IMA integra projeto internacional para reduzir emissão de carbono

O Instituto representa a PUCRS em Iniciativa que reúne outras 14 universidades

Instituto do Meio Ambiente da PUCRS (IMA) integra a equipe internacional vinculada ao projeto Change the Climate: Assuring the Quality of Environmental Strategies in Latin-American Higher Education. A iniciativa tem o objetivo de desenvolver políticas administrativas com vistas à sustentabilidade ambiental, de forma a diminuir o impacto das universidades na geração de gases-estufa e, consequentemente, contribuir para que as metas de diminuição de emissão de carbono sejam atingidas pela humanidade. O projeto, financiado pela Erasmus+, é liderado pelo professor do Instituto Universitário de Lisboa, Vasco Moreira Rato e tem o professor Nelson Ferreira Fontoura, diretor do IMA, como vice-coordenador da proposta.

O projeto receberá 943 mil euros de investimento, no consórcio formado por 15 instituições, sendo quatro universidades europeias e 11 latino-americanas. O orçamento da PUCRS no projeto é de 137 mil euros. A iniciativa deve medir a “pegada de carbono” da Universidade como um todo e desenvolver ações para tornar a PUCRS uma referência como Universidade Neutra em Carbono.

Menos impacto ao meio ambiente

De acordo com Nelson Fontoura, a PUCRS já vem trabalhando de forma sistemática na diminuição de seu impacto na geração de carbono, seja através de ações desenvolvidas através do Comitê de Gestão Ambiental (CGA), seja através do programa USE – Uso Sustentável de Energia, que objetiva a diminuição do consumo de energia. “Além de agir na diminuição da emissão de gases-estufa, a PUCRS desenvolve uma ação ímpar dentre as instituições brasileiras: a captação e retenção de carbono atmosférico em grande escala”, conta o diretor.

Através do Centro de Pesquisa e Conservação da Natureza – Pró-Mata, administrado pelo IMA, a PUCRS possui cerca de 3,1 mil hectares de áreas preservadas no município de São Francisco de Paula (RS), dos quais 2, 4 mil hectares estão em processo final para se tornarem Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). São centenas de hectares de matas primárias e secundárias que serão preservados com perpetuidade, garantindo o sequestro de milhares de toneladas de carbono absorvidos da atmosfera.

“É uma ação silenciosa, mas que faz com que a comunidade universitária, ao estudar ou trabalhar na PUCRS, tenha um impacto de carbono muito mais baixo do que em outras universidades brasileiras”, celebra Fontoura. De acordo com o pesquisador, estudar ou trabalhar na Instituição é ambientalmente amigável.

Instituições parceiras

O consórcio do projeto é composto por 15 instituições parceiras de nove países (Portugal, Itália, França, Suécia, Brasil, Colômbia, Peru, Costa Rica e México), sendo elas:

  • ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) – Portugal
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) – Brasil
  • Universidad del Norte (Uninorte) – Colômbia
  • Universidad de La Sabana (Unisabana) – Colômbia
  • Universidad de Costa Rica (UCR) – Costa Rica
  • Universidad Nacional de Costa Rica – Heredia (UNA) – Costa Rica
  • Universidad de Lima (ULima) – Peru
  • Universidad del Pacífico (UP)    – Peru
  • Universidad de Guadalajara (UDG) – México
  • Benemérita Universidad Autónoma de Puebla (BUAP) – México
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Brasil
  • Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) – Brasil
  • Politecnico di Torino (POLITO) – Itália
  • University of Gothenburg (GU) – Suécia
  • Sulitest.org / Kedge B. School (SULITEST) – França

Sobre o Erasmus+

O Erasmus+ (pronuncia-se Erasmus plus) é um programa da União Europeia (UE) nos domínios da educação, formação, juventude e desporto. Globalmente, apoia ações e formas de cooperação institucional.