26/10/2018 - 11h22

Brasileiro treina time de futebol americano na China

Formado pela PUCRS, Paulo Pillar trabalha na formação de atletas de 3 a 12 anos

Fotos: GSG Sport

Foto: GSG Sport

Licenciado em Educação Física pela Escola de Ciências da Saúde da PUCRS em 2009, Paulo de Tarso Pillar iniciou carreira internacional ao ser convidado para assumir o cargo de treinador de futebol americano na China. A oportunidade surgiu através de um amigo, com quem hoje trabalha em Xangai, ainda em 2016, mas Pillar resolveu aceitar o convite apenas na segunda oferta, feita em janeiro de 2018. Após pensar bastante sobre a mudança de vida, considerou que este era o momento certo para a empreitada, escolha que reconhece ter sido acertada.

Chegou em Pequim em junho de 2018, onde ficou cerca de um mês em treinamento e então foi transferido para Xangai para trabalhar na formação de atletas de 3 a 12 anos e com o time U12 (Sub 12) do T-Rex. O time faz parte da Future League, uma liga de times infantis que jogam todas as sextas-feiras, visando o crescimento do jogo no território Chinês. “Atualmente tenho turmas de U4, U6, U9 e U12. A ideia principal é que as crianças passem por todas as categorias e culminem jogando na Future League na categoria U12, possibilitando um crescimento acompanhado em todas as fases do jogo, respeitando a faixa etária e suas características específicas também”, explica.

Pillar conta que se adaptou com facilidade ao país, idioma e cultura e que está aprendendo Mandarim aos poucos. “O mais complicado foi a comida, mas agora já estou habituado. A cultura é bastante diferente, muitos costumes também, mas nada absurdo. A língua não é tão difícil quanto todos pensam. A saudade matamos através da internet e de aplicativos, pois continuo mantendo contato com todos. O único problema é o fuso horário, mas também é superável tranquilamente”, relata.

Para ele, a PUCRS teve um papel importante em sua caminhada profissional e frisa para seus alunos na China a busca continua pelo melhor trabalho possível. “Todas as bases pedagógicas que a Universidade me passou foram transversais todos os dias aqui. A excelência que uma instituição do nível da PUCRS exige de um aluno de Educação Física me trouxe até aqui. Eu pretendo honrar sempre os meus professores por todo o conhecimento que me passaram replicando, em parte, um pouco do que me foi ensinado”, reconhece Pillar, que entre os treinadores é um dos expoentes no futebol americano no Brasil.

Compartilhe

Leia Mais Veja todas

Últimas Notícias

Veja todas notícias