Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Cursos,Especialização,Extensão,MBA,Idiomas,Educação,Vestibular,Pós-Graduação,Educação

Cursos

Graduação

Pós-Graduação

MBA

Vestibular

Espetáculo Caio do Céu tem distribuição de ingressos

Ingressos podem ser retirados de 3 a 6 de setembro na Proex

03/09/2018 - 08h45

espetáculo caio do ceu, caio fernando de abreu, instituto de culturaO espetáculo Caio do Céu, realizado em homenagem ao artista Caio Fernando de Abreu que estaria completando 70 anos , tem distribuição de ingressos, de 3 a 6 de setembro , das 9h às 12h e das 13h30min às 20h, na Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Proex), na sala 109 do prédio 1, mediante a doação de 1kg de alimento não perecível. A peça, promovida pelo Instituto de Cultura da PUCRS, ocorre no dia no dia 11 de setembro, às 20h, no Teatro da PUCRS do prédio 40 do Campus (Av. Ipiranga, 6681 – Porto Alegre). Com direção de Luís Artur Nunes, a peça traz o universo do autor com música ao vivo, imagens projetadas e a interpretação da prestigiada atriz Deborah Finocchiaro, que divide o palco com Gustavo Petry.

O evento, que é aberto ao público, integra a programação da Semana de Letras e Escrita Criativa da Escola de Humanidades da PUCRS. Após a apresentação do espetáculo, haverá debate com a presença de convidados especiais e o lançamento do livro Contos Completos de Caio Fernando de Abreu, publicado pela editora Companhia das Letras.

Caio do Céu

O roteiro, concebido por Deborah Finocchiaro, é baseado em contos, crônicas, poemas, trechos de cartas, textos teatrais e entrevistas com o autor. No palco, os atores misturam literatura, música, cinema e teatro para questionar os valores da sociedade, nossos tabus e questões da alma humana. Além da encenação de seus textos, Caio aparece no decorrer do espetáculo por meio de vídeos com trechos de suas entrevistas.

Sobre Caio Fernando Abreu

Caio Fernando Abreu (1948 – 1996) é apontado com um dos expoentes da sua geração, foi jornalista, dramaturgo e escritor brasileiro. Seu primeiro conto, O Príncipe Sapo, 1963, foi publicado três anos mais tarde na revista Claudia. Em 1973, se exilou na Europa, onde ficou até 1974, ano em que começou sua prolixa criação literária de mais de 28 livros publicados nas formas de contos, crônicas, romances e antologias. Entre eles, destacam-se Morangos Mofados (1982) e os Dragões Não Conhecem o Paraíso (1988). Seu último romance, Onde andará Dulce Veiga?, 1990, foi adaptado para o cinema pelo diretor Guilherme de Almeida Prado.

Caio ficou popular por seus temas em que fala sobre sexo, medo, morte e, principalmente, solidão. Através de problemas pessoais e situações cotidianas, contestou valores que na época eram pouco discutidos, como aids, homossexualidade e espiritualidade. No acervo digital do Delfos – Espaço de Documentação e Memória Cultural da PUCRS, é possível encontrar diversos objetos, livros, escritos e datiloscritos do autor.

Compartilhe

Outras notícias Veja todas as notícias

  • Últimas publicadas
  • Mais lidas