Como escrever uma paródia


     A paródia é a recriação de um texto, geralmente célebre, conhecido, uma reescritura de caráter contestador, irônico, zombeteiro, crítico, satírico, humorístico, jocoso.

     A paródia constrói, assim, um percurso de desvio em relação ao texto parodiado, numa espécie de insubordinação crítica, cômica.

 
Texto-Base: No Meio do Caminho

Carlos Drummond de Andrade

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas
Nunca me esquecerei desse acontecimento
que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no
meio do caminho
no meio do caminho
tinha uma pedra

 


 
Paródia No Meio do Caminho

Deise Konhardt Ribeeiro

No meio do caminho tinha um fuquinha
tinha um fuquinha no meio do caminho
tinha um fuquinha
no meio do caminho tinha um fuquinha.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na ida de minhas noitadas tão agitadas.
Nunca me esquecerei
que no meio do caminho
tinha um fuquinha
tinha um fuquinha no
meio do caminho
no meio do caminho
tinha um fuquinha.

 


 
Texto-Base: Primeiro Ato

Gilberto Scarton

Sem professor. Sem aula. Sem provas. Sem notas
Sem computador. Sem dom. Sem queda. Sem inspiração.
Sem estresse!
Só tu.
Tu e tu. Tu e o texto. Tu e a folha em branco.
Que impassível espera ser preenchida, para entretecer
contigo a teia de palavras que liga todas as dimensões de
tua existência, nesta travessia de comunicação de ti para
contigo, de ti para o outro.
Sem.
Só tu.
Com teu ritmo. Com tua pulsação. Com paixão.
Na aventura do cotidiano. De resgatar a memória.
De fecundar o presente. De gestar o futuro. Anunciando
esperanças. Denunciando injustiças. In(en)formando o
mundo com tua-vida-toda-linguagem.
Sem!
Levanta tua voz em meio às desfigurações da existência,
da sociedade, tu tens a palavra.
A tua palavra. Tua voz. E tua vez.

 


 
Paródia: Primeiro Filho

Antonio Carlos Paim Terra

Sem telefone. Sem campainha. Sem cachorro.
Sem estresse. Sem vizinho. Sem tudo. Sem nada.
Sem roupa!
Só tu.
Eu e tu. Tu e o teu corpo. Tu e o clima romântico.
Eu impassível espero por ti, para entrelaçar
contigo uma teia de carinhos que liga toda a dimensão de
nossos corpos, nesta travessia de vibrações de ti para
comigo, de mim para contigo.
Sem camisinha.
Só prazer.
Com nosso ritmo. Com minha pulsação. Com paixão.
Na aventura do cotidiano. De rasgar a tua roupa.
De fecundar o presente. De gestar o futuro. Anunciando
um bebê. Informando ao mundo
o nascimento de uma vida.
Sem preparativos!
Levemos o fato para a sociedade.
Nós temos a felicidade.
O nosso filho. Daqui a nove meses. Será a tua vez.

 


 
Texto-Base: Carreira Hereditária


BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!
BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!
BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!

ANALISANDO ESSA CARREIRA HEREDITÁRIA
QUERO ME LIVRAR DESSA SITUAÇÃO PRECÁRIA
(REPETE)
ONDE O RICO CADA VEZ FICA MAIS RICO
E O POBRE CADA VEZ MAIS POBRE
E O MOTIVO TODO MUNDO JÁ CONHECE
É QUE O "DE CIMA" SOBE
E O "DE BAIXO" DESCE...

 


 
Texto-Base: Carreira Estagiária

Luciana da Silva Rocha

BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!
BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!
BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!

ANALISANDO MINHA CARREIRA ESTAGIÁRIA
QUERO ME LIVRA DESSA SITUAÇÃO PRIMÁRIA...
ONDE O EFETIVO CADA VEZ FICA MAIS RICO
E O ESTAGIÁRIO CADA VEZ É MAIS OTÁRIO,
E O MOTIVO TODO MUNDO JÁ CONHECE...
O EFETIVO SOBE, O ESTAGIÁRIO DESCE.

BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!
BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!
BOM XI BOM XI BOMBOMBOM...!

MAS EU SÓ QUERO É COMPRAR MEUS LIVROS,
PAGAR A MINHA MENSALIDADE COM MUITA DIGNIDADE,
EU QUERO VIVER BEM,
TERMINAR DE ESTUDAR,
MAS A GRANA QUE EU GANHO
NÃO DÁ NEM PARA CONTAR...
E O MOTIVO TODO MUNDO JÁ CONHECE...

 


 
Texto-Base: Ser Mãe

Coelho Neto

Ser mãe é desdobrar fibra por fibra
o coração! Ser mãe é ter no alheio
lábio, que suga, o pedestal do seio,
onde a vida, onde o amor cantando vibra.

Ser mãe é ser um anjo que se libra
sobre um berço dormido! É ser anseio,
é ser temeridade, é ser receio,
é ser força que os males equilibra!

Todo bem que a mãe goza é bem do filho,
espelho em que se mira afortunada,
luz que lhe põe nos olhos novo brilho!

Ser mãe é andar chorando num sorriso!
Ser mãe é ter um mundo e não ter nada!
Ser mãe é padecer num paraíso.

 


 
Paródia: Ser Moderna

Marco Antonio F. Conde

Se moderna é remontar fibra por fibra
o peitão! Ser moderna é não ter o receio
de ficar bonita, botando silicone no seio,
onde a natureza, recriada, balançando vibra!

Ser moderna é ter um marmanjo que se libra
sobre o busto rígido! É ser dois seios,
é não necessitar de outros meios,
é ter força, onde o vestido se equilibra!

Todo o bem que goza é bem da humanidade,
espelho onde se mira, sem culpa,
ser menina, em qualquer idade!

Ser moderna é ser siliconada!
Ser moderna é ter prótese mamária!
ser moderna é ser um colírio pra gurizada!