Laboratório de Fios, Cabos e Cordões

O laboratório, está acreditado na RBLE – Rede Brasileira de Laboratórios de Ensaio e no ONA – Organismo Nacional de Acreditación Paraguay.

Possui uma equipe técnica especializada adequada que busca permanentemente o seu aprimoramento técnico e atualização visando atender melhor as necessidades dos clientes.

Participa do GT – Grupo de Trabalho de Fios e Cabos do INMETRO desenvolvendo trabalhos que envolvem o estudo e aplicação das Normas técnicas como também na elaboração dos RAC’s-Regras para Avaliação de Conformidades.

O Laboratório de Ensaios Fios e Cabos está acreditado para as principais normas de fios, cabos e cordões elétricos no Brasil que são compulsórias.

O Laboratório de Ensaios Fios e Cabos, consolidou-se no ano de 2000 atendendo praticamente toda a demanda de ensaios que surgiu para a certificação compulsória de Cabos e Cordões da Norma NBR 13249, para a qual não existia Laboratórios acreditados no País.

Desde fevereiro de 2006, o LABELO dispõem de novas instalações do seu Laboratório de Fios e Cabos, construída para melhor atender as necessidades dos seus clientes, com instrumentos e equipamentos modernos e atualizados, como também dispositivos para ensaios desenvolvidos no próprio LABELO.

As normas acreditadas referentes aos ensaios de fios, cabos e cordões estão apresentadas a seguir:

Descrição das normas acreditadas para fios e cabos:
Ensaios/Faixas Normas e/ou Procedimento
Fios de cobre nus, de seção circular, para fins elétricos – Especificação NBR 5111/1997
Condutores isolados com isolação extrudada de cloreto de polivinila (PVC) para tensões até 750 V – Sem cobertura – Especificação NBR 6148/1999
Materiais metálicos – Determinação das propriedades mecânicas à tração NBR 6152/1992
Materiais metálicos – Ensaio de tração à temperatura ambiente NBR ISO 6892/2002
Envelhecimento térmico acelerado NBR 6238/1988
Deformação a quente NBR 6239/1986
Ensaio de impacto em fio e cabos elétricos NBR 6240/1980
Tração à ruptura em materiais isolantes e coberturas protetoras extrudadas para fios e cabos elétricos NBR 6241/1985
Verificação dimensional para fios e cabos elétricos NBR 6242/1980
Choque térmico para fios e cabos elétricos NBR 6243/1980
Fios e cabos elétricos – Determinação do índice de oxigênio NBR 6244/1980
Dobramento a frio NBR 6246/1986
Cabos de potência com isolação extrudada para tensões de 1 kV a 35 kV – Requisitos Construtivos NBR 6251/2000
Cabos de potência com isolação extrudada para tensões de 1 kV a 35 kV – Requisitos Construtivos NBR 6251/2006
Tração a ruptura em componentes metálicos NBR 6810/1981
Ensaio de resistência de isolamento NBR 6813/1981
Ensaio de resistência elétrica NBR 6814/1986
Ensaio de determinação da resistividade em componentes metálicos NBR 6815/1981
Ensaio de tensão elétrica NBR 6881/1981
Ensaio de absorção acelerada de umidade NBR 7040/1981
Ensaios de perda de massa NBR 7105/1981
Cabos de potência com isolação sólida extrudada de cloreto de polivinila (PVC) ou polietileno (PE) para tensões de 1kV a 6kV – Especificação NBR 7288/1994
Cabos de controle com isolação extrudada de PE ou PVC para tensões até 1kV – Requisitos de desempenho NBR 7289/2000
Cabos de controle com isolação extrudada de XLPE ou EPR para tensões até 1kV – Requisitos de desempenho NBR 7290/2000
Ensaio de resistividade superficial NBR 7299/1982
Fios e cabos elétricos – Ensaios de resistividade volumétrica NBR 7300/1982
Fios e Cabos elétricos- ensaio de fragilização NBR 7307/1982
Condutores flexíveis ou não, isolados com policloreto de vinila (PVC/EB), para 105°C e tensões até 750V, usados em ligações internas de aparelhos elétricos NBR 9117/2002
Condutores flexíveis ou não, isolados com policloreto de vinila (PVC/EB), para 105°C e tensões até 750V, usados em ligações internas de aparelhos elétricos NBR 9117/2006
Ensaio de capacitância mútua NBR 9128/1994
Ensaio de desequilíbrio resistivo NBR 9130/1994
Cabos telefônicos – Ensaio de impedância característica – Método de ensaio NBR 9132/1999
Fios e cabos telefônicos ensaio de atenuação de sinal de transmissão NBR 9133/1985
Cabos telefônicos – Ensaio de desequilíbrio capacitivo – Método de ensaio NBR 9138/1998
Cabos ópticos e fios e cabos telefônicos – Ensaio de tração e alongamento à ruptura – Método de ensaio NBR 9141/1998
Fios e cabos Telefônicos – Ensaios de contratação – Método de Ensaio NBR 9143/1999
Cabos telefônicos – Ensaio de Verificação da continuidade e Contato elétrico – Método de ensaio NBR 9144/1999
Ensaio de resistência de isolamento NBR 9145/1991
Cabos ópticos e fios e cabos telefônicos – Ensaio de envelhecimento – Método de ensaio NBR 9148/1998
Cabos telefônicos – Ensaio de escoamento do Composto de enchimento – Método de ensaio NBR 9149/1998
Fios telefônicos – Ensaios de separação das veias NBR9150/1994
Cabos de instrumentação com isolação extrudada de PE ou PVC para tensões até 300V – Especificação NBR 10300/1997
Cabos e cordões flexíveis para tensões até 750V – Especificação NBR 13249/2000
Cordões flexíveis com isolação extrudada de polietileno clorossulfonado (CSP) para tensões até 300V – Requisitos de desempenho NBR 14633/2000
Classificação dos cabos internos para telecomunicações quanto ao comportamento frente à chama – Especificação NBR 14705/2001
Classificação dos cabos internos para telecomunicações quanto ao comportamento frente à chama – Especificação NBR 14705-CMX/2006 Para classificação CMX
Cabos e cordões flexíveis isolados com policloreto de vinila (PVC), para aplicações especiais em cordões conectores de aparelhos eletrodomésticos, em tensões até 500V NBR 14897/2002
Cabos flexíveis isolados com borracha etilenopropileno (EPR), para aplicações especiais em cordões conectores de aparelhos eletrodomésticos, em tensões até 500V NBR 14898/2002
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750V, inclusive – Parte 1: Requisitos gerais (IEC 60227-1, MOD) NBR NM 247-1/2002
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750V, inclusive – Parte 1: Requisitos gerais (IEC 60227-1, MOD) NBR NM 247-1/2006
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750V, inclusive – Parte 2: Métodos de ensaios (IEC 60227-2, MOD) NBR NM 247-2/2002
