Cgcre para o LAIP contempla as normas IEC 60529:2013 e ABNT NBR IEC 60529:2005, para determinação do grau de proteção de invólucros definido segundo o código IP, além das normas específicas para índice de proteção definido pelo código IK (IEC 62262:2002 e IEC 60068-2-75:1997), podendo ser consultado diretamente no site do INMETRO por intermédio do link www.inmetro.gov.br/laboratorios/rble/docs/CRL0075.pdf .

Norma Número
Graus de proteção para invólucros de equipamentos elétricos (código IP) ABNT NBR IEC 60529/2005
Degrees of protection provided by enclosures (ip code) IEC 60529/2013
Degrees of protection provided by enclosures for electrical equipment against external mechanical impacts (ik code) IEC 62262/2002
Graus de proteção assegurados pelos invólucros de equipamentos elétricos contra os impactos mecânicos externos (código IK) NBR IEC 62262/2015
Environmental testing – part 2: tests – test eh: hammer tests IEC 60068-2-75 /1997

 

Conforme detalhado na seção 4 das normas IEC e NBR IEC 60529, o código IP é formado por dois numerais característicos (primeiro e segundo) que podem, opcionalmente, ser complementados por uma letra adicional e/ou por uma letra suplementar.

O primeiro numeral característico do código (número de 0 a 6, que pode vir a ser omitido mediante utilização da letra “X”) indica o grau de proteção oferecido pelo invólucro tanto contra o acesso a partes perigosas do equipamento quanto contra o ingresso de objetos sólidos estranhos; o segundo numeral característico do código (número de 0 a 8, que pode vir a ser omitido mediante utilização da letra “X”) indica, por sua vez, o grau de proteção oferecido pelo invólucro contra a penetração de água.

A letra adicional do código (letra de “A” a “D”) é utilizada opcionalmente para indicar, de modo específico, o grau de proteção de pessoas contra o acesso a partes perigosas internas ao invólucro do equipamento, que pode, eventualmente, ser superior àquele previamente indicado pelo primeiro numeral característico. Assim, o emprego das letras adicionais “A”, “B”, “C” ou “D” no código indicará, basicamente, que o invólucro é respectivamente protegido contra o acesso com o dorso da mão, com um dedo, com uma ferramenta ou com um fio.

Finalmente, a letra suplementar do código (letra “H”, “M”, “S” ou “W”) é opcionalmente empregada para indicação de informações suplementares associadas ao produto ensaiado, conforme norma pertinente deste. Assim, às letras suplementares “H”, “M”, “S” e “W” são respectivamente associadas a equipamentos de alta tensão, equipamentos ensaiados com partes móveis em movimento (segundo numeral), equipamentos ensaiados com partes móveis em repouso (segundo numeral) e equipamentos adequados para uso em condições ambientais especificadas.