Novidades no voluntariado: atividades em grupo e mutirões

Professores, alunos, diplomados e técnicos administrativos podem participar

13/03/2017 - 08h07
Voluntariado, Restinga, Mãos, Pessoas, Tijolos

Foto: Bruno Todeschini – Ascom/PUCRS

O Projeto de Voluntariado da PUCRS passou por reformulações e está de cara nova em 2017. A principal mudança é o viés do projeto, que passa a ser educativo. Para auxiliar, foi criada a Comissão do Voluntariado Educativo, com o intuito de aproximar o Centro de Pastoral e Solidariedade (CPS) de professores, alunos e diplomados. A partir deste ano também existe a possibilidade de realizar voluntariado em grupos e participar de mutirões em comunidades. Os voluntários podem ser professores, alunos, diplomados ou técnicos administrativos da PUCRS. As inscrições ocorrem até 27 de abril e podem ser feitas no site www.pucrs.br/pastoral, no link Voluntariado. Informações adicionais pelo e-mail voluntariado@pucrs.br, no site citado ou no Centro de Pastoral e Solidariedade da PUCRS, prédio 17 do Campus (avenida Ipiranga, 6681 – Porto Alegre).

Outra mudança é a extinção das entrevistas no processo de seleção dos integrantes do programa. Agora, é necessário preencher o formulário no site e comparecer ao evento de apresentação do projeto. Para quem já realizou a inscrição entre 3 e 10 de março, o encontro ocorre no dia 1º de abril, das 14h às 15h30min, em local a ser definido. Para quem se inscreveu no dia 11 de março ou depois, o evento de apresentação será no dia 6 de maio, das 14h às 15h30min. Os inscritos receberão um e-mail com todas as informações mais perto da data dos encontros.

Os voluntários poderão atuar em projetos no Hospital São Lucas da PUCRS, no Centro Social Marista em Porto Alegre (Cesmar) e em outras instituições como escolas. Os projetos envolvem educação, assistência, saúde, meio ambiente e direitos humanos, mas os participantes não precisam estar em cursos ou serem formados nestas áreas.

 

Viés Educativo

A responsável pelo Programa de Voluntariado e agente de pastoral Jaquelini Debastiani explica que o conceito educativo é baseado na troca de conhecimentos. “O voluntário não só ajuda a instituição, mas aprende com ela. Ele precisa ter experiências significativas”, afirma. Segundo ela, o novo viés é o grande diferencial da reformulação. “Fazemos voluntariado para oferecer nossas habilidades e conhecimentos, aprender e contribuir com a cultura da solidariedade”.

 

Voluntariado em grupo

A nova modalidade de voluntariado permite que colegas e amigos possam entrar no Programa juntos e realizem as atividades em conjunto. Também é possível que o grupo se forme no dia 1º, data de encontro da apresentação do projeto, e que professores indiquem turmas para participar.

 

Mutirões

No final do ano, técnicos administrativos, professores, diplomados e alunos poderão se inscrever para participar como voluntários de mutirões. Jaquelini salienta que o CPS irá ouvir as necessidades de alguma comunidade e promover uma ação no local. “Se for uma escola, por exemplo, nós vamos reunir o maior número de moradores da comunidade e voluntários da Universidade para transformar o espaço em poucos dias”, afirma. Informações complementares serão divulgadas ao longo do ano.

 

Tempo livre

Aos que se preocupam com a necessidade de ter tempo para o as atividades, Jaquelini avisa: “é só querer fazer, ter abertura e disposição. O resto nós ajudamos”. Ela conta que se o interessado tem apenas uma hora disponível por semana, não existe empecilho, a equipe consegue encaixá-lo em alguma instituição.

 

Encontros

  • 1º de abril e 6 de maio – apresentação do Programa – presença obrigatória para todos os inscritos
  • Troca de experiências – os voluntários poderão falar sobre o que está acontecendo no seu trabalho e conhecer as dificuldades e desafios dos outros voluntários – dia 10 junho
  • Dia Nacional do Voluntariado – grande celebração – reunião com todos os voluntários da Rede Marista – 28 de agosto
Compartilhe

Outras notícias Veja todas as notícias

  • Últimas publicadas
  • Mais lidas