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750V, inclusive – Parte 2: Métodos de ensaios (IEC 60227-2, MOD) NBR NM 247-2/2006
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750V, inclusive – Parte 3: Condutores isolados (s/ cobertura) p/ instalações fixas (IEC 60227-3,MOD) NBR NM 247-3/2002
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750V, inclusive – Parte 3: Condutores isolados (s/ cobertura) p/ instalações fixas (IEC 60227-3,MOD) NBR NM 247-3/2006
Condutores de cabos isolados (IEC 60228, MOD) NBR NM 280/2002
Condutores de cabos isolados (IEC 60228, MOD) NBR NM 280/2003
Métodos de ensaios comuns para os materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos – Parte 1: Métodos para aplicação geral – Capítulo 1: Medição de espessuras e dimensões externas – Ensaios para determinação das propriedades mecânicas NBR NM IEC 60811-1-1/2001
Métodos de ensaios comuns para os materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos – Parte 1: Métodos para aplicação geral – Capítulo 2: Métodos de envelhecimento térmico NBR NM IEC 60811-1-2/2001
Métodos de ensaios comuns para os materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos – Parte 1: Métodos para aplicação geral – Capítulo 3: Métodos para a determinação da densidade de massa – Ensaios de absorção de água – Ensaio de retração NBR NM IEC 60811-1-3/2001
Métodos de ensaios comuns para os materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos e ópticos – Parte 1: Métodos para aplicação geral – Capítulo 4: Ensaios a baixas temperaturas NBR NM IEC 60811-1-4/2003
Métodos de ensaio comuns para materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos e ópticos – Parte 2: Métodos específicos para materiais elastoméricos – Capítulo 1: *Ensaios de resistência ao ozônio, de alongamento a quente e de imersão em óleo mineral NBR NM IEC 60811-2-1/2003* *Exceto ensaio de resistência ao Ozônio item 8
Polyvinyl chloride insulated cables of rated voltages up to and including 450/750V – Part 1: General Requirements IEC 60227-1/1998
Polyvinyl chloride insulated cables of rated voltages up to and including 450/750V – Part 2: Test methods IEC 60227-2/2003
Polyvinyl chloride insulated cables of rated voltages up to and including 450/750V – Part 3: Non-sheathed cables for fixed wiring IEC 60227-3/1997
Polyvinyl chloride insulated cables of rated voltages up to and including 450/750V – Part 4: Sheathed cables for fixed wiring IEC 60227-4/1997
Polyvinyl chloride insulated cables of rated voltages up to and including 450/750V – Part 5: Flexible cable (cords) IEC 60227-5/2003
Conductors of Insulated cables IEC 60228/1993
Conductors of Insulated cables IEC 60228/2004
Rubber insulated cables – Rated voltages up to and including 450/750 V – Part 1 : General requirements IEC 60245-1/2003 *exceto item 4 – tabela 1 Resistência ao ozônio
Rubber insulated cables – Rated voltages up to and including 450/750 V – Part 2 : Test methods IEC 60245-2/1998
Rubber insulated cables – Rated voltages up to and including 450/750 V – Part 3 : Heat resistant silicone insulated cables IEC 60245-3/1997
Rubber insulated cables – Rated voltages up to and including 450/750 V – Part 4 : Cords and flexible cables IEC 60245-4/2004* *exceto item 3.3 das tabelas 2,4,6,8 e 10 *exceto item 3.5 das tabelas 4, 6, 8 e 10
Rubber insulated cables – Rated voltages up to and including 450/750 V – Part 5 : Lift cables IEC 60245-5/1994* exceto item 3.3 da tabela 2
Rubber insulated cables – Rated voltages up to and including 450/750 V – Part 5 : Lift cables IEC 60245-5/2003* exceto item 3.3 da tabela 2
Tests on electric cables under fire conditions – Part 1: Test on a single vertical insulated wire or cable IEC 60332-1/1993
Method of measurement of oxygen index for non-metallic components in electric cables IEC60332-3 1993 Anexo B
Metodos de ensaio em cabos elétricos sob condições de fogo – Part 1: Ensaio em um único condutor ou cabo isolado na posição vertical NBR NM IEC 60332-1/2005
Métodos de ensaio em cabos elétricos sob condições de fogo – Parte 1: Ensaio em um único condutor ou cabo isolado na posição vertical NM-IEC 60332-1/2005
Tests on electrical and optical fibre cables under fire conditions – Part 1-1: Test for vertical flame propagation for a single insulated wire or cable – Apparatus IEC 60332-1-1/2004
Tests on electrical and optical fibre cables under fire conditions – Part 1-2: Test for vertical propagation for a single insulated wire or cable – Procedure for 1 kW pre-mixed flame IEC 60332-1-2/2004
Common test methods for insulating and sheathing materials of electric cables – Part 3: Methods specific to PVC compounds Section One – Pressure test at high temperature – Test for resistance to cracking IEC 60811-3-1/2001
