02/03/2020 - 09h30

7 Dicas de como evitar um curto circuito

Um curto-circuito, menor que seja, pode causar um incêndio. Por isso, medidas devem ser tomadas para evitar esse tipo de acidente e meios de combatê-lo caso seja necessário

curtoSempre que surge um problema na rede elétrica alguém dá um jeitinho, puxa uma extensão daqui, faz uma adaptação dali, liga o notebook, carregador, ventilador e tudo mais que achar necessário na mesma tomada. E não esquecendo os “reparos” temporários que acabam se tornando permanentes, até que surge um problema realmente sério, o curto-circuito, isso ocorre quando há uma sobrecarga na rede elétrica, um grave problema que pode resultar em um incêndio.

O curto-circuito é um dos principais causadores de incêndios em instalações elétricas mal construídas ou mal conservadas, que possuem constante movimentação elétrica. Normalmente, erros de dimensionamento e fios desencapados são os maiores provocadores de curtos-circuitos em ambientes residenciais, comerciais e industriais.

Por isso listamos 7 dicas de como evitar um curto circuito:

1.Verifique as tomadas!

Algumtomadaas das principais causas de curtos-circuitos são: fiação defeituosa, conexões de caixa solta, tomadas antigas, fios desencapados, bitolas menores do que o recomendado, entre outros. Embora o diagnóstico desses problemas possa ser difícil, considerando que eles estão escondidos atrás de suas paredes, você ainda pode ajudar a evitar curtos-circuitos examinando suas tomadas antes de cada uso. Existem certos sinais que indicam que sua tomada pode estar em risco de um curto-circuito:

  • A tomada possui marcas ou cheiro de queimado;
  • Som de zumbido vindo da tomada;
  • Faíscas emitidas pela tomada, quando um aparelho é conectado nela.
  • Uma simples verificação pode evitar um grave acidente.

 

2. Atenção as extensões!

fiosExiste um produto bem crítico que são as extensões enroláveis em carretéis.

Tais produtos devem apresentar a carga máxima (em Watts), sendo completada esta informação com a tensão, expressa em volts, que pode ser utilizada com o cabo totalmente enrolado e na condição de totalmente desenrolado.

Exemplo: 1500 W – 220 V, cabo flexível totalmente enrolado

3000 W – 220 V, cabo flexível totalmente desenrolado

Caso tal orientação não seja respeitada, poderá ocorrer o curto-circuito, através do derretimento da isolação dos condutores.

3. Verifique os aparelhos eletrônicos!

Assim como as tomadas, você deve verificar seus aparelhos antes de conectá-los também. Curtos-circuitos podem ser causados ​​por fiação ou circuito defeituoso do próprio equipamento. Portanto, antes de cada uso, verifique se o equipamento apresenta esses sinais:

fioCabos, revestimento ou fios danificados, ou expostos;
Rachaduras no equipamento;
Exposição de peças internas do aparelho.

Se algum destes sinais se aplicar ao seu equipamento eletrônico, é recomendado descartar ou solicitar a reparação profissional do seu equipamento

 

4. Reduza ao máximo o uso de aparelhos eletrônicos durante uma tempestade!

raio

Uma das maneiras mais perigosas de um curto-circuito acontecer é pela queda de um raio, pois a enorme quantidade de eletricidade pode levar a danos graves.

É importante, durante as tempestades, reduzir o uso de equipamentos eletrônicos. Isso não apenas ajudará a impedir que curtos-circuitos aconteçam, como também diminuirá os danos caso ocorra uma sobrecarga de energia.

 

5. Utilize disjuntores modernos!

disjuntores

Opte pela escolha dos disjuntores modernos (DIN), eles são desligados quando as correntes elétricas são consideradas instáveis sendo muitos mais seguros do que os disjuntores pretos antigos (NEMA). Sempre que há um problema de curto-circuito ou sobrecarga, o disjuntor desarma. Se isso acontecer constantemente, é importante solicitar uma manutenção do disjuntor para que ele efetue corretamente sua função.

 

6. Faça a revisão de suas instalações elétricas a cada cinco anos!

As instalações elétricas também envelhecem e necessitam de uma atualização, principalmente porque a tecnologia avança, nos “forçando” a comprar cada vez mais equipamentos eletrônicos modernos.

Através de uma revisão na instalação elétrica, é possível identificar e impedir a ocorrência de curtos-circuitos. As revisões também ajudam a conservar sua instalação elétrica, tomadas e todos os componentes de seu sistema elétrico.

7. Incêndio Elétrico! E agora como apagar?

extintorSe mesmo tomando todos os cuidados de prevenção ou se você se deparar com uma situação que pode ter sido causada por um curto-circuito tome cuidado!

Não use água para apagar fogo nas instalações elétrica ou em aparelhos domésticos. Ela é um excelente condutor de energia e o seu contato com a eletricidade pode resultar em choques fatais. Para esse tipo de incêndio, o mais recomendado são os extintores secos, com dióxido de carbono (CO2), conhecidos como “tipo C”. Importante: caso veja fumaça saindo de dentro de tomadas ou interruptores, desligue a chave geral de eletricidade (se estiver em local seguro) e abandone a casa, acionando o corpo de bombeiros o mais rápido possível

O LABELO conta com equipamentos capazes de avaliar a resposta de um determinado equipamento ou amostra quando submetidos a condições de correntes elevadas durante um curto espaço de tempo. O equipamento permite a aplicação de correntes de até 10000 A. O laboratório tem condições de realizar ensaios de sobrecarga de curta duração, que simula picos de correntes de até 10.000A em um período de meio ciclo de rede (8,33 ms).

 Obs.: Esse tempo de 8,33 ms é constante, neste equipamento de sobrecarga de curta duração não é possível mudar o tempo para o nível de 10.000A

Saiba mais em: http://www.pucrs.br/labelo/servicos-especializados/ensaios-de-desenvolvimento/desenvolvimento-com-cargas-eletricas-especificasbanco-de-cargas/short-time-over-current-test-panel-10-000a/

 

 

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias