Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) foi criado em 1969, pelo Conselho Universitário da PUCRS, sob a denominação de Curso de Pós-Graduação em Letras. No ano seguinte, ou seja, em 1970, foi instalado o Curso de Pós-Graduação em Linguística e Letras (CPGLL), com a atribuição de implantar o Programa de Mestrado no Instituto de Letras e Artes (ILA), hoje Escola de Humanidades. O Curso iniciou suas atividades em 1970, com Mestrado em Linguística Aplicada (atual Linguística), e em 1972, em Teoria Literária (atual Teoria da Literatura).

Em 8 de outubro de 1973, o Curso foi credenciado pelo Conselho Federal de Educação e, subsequentemente, recredenciado em 4 de outubro de 1979 e 5 de dezembro de 1985. Em 27 de abril de 1977, o Conselho Universitário da PUCRS aprovou a criação do nível de Doutorado, nas áreas de Linguística Aplicada e Teoria da Literatura, cujas atividades tiveram início em 1978. O Curso, em nível de Mestrado e de Doutorado, foi credenciado pelo Conselho Federal de Educação em 5 de dezembro de 1985, através do Parecer 864/85, e recredenciado em 7 de outubro de 1993, pelo Parecer 639/93.

Desde sua criação, podem-se identificar três fases do PPGL, decorrentes do seu amadurecimento e das diretrizes da CAPES. Na primeira, entre 1970 e 1977, o impacto do PPGL foi mais regional, acolhendo alunos de IES do RS e capital. Pesquisas e eventos visavam sobretudo à realidade social sul-rio-grandense, embora seus ministrantes viessem de outros espaços culturais. Por isso, vários trabalhos (publicações, dissertações) desenvolviam temas sobre a cultura local. Nesse momento, a revista Letras de Hoje, criada em 1967, vincula-se ao PPGL.

Na segunda fase, de 1978, início do Doutorado, a 2004, o PPGL se ampliou muito, com contratação de professores estrangeiros de Linguística e com alunos das cinco regiões brasileiras, que fizeram pesquisas relevantes para seus Estados. Assim, contribuiu para a expansão da pós-graduação brasileira, como se observa pela alocação dos egressos, que estão em IES e divulgam a produção intelectual em eventos e publicações. Nessa fase, a Linguística voltou-se para Psicolinguística, Sociolinguística e Teoria da Variação, Texto e Discurso, Lógica da Linguagem Natural, Fonologia, Sintaxe e Semântica. A Teoria da Literatura optou pela avaliação crítica da produção e recepção literárias; recuperação e historicização da memória literária; sistema literário de língua portuguesa e de outras línguas; teorias da leitura e formação do leitor infantil e juvenil.

Em 1982 e 1983, iniciaram-se os Seminários de Crítica Literária Brasileira e de Crítica do RS (atualmente com 28 e 27 edições). Em 1985, surgiu a Oficina de Criação Literária para incentivar a produção artística de novos autores. Com reputação nacional, a Oficina, ministrada pelo premiado escritor Luiz Antonio de Assis Brasil, já formou mais de 800 alunos de vários Estados, muitos com projeção nacional, como Cíntia Moscovich, Letícia Wierzchowski, Michel Laub, Daniel Galera, Amilcar Bettega Barbosa, Daniel Pelizzari, Clarah Averbuck, Bernardo Moraes e Robertson Frizero.

Na área de Linguística, entre 1989 e 2009, o PPGL realizou 8 edições do Seminário Nacional de Aquisição da Linguagem. Em 1995, houve a primeira edição do Seminário Internacional de História da Literatura e, no âmbito das publicações, surgiram os Cadernos de Pesquisas em Literatura e os de Linguística e coleções de livros do PPGL/EDIPUCRS. Grupos de Trabalhos da ANPOLL, liderados por pesquisadores do PPGL, favoreceram a divulgação de resultados de pesquisas e intercâmbio com outros centros. Os docentes ampliaram presença no circuito acadêmico, em eventos nacionais e internacionais de referência (IRA, BRASA, AIL), de associações científicas nacionais (ANPOLL, ABRALIN, ABRALIC), de comissões em agências de fomento (FAPERGS, CAPES, CNPq, FAPERJ, FAPESC).

Na terceira e atual fase do PPGL, iniciada em 2005 com a posse do Reitor Joaquim Clotet e o Plano Estratégico da PUCRS (em 5 grandes áreas: ensino, pesquisa, extensão, ações comunitárias e desenvolvimento institucional e meio ambiente), o Programa registrou avanço do conhecimento, contribuindo para o desenvolvimento científico e tecnológico. A busca de excelência comprova-se pela definição das estruturas de pesquisa, produção científica de qualidade, qualificação docente e internacionalização. O PPGL segue a política da PUCRS, que estimula a saída de um docente/semestre para pós-doutoramento em cada Programa.

A nova visão da PUCRS exigiu a reestruturação do Programa em 2008 para enfrentar desafios no contexto acadêmico e social contemporâneos, com objetivos de (a) fortalecer aspectos positivos que asseguraram a posição do PPGL nacional e internacionalmente e (b) adequar-se às novas exigências da pós-graduação, sobre produção de conhecimento e qualificação docente. A reformulação, discutida pelos docentes, manteve a estrutura básica que vinha orientando o PPGL, mas inovou ao criar espaço de discussão entre as áreas, apoiado em uma linha de pesquisa comum – Fundamentos Linguístico-Literários da Linguagem – que associa Linguística e Literatura ao estudo de teorias do campo abrangente da linguagem.

Na Teoria da Literatura, de 2006 a 2011, instituiu-se o acolhimento a alunos para escrita literária, destinando três vagas do mestrado aos que pretendessem elaborar trabalho criativo. Os estudos diferiam do mestrado em Teoria da Literatura apenas no trabalho de conclusão, que deveria conter, além da criação literária, um ensaio sobre o processo criativo. Nessa modalidade, Bernardo Bueno defendeu o 1º mestrado e está concluindo o PhD pleno em Creative Writing pela University East Anglia, Reino Unido, com bolsa CAPES. A 1ª defesa de tese de doutorado, orientada pelo prof. Assis Brasil, ocorreu em 2010, e a 2ª, em dezembro de 2012, em cotutela, com dupla titulação, orientada pela profa. Jacqueline Penjon, da Paris 3, e Assis Brasil, da PUCRS.

Em 2011, com 12 mestrados e 1 doutorado concluídos, o PPGL propôs a área de Escrita Criativa, aprovada, em 30 de junho, pela Câmara de Pós-Graduação da PUCRS. A área iniciou em 2012 com disciplinas sobre o processo criativo e bases teóricas. Fundamentada em sólida caminhada em criação textual, ampliou o espectro do trabalho final, para acolher textos não necessariamente literários, como documentário, roteiro de websérie e narrativa híbrida. O PPGL possibilitou aos mestrandos e doutorandos em Teoria da Literatura, com ênfase em Escrita Criativa, a transferência para a nova área. Ao criar a área de Escrita Criativa, sem precedentes no Brasil, o PPGL dá visibilidade ao que já vinha realizando com a Oficina Literária desde 1985 e as orientações concluídas.

Na reestruturação, o PPGL fortaleceu intercâmbios com pesquisadores do Brasil e do Exterior. Intensificam-se atualmente relações internacionais com reciprocidade na realização de eventos, publicações, intercâmbio de docentes e discentes, coorientação e cotutela de teses. Cresce o número de doutorandos em estágio-sanduíche no Exterior, a maioria em universidades parceiras do PPGL, fortalecendo a cooperação.

A estrutura atual de pesquisa do PPGL conta com 3 Centros de Pesquisa (Centro de Estudos Linguísticos (CELING), Centro de Estudos Literários (CELIT) e Centro de Referência para o Desenvolvimento da Linguagem (CELIN)), 13 Núcleos de Pesquisa e 28 Grupos de Pesquisa, certificados pelo CNPq.

O PPGL dispõe de excelente infraestrutura, com espaços exclusivos para aulas e seminários, áreas de estudo e orientação, gabinetes individuais para pesquisadores, salas de estudo para os pós-graduandos e auditório próprio. Esses espaços estão equipados com computadores, impressoras e outros recursos de informática, em ambiente com climatização central.
Os professores são qualificados, com produção intelectual contínua e de qualidade, e mantêm intercâmbios com docentes de outras IES, nacionais e estrangeiras.

Coordenadores – O Curso iniciou suas atividades sob a coordenação do Ir. Dr. Elvo Clemente, que exerceu essa função no período de 1969 até 1976. Entre 1976 e 1984, foi seu coordenador o Prof. Dr. José Marcelino Poersch; de 1972 a 1975, o Prof. Dr. Wilson C. Guarany desempenhou a função de coordenador pedagógico do Curso. De 1984 a 2004, a coordenação foi exercida pela Profa. Dra. Regina Zilberman, quando o então Curso de Pós-Graduação passou a denominar-se Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL). No período de 9 de dezembro de 2004 a 14 de maio de 2008, a Profa. Dra. Regina Ritter Lamprecht coordenou o PPGL. De 15 de maio de 2008 a 7 de dezembro de 2012, a Profa. Dra. Ana Maria Lisboa de Mello desempenhou a função de coordenadora.

Em 9 de dezembro de 2012, a Profa. Dra. Maria da Glória Corrêa di Fanti assumiu a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Letras, permanecendo no cargo até fevereiro de 2017. Em 01 de março de 2017, assumiu a coordenação do PPGL a Profa. Dra. Cláudia Regina Brescancini.

Na avaliação trienal da CAPES, 2010-2012, o PPGL obteve o conceito 6, o que o colocou no rol dos Cursos considerados de excelência internacional pela CAPES. Na última avaliação, Quadrienal 2013-2016, o PPGL alcançou o nível máximo de excelência com a obtenção do conceito 7.

O Programa é beneficiado com bolsas de estudo da CAPES, do CNPq e da FAPERGS.

O Programa de Pós-Graduação em Letras tem por objetivos:

(a) Formação de recursos humanos para o ensino superior e elevação de sua qualidade nos domínios da Linguística, Teoria da Literatura e Escrita Criativa em âmbito nacional e internacional;

(b) Formação de pesquisadores que contribuam para o avanço da pesquisa no campo da linguagem literária e não literária, atendendo às necessidades sociais quanto aos múltiplos aspectos da linguagem.

O Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS, com suas três áreas de concentração – Linguística, Teoria da Literatura e Escrita Criativa –, tem como foco a formação qualificada de recursos humanos para o ensino superior, tanto em âmbito nacional quanto internacional, e a formação de pesquisadores que contribuam para o avanço das áreas de atuação e suas interfaces e para o atendimento das necessidades sociais no que tange aos múltiplos aspectos da linguagem, em sua abrangência interdisciplinar.

Conceito Capes: 7
Mestrado: 24 créditos
Doutorado: 36 créditos
Mestrado: mínimo de 12 e máximo de 30 meses
Doutorado: mínimo de 24 e máximo de 54 meses