Métodos de ensaio comuns para materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos e ópticos – Parte 3: Métodos específicos para os compostos de PVC – Capitulo 1: Ensaio de pressão a altas temperaturas – Ensaios de resistência à fissuração NBR NM IEC 60811-3-1/2005
Métodos de ensaio comuns para materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos e ópticos – Parte 3: Métodos específicos para os compostos de PVC – Capitulo 1: Ensaio de pressão a altas temperaturas – Ensaios de resistência à fissuração NM IEC 60811-3-1/2005
Common test methods for insulating and sheathing materials of electric cables – Part 3: Methods specific to PVC compounds Section Two – Lost of mass test – Thermal stability test IEC 60811-3-2/2003
Métodos de ensaios comuns para materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos e ópticos – Parte 3: Métodos específicos para os compostos de PVC – Capitulo 2: Ensaio de perda de massa – Ensaio de estabilidade térmica NBR NM IEC 60811-3-2/2005
Métodos de ensaios comuns para materiais de isolação e de cobertura de cabos elétricos e ópticos – Parte 3: Métodos específicos para os compostos de PVC – Capitulo 2: Ensaio de perda de massa – Ensaio de estabilidade térmica NM IEC 60811-3-2/2005
Common test methods for insulating and sheathing materials of electric and optical cables – Part 1: Methods for general application – Section four: Test at low temperature IEC 60811-1-4/2001
Fire hazard testing – Part 11-2: Test flame – 1kW nominal pre-mixed flame – Apparatus, confirmatory test arrangement and guidance IEC 60695-11-2/2003
Fire hazard testing – Part 2: Test methods – Section 4/sheet 0: Diffusion type and premixed type flame test methods IEC 60695-2-4/0/2001
Specifications for particular types of winding wires – Part 3: Polyester enameled round copper wire, class 155 IEC 60317-3/2004 somente item 13
Winding wires – Test methods – Part 5: Electrical properties IEC60851-5/2004 somente item 4
Specification for particular types of wind wires – Part 0-1: General requeriments – Enamelled copper wire IEC 60317-0-1/2005 somente item 13
Specifications for particular types of winding wires – Part 13: Polyester or polyesterimide overcoated with polyamide-imide enameled round copper wire, class 200 IEC 60317-13/1997 somente item 13
Specifications for particular types of winding wires – Part 8: Polyesterimide enameled round copper wire, class 180 IEC 60317-8/1997 somente item 13
Specifications for particular types of winding wires – Part 7: Polymide enameled round copper wire, class 220 IEC60317-7/1997 somente item 13
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) ou isolados com composto termofixo elastomérico, para tensões nominais até 450/750 V, inclusive – Inspeção e recebimento NM 243/2000
Cabos isolados com policloreto de vinila (PVC) para tensões nominais até 450/750 V , inclusive – Parte 5: Cabos flexíveis ( cordões) – (IEC 60227-5, MOD) NM 247-5/2002
Standard Test Methods of Tension Testing Wrought and Cast Aluminium – and Magnesium – Alloy Products ASTM B 557/2002
Standard Test Methods of Tension Testing Wrought and Cast Aluminium – and Magnesium – Alloy Products ASTM B 557/2006
Standard Test Methods for Rubber – Deterioration in an Air Over ASTM D 573/1994
Standard Test Methods for Rubber – Deterioration in an Air Over ASTM D 573/2004
Standard Test Methods for Tensile Properties of Plastics ASTM D 638/1996
Standard Test Methods for Tensile Properties of Plastics ASTM D 638/2003
Standard Test Methods for Brittleness Temperature of Plastics and Elastomers by Impact ASTM D 746/1995
Standard Test Methods for Brittleness Temperature of Plastics and Elastomers by Impact ASTM D 746/2004
Test Method for Weight (Mass) of Coating on Iron and Steel Articles with Zinc or Zinc-alloy Coatings ASTM A90/A90M-95
Test method for Weight (Mass) of coating on Iron and steel articles with Zinc or Zinc-alloy Coatings ASTM A 90/A90M/2001
Standard Test Methods for Tension Testing of Metallic Materials ASTM E8/2001
Standard Test Methods for Tension Testing of Metallic Materials ASTM E8/2004
Norma para certificação e homologação de cabos coaxiais flexíveis de 50 ou 75 ohms Resolução 382/2004 da ANATEL
Cabos ópticos, fios e cabos telefônicos Ensaio de Tensão elétrica aplicada NBR 9146/1994
Fios e Cabos Telefônicos – Ensaio de contração – Método de Ensaio NBR 9143/1999
Fios e cabos telefônicos- Ensaio de resistência à fissuração- Método de ensaio NBR 9142/1999
Resistência ao Corte por linha de Cerol Procedimento de Ensaios Anatel, cat I, de 28/01/08
Resistência ao efeito mola Procedimento de Ensaios Anatel, cat I, de 28/01/08
Ensaio de aderência no condutor de aço cobreado Procedimento de Ensaios Anatel, cat I, de 28/01/08
Road vehicles – 60 V and 600 V single – core cables – Dimensions, test methods and requirements ISO 6722/2002 exceto itens 9 e 11.13

 

Produto Ensaios/Faixas Normas e/ou Procedimento
Fio telefônico externo (BINADO FEB) 8.01 e 8.02 – Resistência elétrica
8.03 – Resistência de isolamento
8.04 – Capacitância mútua
8.05 – Desequilibro resistivo
8.06 – Tensão aplicada
Envelhecimento acelerado da capa externa
SDT 235-320-717/1993 (Telebrás)
SDT 235-300-503/1993 (Telebrás)
Fio Telefônico DG 8 A a ou b – Resistência elétrica
8 A c – Resistência de isolamento
8 A d – Tensão aplicada
SDT 235-310-705/1982 (Telebrás)
SDT 235-300-500/1982 (Telebrás)
Retardância à chama (classificação CMX) ABNT NBR 14705/2001
Fio Telefônico Externo FE Resistência elétrica
Resistência de isolamento
Tensão aplicada
Envelhecimento acelerado
SDT 235-320-706/1981 (Telebrás)
SDT 235-320-707/1982 (Telebrás)
SDT 235-300-500/1982 (Telebrás)
Fio Telefônico Interno FI 8 A a ou b – Resistência elétrica
8 A c – Resistência de isolamento
8 A d – Tensão aplicada
SDT 235-310-704/1983 (Telebrás)
SDT 235-300-500/1982 (Telebrás)
Retardância à chama (classificação CMX) ABNT NBR 14705/2001
11.9 Relative propagation velocity (velocity ratio) IEC 61196/1995
Cabo UTP (cabo sem blindagem) – categoria 3 – par trançado de 100 ohms (capacidade até 4 pares – inclusive) Retardância à chama ABNT NBR 14705/2001 (classificação CMX)
Cabo STP (cabo com blindagem) – categoria 3 – par trançado de 100 ohms (capacidade até 4 pares – inclusive) Retardância à chama ABNT NBR 14705/2001 (classificação CMX)
Cabo UTP (cabo sem blindagem) – categoria 5e – par trançado de 100 ohms (capacidade até 4 pares – inclusive) Retardância à chama ABNT NBR 14705/2001 (classificação CMX)
Cabo STP (cabo com blindagem) – categoria 5e – par trançado de 100 ohms (capacidade até 4 pares – inclusive) Retardância à chama ABNT NBR 14705/2001 (classificação CMX)
Cabo UTP (cabo sem blindagem) – categoria 6 – par trançado de 100 ohms (capacidade até 4 pares – inclusive) Retardância à chama ABNT NBR 14705/2001 (classificação CMX)
Cabo STP (cabo com blindagem) – categoria 6 – par trançado de 100 ohms (capacidade até 4 pares – inclusive) Retardância à chama ABNT NBR 14705/2001 (classificação CMX)